A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 11 de Dezembro de 2017

23/08/2013 17:07

Prefeitura admite falhas e adia entrega da Julio de Castilho, diz Conselho

Elverson Cardozo
Cruzamento da Julio de Castilho com a Capibaribe. (Foto: Marcos Ermínio)Cruzamento da Julio de Castilho com a Capibaribe. (Foto: Marcos Ermínio)

A inauguração da “nova” Avenida Julio de Castilho, marcada para esta segunda-feira (26), aniversário de 114 anos de Campo Grande, não vai ocorrer. A previsão é que a obra de revitalização seja entregue no final de setembro, mas ainda não há uma data definida. A informação é do presidente do Conselho Regional do Imbirussu, Elvis Rangel. “Eles admitiram várias falhas no projeto inicial”, resumiu.

O novo prazo foi estabelecimento, segundo ele, nesta quinta-feira (22) à noite, durante reunião extraordinária na Escola Municipal Irmã Irma Zorzi. O encontro reuniu, além do presidente do conselho, o secretário de obras, o presidente da Planurb (Instituto Municipal de Planejamento Urbano), representante da Agetran (Agência Municipal de Transporte e Trânsito), conselheiros, moradores e comerciantes da região.

A ideia era “passar uma régua na questão” para que o poder público resolvesse os problemas antes da inauguração. Com não há tempo hábil, ficou decidido, disse ele, que “vão fazer algumas adequações no projeto”, para proporcionar mais segurança na avenida.

Mudanças - Elvis afirma que a rua Tordesilhas, paralela à Julio de Castilho que, durante a obra – e depois – virou mão única e linha de ônibus, será readequada. A mudança será feita a pedido de moradores que reclamam do fluxo intenso. O movimento coloca em risco os estudantes da Escola Irmã Irma Zorzi e os pacientes de um posto de saúde.

Outro ponto que será modificado é a rua Yokoama. O projeto inicial prevê, segundo o presidente, que a via seja transformada em mão única. A notícia não agradou e, depois de vários pedidos, ficou definido que o sentido único será restrito apenas à primeira quadra, o que obriga, também, a mesma alteração na rua Mirada.

O presidente informou, ainda, que a prefeitura admitiu falhas no projeto inicial. Ele cita como exemplo, relatado durante a reunião, a compra de placas, mas a falta de postes para fixar a sinalização na via. Também concordaram, acrecentou, que os bueiros estão abaixo do nível do asfalto e que o piso tátil precisa ser readequado.

“Foi feita uma mudança de fiscal e eles estão providenciando os consertos. Estamos acompanhando isso com a comissão, para informar qualquer irregularidade”, concluiu.

A assessoria de imprensa da Prefeitura informou que ainda não há um prazo definido para a entrega da obra e que os detalhes referentes à alteração não poderiam ser repassado de imediato.



" Falhas no projeto inicial????? Parece que há falhas em todos os projetos, do começo ao fim!!! A Júlio de Castilho ficou uma B......!!!!!! Mobilidade urbana? Nenhumaaaa!!! É um tal de faz e desfaz, quebra e conserta que dá nojo de ver nosso dinheiro sendo jogado fora assim, na nossa cara!!! Qualquer reformazinha que fazemos em nossas casas já fica um absurdo! Imagina uma avenida inteira, sem contar nas ruas que a cruzam!! Aliás, pelo tal do "projeto inicial", não era pra Júlio ficar igual à Zahran????"
 
Silvana Gomes em 23/08/2013 20:03:19
Há falhas em toda extensão da av.( onde fora reformada ), na cabeça de boi por ex. os coletivos(principalmente) que vêm da av. Duque Caxias e vão subir a Júlio, são obrigados a tomar toda pista da direita p/ fazer a manobra, pois a ponta do canteiro central , ficou muito longa, obrigando os mesmos à fecharem os demais veículos que transitam pela sua direita, fato semelhante, ocorre também no cruzamento c/ a rua dos Andradas, o formato do canteiro sinaliza totalmente p/ à direita( dá impressão que só pode seguir p/ direita) sobrando uma ponta do canteiro ( isolada) que atrapalha a manobra dos carros que vão virar p/ à esq. Enfim, as reformas, ficaram esquisitas, parece que foram realizadas por pessoas leigas, que não têm noção nenhuma de trânsito e qto menos de obras e reformas.
 
waldomiro ajala em 23/08/2013 19:58:50
Falhas é apelido né
 
Letícia Diaz em 23/08/2013 19:53:44
Se admitirem todas as falhas no trânsito dessa cidade vamos todos começar a andar a pé.
Se tem uma coisa em Campo Grande que é Nulo é logística e planejamento no trânsito. É talvez o pior trânsito do Brasil. Sem falar na qualidade do asfalto que é péssima. tem buracos e remendos piores que os próprios buracos.
trânsito tosco, interiorano.
 
Fabiano Pontes em 23/08/2013 17:20:16
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions