ACOMPANHE-NOS    
JANEIRO, QUINTA  27    CAMPO GRANDE 26º

Capital

Prefeito se reúne com motoristas de aplicativo e define regras para 2022

Projeto que ainda será votado na Câmara prevê exame toxicológico e curso para motoristas

Por Caroline Maldonado | 08/12/2021 12:02
Vereador Roberto Avelar (PSD), prefeito Marcos Trad (PSD) e diretor-presidente da Agetran, Janine de Lima Bruno, com representantes de motoristas de aplicativo. (Foto: Divulgação)
Vereador Roberto Avelar (PSD), prefeito Marcos Trad (PSD) e diretor-presidente da Agetran, Janine de Lima Bruno, com representantes de motoristas de aplicativo. (Foto: Divulgação)

Projeto com novas regras para o trabalho dos motoristas de aplicativo deve ser votado em regime de urgência pelos vereadores ainda neste mês para valer a partir de 2022. As regras seriam impostas anteriormente, mas foram suspensas em função da pandemia. Hoje, a pedido do vereador Roberto Avelar (PSD), o “Beto”, o prefeito Marcos Trad (PSD) recebeu representantes de motoristas para discutir o assunto.

De acordo com o vereador, que é líder do prefeito na Câmara Municipal, os motoristas listaram uma série de reivindicações que foram aceitas por Marquinhos.

O texto que seguirá para votação na Câmara prevê alteração de oito para dez anos do tempo máximo de fabricação do automóvel; obrigatoriedade de exame toxicológico aos motoristas e alteração do sistema de identificação. A lei atual prevê uma placa, enquanto o novo projeto prevê um cartão com QRCode.

Também está previsto mudar a forma de vistoria, que era feita por todas as empresas de aplicativos. A execução da vistoria ficará a cargo da Agetran (Agência Municipal de Transporte e Trânsito). Haverá ainda um curso para os motoristas de aplicativo, que deve ser gratuito ou com baixo custo.

Vereador Roberto Avelar (PSD), prefeito Marcos Trad (PSD) e diretor-presidente da Agetran, Janine de Lima Bruno. (Foto: Divulgação)
Vereador Roberto Avelar (PSD), prefeito Marcos Trad (PSD) e diretor-presidente da Agetran, Janine de Lima Bruno. (Foto: Divulgação)

Todas essas regras foram reivindicadas pelos representantes dos motoristas, segundo o vereador. “Uma vez que está para ser decretado o fim da calamidade, o projeto de lei dos motoristas de aplicativo tem que entrar em vigor. Só que os presidentes de sindicato, representantes, motoristas e principalmente os líderes de canaletas fizeram várias reivindicações, solicitando algumas mudanças no antigo projeto”, comentou o vereador.

Segundo Beto, as regras entram em vigor a partir de janeiro se o projeto for votado ainda neste mês na Câmara. “Para o curso que os motoristas terão que fazer, estamos estudando possibilidades com o Sest Senat e Funsat. É tudo pensando em prol da categoria, de forma a desonerar, pois hoje, eles já têm um problema muito sério com preço dos combustíveis e taxas dos aplicativos”, disse o vereador.

Em vídeo divulgado pelo parlamentar, logo após a reunião de hoje, que teve ainda a presença do diretor-presidente da Agetran, Janine de Lima Bruno, um dos motoristas agradece ao prefeito.

“Todas as nossas reivindicações foram aceitas, principalmente a do ano do veículo, pois muitos motoristas, devido à pandemia, não têm condições de comprar um carro mais novo. As demais reivindicações também foram aceitas, então, agradeço ao vereador Beto Avelar, ao Janine e prefeito”, disse o motorista de aplicativo Diego Raulino.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário