ACOMPANHE-NOS    
OUTUBRO, TERÇA  26    CAMPO GRANDE 24º

Capital

Posto repassa reajuste maior e preço da gasolina surpreende consumidor

Por Luciana Brazil | 03/12/2013 15:37
Consumidor já paga mais caro mais abastecer o carro. (Fotos: Marcos Ermínio)
Consumidor já paga mais caro mais abastecer o carro. (Fotos: Marcos Ermínio)

Com o reajuste no preço dos combustíveis, anunciado na sexta-feira (30), pela Petrobras, a gasolina e o óleo diesel já começam a ser vendidos mais caros em Campo Grande. Em alguns postos o valor da gasolina chega a R$ 3,15, e o óleo diesel já é comercializado entre R$ 2,59 e R$ 2,99. Os preços surpreenderam os consumidores que esperavam um valor menor.

Na Capital, nem mesmo os postos que costumam trabalhar com estoques altos mantiveram o preço anterior. Nas refinarias, a gasolina e o óleo diesel tiveram reajuste de 4 e 8%, respectivamente. Para o consumidor o reajuste parece ser ainda maior.

“Não tem como segurar o preço. Na hora de comprar a gasolina, os pedidos já são feitos com o reajuste”, explicou o gerente do posto Petrobras, localizado na Avenida Mato Grosso com a Rua 25 de Dezembro, Evaldo Rosário, 39 anos.

Ele lembra que se os estoques no posto estivessem altos, talvez o reajuste pudesse tardar um pouco mais.
No posto da Avenida Afonso Pena com a Rua 13 de Maio a gasolina está à venda por R$ 3,12 e o óleo diesel por R$ 2,59. Conforme o gerente do estabelecimento Militão Renovato Pires, mesmo com os estoques altos, o reajuste foi repassado ao consumidor.

Na manhã de hoje (3), o Campo Grande News apurou os preços em alguns postos no centro da cidade. A gasolina mais barata era vendida por R$ 3,09 e a mais cara era comercializada por R$ 3,15. O valor médio foi de R$ 3,14.

Já o óleo diesel mais caro, encontrado pela reportagem, está à venda por R$ 2,99, e o mais barato é vendido por R$ 2,59.

Consumidores- “A gasolina é roubo do governo. Não adianta reclamar. Agora na hora de subir o salário mínimo, é uma mixaria. E o problema é que com o petróleo mais caro sobe tudo, porque as mercadorias precisam de transporte”, disse o operador de almoxarifado, Vagner Gomes, 62.

Para o vendedor Leandro Espíndola, 31, o reajuste foi razoável. “Mais de R$ 0,10 centavos em alguns postos. Se a gente abastece um pouco a gente não sente, mas se coloca muito a gente percebe o reajuste”, lembrou.

Leandro diz que combustível poderia ser vendido mais barato.
Leandro diz que combustível poderia ser vendido mais barato.

Abastecendo o veículo de duas a três vezes por semana, para viajar pelo interior, ele acredita que o governo tem condições de diminuir o preço. “A gente exporta para poder comprar. Temos condições de vender o combustível mais barato. Já comecei a usar a moto”, finaliza falando da economia que já começou a fazer.

Anúncio- O aumento do combustível era para ser anunciado o início do segundo semestre, mas a companhia e o próprio governo federal decidiram adiar o reajuste para já divulgar a mudança nos preços atendendo a uma nova política implementada pela Petrobras.

A metodologia pretende assegurar que os indicadores de endividamento e alavancagem da Petrobras retornem aos limites estabelecidos no Plano de Negócios 2013-2017 em até 24 meses, considerando o crescimento da produção de petróleo e a aplicação da política de preços de combustíveis, segundo nota divulgada pela empresa.

No entanto, o mercado aposta é de que não deve ocorrer novo reajuste na gasolia em 2014 em decorrência das eleições gerais de outubro.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário