ACOMPANHE-NOS    
JULHO, SEXTA  01    CAMPO GRANDE 20º

Capital

PM que matou o marido vai continuar trabalhando no TJ até fim de 2018

Por Paulo Nonato de Souza | 19/01/2017 10:39
A tenente-coronel Itamara cumpre função de natureza policial no Tribunal de Justiça (Foto: Arquivo)
A tenente-coronel Itamara cumpre função de natureza policial no Tribunal de Justiça (Foto: Arquivo)

A tenente-coronel da Polícia Militar Itamara Romeiro Nogueira, 41 anos, que confessou ter matado a tiros o marido, major PM Valdeni Romeiro Nogueira, 47, no dia 12 de julho de 2016, continuará exercendo função de natureza policial no Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul com a matrícula n. 93875021.

Na edição desta quinta-feira, o Diário Oficial do Estado traz a prorrogação da sua cessão para o TJ até 31 de dezembro de 2018.

De acordo com a publicação que autoriza a disponibilidade da policial para o TJ, o ônus pelo seu trabalho é da origem, ou seja, ela continuará recebendo salários da Polícia Militar.

Além dos seus vencimentos, a tenente-coronel recebe também a pensão de R$ 9,5 mil pela morte do marido, conforme decisão da Justiça em setembro de 2016 com a ressalva de que esse montante seja dividido entre ela e a filha do casal.

Presa em flagrante no dia 12 de julho, Itamara Romeiro Nogueira ganhou liberdade provisória pouco mais de dois meses depois. Em 19 de setembro, o juiz Alexandre Tsuyoshi Ito deferiu o pedido da revogação da sua prisão preventiva.

Nos siga no Google Notícias