A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 14 de Dezembro de 2017

04/06/2013 15:37

Postos ainda têm vacinas contra H1N1 e rede particular cobra R$ 70

Paula Maciulevicius
Segundo boletim emitido hoje (04), pela Secretaria de Saúde do Estado, já são 91 notificações das doenças desde o início do ano. (Foto: Arquivo/Marcos Ermínio)Segundo boletim emitido hoje (04), pela Secretaria de Saúde do Estado, já são 91 notificações das doenças desde o início do ano. (Foto: Arquivo/Marcos Ermínio)

Diante de duas mortes em investigação por suspeita de gripe A, um caso descartado e um com resultado inconclusivo, a preocupação com a quantidade de vacinas contra o vírus H1N1 fez o Campo Grande News percorrer unidades de saúde da Capital e redes particulares.

Entre 60 unidades da Sesau (Secretaria Municipal de Saúde), 23 delas a vacina ainda está sendo aplicada, que correspondem às regiões: Centro, Bonanza, Iracy Coelho, Vila Pioneira, Alves Pereira, Cohab, Jardim Macaúbas, Los Angeles, Mário Covas, Paulo Coelho Machado, Aero Rancho, Coophavila II, Caiçara, Indubrasil, Vila Popular, Silvia Regina, Coophavila, Portal Caiobá, Jardim Batistão, Zé Pereira, Aero Itália e Serradinho. Outras 13 têm o estoque reservado apenas para a segunda dose de crianças.

A maioria das 24 unidades que o Campo Grande News fez contato que não têm mais a vacina se concentram nos destritos Norte e Leste da Capital.

Na rede particular, as vacinas estão em falta apenas no Hospital da Criança e não há previsão de chegada. No hospital São Lucas e em clínicas particulares, a média de preço é entre R$ 70 e R$ 80 a dose.

Segundo boletim emitido hoje (04), pela Secretaria de Saúde do Estado, já são 91 notificações das doenças desde o início do ano. Destes, três foram confirmados como sendo H1N1. Os dois óbitos em investigação são de mortes na Santa Casa de Campo Grande. A primeira ocorrida no dia 29 de maio, do pedreiro Cezar Melo Chaves, 32 anos. E a última hoje, de um homem de 42 anos. Os casos estão sob investigação da Secretaria de Saúde do Estado.

A morte de um homem de 35 anos, na semana passada em Três Lagoas, foi descartada pelo Governo do Estado como sendo por implicações de H1N1. Já o caso da estudante de Arquitetura Janaína Sonsim, 20 anos, que morreu no Proncor no dia 25 de maio, os exames deram inconclusivos. A família da jovem não permitiu que fosse feita necropsia e a Secretaria de Saúde se baseou apenas no exame inicial de coleta de amostra de mucose, que não conseguiu confirmar a morte pela doença.

Homem de 42 anos morre na Santa Casa também sob suspeita de gripe A
Um homem de 42 anos morreu na madrugada desta terça-feira, na Santa Casa, com suspeita de gripe A. O caso já foi notificado e está sob investigação d...
Homem de 32 anos morre com sintomas de gripe na Santa Casa
Um homem de 32 anos morreu no início desta quarta-feira com sintomas de gripe na Santa Casa. César Mello Chaves saiu de casa ontem, por volta das 21h...
Este ano, Ministério já repassou 2.5 mi doses de antiviral contra H1N1
Depois de morte sob suspeita de gripe provocada pelo H1N1 em Mato Grosso do Sul, o Ministério da Saúde divulgou nota esclarecendo sobre repasses de m...


se alguem fora da iade que o governo acha que pode morrer de gripe
tiver a doença, deveria poder processar o mesmo.
 
Mario Antonio em 08/07/2013 13:52:08
Então eu mesma sou portadora de câncer de mama a três anos e meio (considera-se doentes crônicos pela doença) não consegui tomar a vacina, mandei e-mail para a saude, ouvidoria etc.
Nos postos de saude eles querem laudo do medico, nao os laudos de exames que comprovam que eu sou portadora da doença. Cade os profissionais que nao sabem avalliar caso a caso?
Deixei registrado em várias secretarias tanto no estado como no municipio, mas nao tive nenhuma resposta. ISSO É DEMOCRACIA!!!! ainda nao podemos cobrar por neglicencias da politica suja em nosso brasil.
 
selia matoso em 05/06/2013 13:30:44
LIGUEI HOJE NOS POSTOS DE SAÚDE LISTADOS NA REPORTAGEM E EM NENHUM AS VACINAS FORAM LIBERADAS PARA OS QUE NÃO ESTÃO NOS GRUPOS DE RISCO. PELO JEITO SÓ NA REDE PARTICULAR.
 
Samuel Andara em 05/06/2013 13:08:16
é vergonhoso... pagamos um absurdo de imposto e não temos o direito de receber uma vacina gratuitamente... nessas horas tenho vergonha do país que vivo!!!
 
marcia martins em 05/06/2013 12:45:23
Não bastasse postos de saúde sequer possuir a vacina contra o vírus H1N1, os que possuem estão restringindo horário de atendimento, inclusive às pessoas de risco (idosos, crianças e gestantes).

Absurdo às 'salas de vacina' funcionarem como se fossem verdadeiras empresas: das 7hs às 11hs e 13hs às 17hs. É isso que vem acontecendo em Campo Grande-MS.

Não dá para acreditar que hoje em Campo Grande um pai de família tem que tirar 10% do seu salárimo minimo para vacinar seu filho num Hospital particular porque não consegue atendimento nos Postos ....seja porque não tem a vacina perto de sua casa ou porque não estão atendendo fora do horário comercial

Onde está nosso direito à saúde, aquele previsto na Constituição Federal!!!!!
 
Jefferson Villa Nova em 05/06/2013 11:31:47
Quem pensa que se morre de gripe por não ter tomado vacina está muito enganado, vacina não protege ninguém, só enriquece a indústria famaceutica. Não acredita? Pesquisa para conhecer, a informação ta aí pra quem quiser.
 
Gilmar Praxedes em 05/06/2013 10:03:25
Esse é o nosso estado, vergonha
 
sílvia mota em 04/06/2013 22:42:42
a é tem? hum!!!! mas a população não pode tomar, isso é uma vergonha, presidiários ja estão imunizados enquanto crianças acima de 2 anos não tem direito a vacina...
 
jacquelaine da costa lima gutierres em 04/06/2013 17:53:30
Eu mesmo paguei 70 reais pela vacina pelo fato de não ter ainda 60 anos, mas acho uma injustiça quem não tem condição de pagar e não se enquadrar na gratuidade, porque os que podem na maioria das vezes não tomam a vacina dizendo que vão ficar doentes.
Dias desses a campanha não tinha atingido o objetivo, deveriam aplicar nos que procurassem e imunizar.
 
Juracy Ribeiro em 04/06/2013 16:34:07
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions