ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
ABRIL, DOMINGO  14    CAMPO GRANDE 24º

Capital

Placas viram "classificados" na Rua da Divisão e nem semáforos são poupados

Código de Trânsito Brasileiro proíbe qualquer tipo de publicidade afixada nos postes de sinalização

Por Kamila Alcântara e Ana Beatriz Rodrigues | 25/02/2024 16:35
Motorista para no cruzamento e descola telefone para forro PVC, toldos e lava jato (Foto: Paulo Francis)
Motorista para no cruzamento e descola telefone para forro PVC, toldos e lava jato (Foto: Paulo Francis)

Na tentativa de chamar a atenção de quem passa pela Rua da Divisão, principal avenida comercial da região do Parati e Guanandi II, comerciantes e prestadores de serviços não medem esforços. Anúncios lotaram os postes de sinalização do trânsito e etnão até nos semáforos.

Da rotatória da Rua Anchieta até a da Avenida Graça Aranha, cavaletes são colocados no canteiro central e as placas de trânsito também são usadas para fixar telefones dos mais diferentes serviços, de lava a jato a forro PVC.

A técnica de enfermagem Adriana Cristina Carvalho, 44 anos,  ajuda a mãe em uma venda de salgados e optou pelo uso de um cavalete, colocado no canteiro central da avenida quando a lanchonete está funcionando. Ela lembra que já pagam uma taxa anual à Semadur (Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbano) pela placa principal.

No semáforo com a Av. Ezequiel Ferreira Lima você encontra o contato para venda de ouro (Foto: Paulo Francis)
No semáforo com a Av. Ezequiel Ferreira Lima você encontra o contato para venda de ouro (Foto: Paulo Francis)

“Eu acho feio tudo colorido, mas é o que chama a atenção para o comércio. Nós pagamos a taxa anual pela placa em cima da porta, mas o que chama atenção mesmo de quem passa é o cavalete no canteiro. Acho que se fosse padronizado seria melhor e mais bonito”, defende Adriana.

Vivendo no mesmo lugar há mais de 30 anos, Adriana completa dizendo que é importante para a sobrevivência dos comerciantes. “Minha mãe mora aqui há 38 anos e viu o comércio crescer aos poucos. Acho que as placas não estão incomodando ninguém e são importantes para manutenção do movimento de clientes, se não o comércio aqui morre”, disse.

O jardineiro Paulo Roberto Nascimento, 58 anos, não costuma ter mídia física, seus trabalhos são por indicação e redes sociais, mas não vê maldade nas tentativas de captação de clientes.

Até banner de erva mate é encontrado em uma placa de 50km/h (Foto: Paulo Francis)
Até banner de erva mate é encontrado em uma placa de 50km/h (Foto: Paulo Francis)

“Para mim não tá fazendo mal, penso que só estão tentando trabalhar, mas é preciso reconhecer que isso pode tirar a atenção do motorista. Ele acaba não dando atenção a sua preferência no trânsito para anotar um telefone ou algo assim”, avalia o jardineiro.

De acordo com o Código de Trânsito Brasileiro, a afixação de publicidade ao longo das vias precisa de aprovação e os não autorizados podem ser retirados pelos órgãos fiscalizadores. No caso de Campo Grande, é a Agetran (Agência Municipal de Trânsito).

Preferência em rotatória também é ponto de venda do forro de PVC e toldos (Foto: Paulo Francis)
Preferência em rotatória também é ponto de venda do forro de PVC e toldos (Foto: Paulo Francis)

Direto das ruas - A sugestão chegou pelo Direto das Ruas, o canal de interação dos leitores com o Campo Grande News. Quem tiver flagrantes, sugestões, notícias, áudios, fotos e vídeos pode colaborar no WhatsApp pelo número (67) 99669-9563.

 Clique aqui e envie agora uma sugestão.

Para que sua imagem tenha mais qualidade, orientamos que fotos e vídeos sejam feitos com o celular na posição horizontal. Receba as principais notícias pelo celular.

Nos siga no Google Notícias