A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 17 de Dezembro de 2017

25/07/2013 08:35

Ponto para amarrar boi e rede, figueira de 100 anos é cortada sob protestos

Aliny Mary Dias
Árvore fica na esquina da Ruas Leônidas de Matos e Eunice Weaver no Santo Antônio (Foto: Pedro Peralta)Árvore fica na esquina da Ruas Leônidas de Matos e Eunice Weaver no Santo Antônio (Foto: Pedro Peralta)

Suporte para armar redes, tronco para amarrar bois e cavalos e balanço para crianças foram alguns dos usos da árvore centenária da espécie figueira localizada no bairro Santo Antônio em Campo Grande. Após sofrer um incêndio há 4 meses, a estrutura do pé ficou comprometida e ela começou a ser cortada nesta semana.

Referência do bairro há mais de 100 anos, quando as casas ainda eram de madeira e a locomoção era a cavalo, a árvore se tornou parte da vida de muitos moradores que hoje encaram com revolta o corte da planta.

“Meu bisavô amarrava cavalos e bois no tronco dela. Meus filhos brincaram de balanço na Figueira e eu tomava tereré ali embaixo, agora estão cortando nossa árvore”, afirma o motorista Olanir de Souza, 52 anos.

Os vizinhos da centenária contam que há 4 meses alguém colocou fogo no tronco da árvore. O Corpo de Bombeiros foi chamado e os moradores ajudaram no combate. Parte do caule da planta ainda possui marcas do dia que ficou marcado para muitos moradores.

“Foi uma correria aqui no bairro, todo mundo queria ajudar para ela não morrer. Enquanto o bombeiro não chegava, nós usamos baldes com água para apagar o fogo”, conta a dona de casa Talita da Silva Santos, de 32 anos.

Fogo foi colocado em árvore há 4 meses, afirmam moradores (Foto: Pedro Peralta)Fogo foi colocado em árvore há 4 meses, afirmam moradores (Foto: Pedro Peralta)

Apesar dos danos no tronco, os moradores avaliam que a estrutura da árvore não foi comprometida. “As folhas continuaram verdes e o pé estava saudável”, diz a assistente administrativa, Luciene Caldeira, 32 anos.

Sem testemunhar a presença de equipes da prefeitura, os vizinhos dizem que desde o último domingo (21), técnicos da Enersul, concessionária de energia, começaram a cortar a árvore. “Nós achamos que seria uma poda normal por conta dos fios, mas acabaram com nossa figueira”, explica Ediléia Lima, 52 anos.

Conforme informações repassadas pela concessionária aos moradores, o corte foi uma determinação da Semadur (Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbano).

Sem concordar com o corte da espécie centenária, sobrou nostalgia aos que acompanharam o crescimento da árvore. “Fazia parte da nossa vida e agora perdemos nossa árvore que fez parte da infância de muita gente”, completa Olair.

Campo Grande News procurou a Semadur e a assessoria da Prefeitura ontem, mas, até hoje, não houve retorno.

 

Promotoria e prefeitura firmam acordo para recuperar área de preservação
Foi celebrado entre o MPE (Ministério Público Estadual) e a prefeitura de Campo Grande acordo para recomposição da vegetação nativa da área de preser...
Concurso recebe inscrições para 83 vagas técnico-administrativas
Seguem abertas as inscrições para o concurso que oferece 83 vagas para técnico-administrativos em Educação na UFMS (Universidade Federal de Mato Gros...
Vice-governadora visita projeto em que detentos reformam escolas
O projeto "Pintando e Revitalizando a Educação com Liberdade", desenvolvido pelo Poder Judiciário estadual, foi conhecido e elogiado na sexta-feira (...
Crianças do Vespasiano Martins recebem Papai Noel e ganham presentes
As crianças do loteamento Vespasiano Martins, na periferia de Campo Grande, receberam a visita especial do Papai Noel neste sábado (16). Foram distri...


TIVE A MINHA ADOLESCÊNCIA NESTE BAIRRO, DE 1983 A 2003, EU E MEUS AMIGOS TIVEMOS MUITAS HISTORIAS PRA CONTAR DEBAIXO DESTA FIGUEIRA, PRA TER UMA IDEIA, AO LADO DESTA FAMOSA FIGUEIRA TEM MEUS AMIGOS QUE MORAM AI ATÉ HOJE E O NOME DA EMPRESA DELES LEVA O NOME DESTA RELÍQUIA.
AUTO GUINCHO FIGUEIRA.
ISSO É SÓ UMA HISTORIA MINHA, E QUANTOS GOVERNANTES JA SE PASSARAM POR AI FAZENDO CAMPANHAS POLITICAS E NÃO DEIXAVA DE TOMAR AQUELE GOSTOSO TERERÉ DEBAIXO DESTA FIGUEIRA CENTENÁRIA, VAI SABER NO PASSADO SE JA NÃO TEVE O COMÍCIO DA FIGUEIRA, DIGO DE PASSAGEM.
NÃO EXISTE LEI PRA PROCESSAR O AUTOR DESTA TAMANHA COVARDIA?
É MESMO QUE MATAR UM ANIMAL EM EXTINÇÃO, NÃO É?
 
ANTONIO JAISSON em 01/08/2013 10:29:01
Não ajudaram a árvore a se manter porque não quiseram trabalhar.

Se fosse uma árvore da Afonso Pena...
Como aquela centenária da Afonso Pena que está sustentada por troncos.
 
Sérgio Moreira Martins em 26/07/2013 04:31:36
Eu nasci neste bairro, quando era criança era so mato. Esta figueira estava no seu habitat natural. Conseguiu lutar por muito tempo com a poluição, Tudo passa, isto é real.
So não realisamos que os dinosauros tambem passaram e muito mais dificil ainda que o homem tambem vai desaparecer desta terra. é filosofia ? talvez, Quem vive de cavalo e carroça e mora em casa de Madeira não progrediu. Aquele que tem um Chevrolet,ford e etc...ano 2013, precisa de um bom alfalto (poluidor) e uma boa calçada com concreto (poluidor) para o amor dele passar sem nenhuma arvore no caminho para incomodar.
 
Gilberto DIAS em 25/07/2013 16:22:44
As podas mal executadas condenaram centenas de árvores na cidade. Estamos tão preocupados em expandir e tão sem tempo pra cuidar que as famílias preferem cimentar seus quintais e suas calçadas a ter vegetação. Esquecemos as lições sobre o meio ambiente em prol do progresso. Melhoria do ar, do conforto térmico e preservação das árvores através do manejo correto, ninguém quer se responsabilizar. Povinho que não tem o que fazer é quem defende o assassinato de espécies vegetais tão importantes pra nossa vida no planeta.
 
Ely Quevedo em 25/07/2013 16:19:23
Como mencionado por Kamél El Kadri, o problema não é a poda, mas o modo pelo qual ela é feita. Para alguns poda é sinônimo de cortar a árvore de qualquer jeito, mas as pessoas especializadas, como técnicos e engenheiros agrícolas devem/deveriam saber que, a depender do que é cortado, a estrutura da árvore é fragilizada, torna-se mais fácil seu quebramento posterior, bem como surgem brotações oportunas ou inoportunas. A questão, igual a outras, é fazer as coisas com racionalidade, e não como lhes dá na veneta e sem o devido planejamento.
 
Juliano Mendonça em 25/07/2013 12:52:53
Essa mesma vida sofreu há uns tempos atrás, queimaduras de 2º grau, o que fez seus vizinhos a ajudarem. Hoje os PODERES públicos e ENERSUL, vieram e sem mais nem menos cortaram seus braços, depois a pernas e finalmente seu tronco; aqui jaz uma senhora de 100 anos assassinada por mãos assassinas do homem. A tal preservação ecológica só serve para os outros. Também de nada adianta nosso clamor, eles não estão nem aí. Ao morador da casa fiquem de olho senão o Bernal vai desapropriar o local e expulsa-los para dar lugar a um estacionamento. Aliais, já sugeri uma reportagem investigativa sobre a máfia dos estacionamento nas áreas centrais da capital onde pobre um dia não terá vez.
 
samuel gomes-campo grande em 25/07/2013 11:58:45
Aqui em Iguqatemi não foi diferente, apareceram os "técnicos" da Enersul e simplesmente deceparam as árvores. E não apareceu ninguém responsável da prefeitura para contestar o tipo ou a maneira das "podas", eles chegaram e conforme a altura do técnico, cortaram os galhos, sem se preocuparem se é o correto. Como disseram, aqui é terra sem lei, quem "TEM" faz oque quer.Vai um cidadão comum fazer uma poda radical, sem o acompanhamento de um técnico agrícola ou engenheiro florestal. o Ibama já teria tomado as providências, rsrsrsrs. Mas fazer o que nesse Ms tem de tudo, na separação dos Estado Mt e Ms, só ficaram os porcarias para nos representar.
 
Kamél El Kadri em 25/07/2013 11:33:51
É assim mesmo, todo o ser vivo um dia chega ao fim. Um dia fomos crianças, adolescentes, jovens, adultos, envelhecemos e morremos, tal qual a centenária figueira. Cumpriu o seu papel, deixou saudade, mas enfim, é também chegado a sua hora antes que caia na cabeça de alguém e o leve antes da hora.
 
Sebastião Dussel em 25/07/2013 11:32:07
É desse jeito a maioria só sabe criticar esquecem que o progresso pede passagem, é que amarrou boi, cavalo etc. esquecem que quando acontece acidentes causados pelas arvores criticam aqueles que podaram,deveriam ter podado essas arvores e tal e coisa, eta povinho sem o que fazer.
 
marco antonio em 25/07/2013 10:18:30
Passo por ali todos os dias. Realmente é uma pena, mas ela já estava apresentando perigo para os veículos e pedestres que passam diariamente por ali. Agora tem que tirar o mais rápido possível os galhos cortados, poi estão obstruindo parte da pista.
 
Orlando Santos em 25/07/2013 10:16:33
Bom dia, aquela centenária árvores tinha uma história, foi cortada maldosamente por pessoas sem história ou mesmo sem saber o que a natureza quer, espero que DEUS converse seriamente com os responsáveis por essa atitude!!!!
Passei ontem e vi os homens tirando galhos, achei que era por conta da energia, mas agora lendo a matéria, vejo o quanto de pessoas ruins e egoístas existem...
É um pena!!
 
Loadir Ap. em 25/07/2013 10:07:15
As pessoas são assim, querem a arvore lá, fazem protesto. Se da um vendaval como deu a alguns dias e cai a arvores causando estragos e feridos... ai muda tudo e culpam Deus e o mundo.
 
Luis Castro em 25/07/2013 09:32:42
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions