A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 11 de Dezembro de 2017

11/03/2016 14:50

Prefeito vai à Justiça contra vídeo que o desmente sobre piso de professores

Ricardo Campos Jr.

O prefeito de Campo Grande, Alcides Bernal (PP), processou a Fetems (Federação dos Trabalhadores em Educação de Mato Grosso do Sul) por ter desmentido a propaganda sobre o piso dos professores. A ação por dano moral foi protocolada na quinta-feira (10) e tramita na 14ª Vara Cível de Campo Grande.

A peça publicitária do município, veiculada em TV aberta, disse, entre outras coisas, que o salário inicial de um educador na Capital ultrapassa os R$ 5 mil.

Em resposta, a federação divulgou um vídeo afirmando que o valor correto é R$ 1.697,37 por 20 horas e ainda acrescentou trechos de um discurso feito por Bernal durante a campanha. Nas imagens, ele promete respeitar o piso nacional, respeitar e ouvir a categoria.

O prefeito afirma na ação que o material da entidade de classe teve o objetivo de difamá-lo e atingir a sua imagem pública. Diz ainda que o vídeo contém “inverdades ofensivas”, o que acarreta “grave lesão moral”.

Na visão do gestor municipal, “a liberdade de expressão não se confunde com os atos que vêm sendo praticados pela requerida (Fetems), que nada mais são do que ataques reiterados, regados a acusações falsas, totalmente infundadas e desarrazoadas, campanhas negativas, difamatórias, verdadeiros factóides políticos”.

Bernal também alega que as imagens do discurso dele colocadas no vídeo foram editadas de forma a difamá-lo.

O gestor sustenta que não tem problema algum em receber críticas, desde que sejam fundamentadas e “desprovidas de interesses mesquinhos”, o que, para ele, não é o caso da resposta da Fetems.

Assim, ele pede que a Justiça obrigue a entidade a retirar o material da internet e de todos os veículos de comunicação e a proíba de publicar conteúdo dessa natureza novamente, sugerindo multa de R$ 10 mil a R$ 300 mil em caso de descumprimento. O prefeito também pede indenização de R$ 50 mil por dano moral.

O presidente da Fetems, Roberto Botareli, diz estar tranquilo com relação ao processo. “Nós vamos fazer a nossa defesa. O que falamos não teve nenhuma mentira. Se alguém mentiu nessa história, não foi a federação. O piso do professor não é de cinco mil como ele diz”, afirma.

Sobre a suposta edição das falas de Bernal durante o discurso, o presidente diz ter a gravação original.

“Nós só lamentamos. Ele é um prefeito que não está cumprindo a lei, nem a federal, nem a municipal que ele mesmo é autor e ainda quer dar um cala a boca no sindicato, que não vai ficar quieto, vai reagir. Quem tentou passar uma imagem para a sociedade falando que os professores ganham cinco mil não fomos nós”, conclui.

Sem proposta de reajuste, Prefeitura fala em “boa vontade” com professores
A Prefeitura de Campo Grande não tem proposta para o reajuste dos professores da Reme (Rede Municipal de Ensino). Em nota na tentativa de explicar pr...
Em anúncio na TV, prefeitura afirma que não dará reajuste a professores
A prefeitura de Campo Grande afirmou nessa quinta-feira (3) que não concederá o reajuste aos professores da Reme (Rede Municipal de Ensino). O anúnci...


Gente. Só na cabeça desse prefeito mesmo que o povo vai acreditar que os professores da esfera municipal recebem mais de R$5mil. Os únicos que chegam a esse salário são uns poucos gatos pingados que conseguem gratificação depois de fazer mestrado e doutorado e isso depois de muitos anos. A grande maioria recebe somente o salário base e mesmo com especialização duvido que ultrapasse muito os R$ 1.697,37 informado pela federação.

Acorda Bernal. Isso é conversa pra boi dormir. Se os professores ganhassem mais de R$5mil não estavam fazendo greve e protestos. A Saúde e Educação nunca foi prioridade neste país. Basta olhar quantos por cento do PIB é destinado para essas duas áreas.
 
Douglas em 11/03/2016 17:35:17
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions