A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 14 de Dezembro de 2017

02/04/2012 13:34

Polícia encerra inquérito e conclui que cadela Mel foi ferida por acidente

Paula Vitorino
Mel já passou por cirurgia na coluna e aguarda recuperação em clínica veterinária. (Foto: Viviane Oliveira)Mel já passou por cirurgia na coluna e aguarda recuperação em clínica veterinária. (Foto: Viviane Oliveira)

A Polícia Civil encerrou o inquérito sobre a denúncia de agressão a cadela Mel e concluiu que não houve maus-tratos. De acordo com a delegada da Decat (Delegacia Especializada de Repressão a Crimes Ambientais e Proteção ao Turista), Suzimar Batistela, Mel não sofreu agressão, mas foi vítima de um atropelamento acidental.

A conclusão tem como base a versão contada pelo dono da cadela, denunciado como agressor, à Polícia. Desde o primeiro depoimento, o rapaz disse que foi dar ré no veículo, mas Mel estava embaixo e foi atingida pela roda traseira acidentalmente.

Segundo a delegada, o rapaz também demonstrou que gosta de animais e disse ter outros dois cachorros, sendo que um é surdo e outro é vítima de atropelamento. Ele ainda contou que levou Mel para casa por livre espontânea vontade e nunca agrediu nenhum dos animais.

“Ele disse que trabalhava em uma construção e uma cadela que morava na região deu cria. Ele esperou a Mel desmamar e depois a levou para casa”, diz.

A delegada também informou que o carinho do rapaz pelos animais foi confirmado por sua mãe e um vizinho, durante depoimento à Polícia.

O rapaz foi apontado como autor das agressões pelo próprio irmão, que socorreu a Mel e a levou para uma clínica veterinária. No entanto, segundo a delegada, o irmão apresentou fatos contraditórios e foi chamado novamente para prestar esclarecimentos, quando acabou admitindo que só acusou o rapaz porque tinha brigado com ele e estava nervoso.

Entre as contradições, o irmão disse no primeiro depoimento que tinha visto da casa de um vizinho o rapaz batendo na Mel. No entanto, a Polícia esteve no local e verificou que não seria possível enxergar a cena do local apontado.

“Ele prestou novo depoimento e acabou admitindo que não tinha visto, mas suspeitado que o irmão tinha batido na cadela e também admitiu que só fez a denúncia porque estava nervoso com o irmão”, diz a delegada.

Com a conclusão de que não houve maus-tratos, a Polícia Civil considera o caso encerrado e já encaminhou para o judiciário, que deverá analisar a investigação e definir se concorda com a conclusão da Polícia e arquivo o caso ou instaura processo criminal.

Recuperação - Já a vítima, a cadela Mel, continua internada na clinica veterinária que foi levada logo após a agressão, no dia 27 de fevereiro.

Segundo a médica veterinária Raquel Nasae Hosokawa, a cadela irá passar por cirurgia na próxima semana por conta de uma fratura identificada na perna.

Só após a recuperação do procedimento é que será possível fazer um diagnóstico para avaliar se Mel pode voltar a andar ou não.

A cadela também só deve ser adotada após a recuperação. A veterinária informou que algumas pessoas já se candidataram a adoção, mas os novos donos da cadela ainda não foram definidos.



Eu tb me fiz a mesma pergunta Patrícia Soares: porque o cidadão que atropelou a cachorrinha não foi ele mesmo em busca de socorro? Porque o irmão teria ido e ainda acusado o mesmo de maus tratos? No mínimo ele deveria ser indiciado por falta de socorro ao animal ferido. Que fique de alerta para quem tem animais em casa, tenha atenção redobrada antes de sair com seu veículo. Justiça seja feita.
 
Lauriane Schwab de Morais em 02/04/2012 05:42:35
Outra dúvida: Por que a Polícia não solicitou um laudo pericial feito por um Médico Veterinário?...
É uma pena que as autoridades ainda não dêem a devida importância aos casos envolvendo animais...
 
Newton Netto em 02/04/2012 05:20:39
Até que se prove o contrário, é mais fácil INOCENTAR o acusado, afinal o bichinho não sabe falar para se defender...
 
ESTELA ALGARVE em 02/04/2012 05:14:00
A favor de todos os individuos há o principio da dúvida e ainda, de que sejam inocentes até se prove o contrário. Neste caso, fica só uma dúvida... se foi um atropelamento acidental, porque ele não prestou socorro e levou a mel até a clinica, mas ao contrario, foi o irmão que a socorreu..
 
Patricia Soares em 02/04/2012 03:53:33
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions