A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 25 de Abril de 2019

22/11/2018 15:58

Prefeitura espera recapear 285 km de ruas de Campo Grande em 2 anos

Obras vão atingir algumas das principais ruas da Capital e corredores de transporte público; PAC, BNDES, emendas e governo estadual estão entre fontes de recursos

Humberto Marques
Diferentes fontes de recursos federais, estadual e de concessionária vão bancar revitalização de pavimento. (Foto: PMCG/Divulgação)Diferentes fontes de recursos federais, estadual e de concessionária vão bancar revitalização de pavimento. (Foto: PMCG/Divulgação)

A Prefeitura de Campo Grande planeja recapear, com o aporte de recursos federais, 285 quilômetros de recapeamento de ruas no município nos próximos dois anos, incluindo o quadrilátero central, corredores de ônibus e ruas consideradas estratégicas ao sistema viário –de acesso aos núcleos urbanos mais populosos. Em 21 meses, foram recuperados 45 quilômetros de vias por meio de recapeamento e microrrevestimento.

Engenheiros da Sisep (Secretaria Municipal de Infraestrutura e Serviços Públicos) trabalham no detalhamento de projetos, que receberão recursos do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) Pavimentação, Projeto de Mobilidade Urbana, verbas do OGU (Orçamento Geral da União) vindas de emendas da bancada federal e financiamento do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social), no momento em contratação.

O governo do Estado, via parcerias, e a Águas Guariroba, por meio do ressarcimento de estragos causados com a abertura de valetas para obras nas redes de água e esgoto, também bancarão as obras.

R$ 40 milhões – Só o PAC Pavimentação prevê cerca de R$ 40 milhões, suficientes para 40 quilômetros de recapeamento em regiões como o Nova Lima (onde já é feita a duplicação da Avenida Zulmira Borba e refeito o asfalto da Cônsul Assaf Trad, da rotatória do anel viário à Avenida marques de Herval, próxima a receber o mesmo serviço junto com a Rua Jerônimo de Albuquerque.

Avenida Bandeirantes será recuperada, licitação já foi homologada. (Foto: PMCG/Divulgação)Avenida Bandeirantes será recuperada, licitação já foi homologada. (Foto: PMCG/Divulgação)

No Complexo Altos do São Francisco, a Avenida Euler de Azevedo passa neste momento por recape entre as rotatórias das Avenidas Presidente Vargas e Ernesto Geisel. Na mesma região, foram concluídas obras na Rua Fernando de Noronha e na Avenida Tamandaré.

Outras frentes de serviço atuam nos bairros José Tavares do Couto, Atlântico Sul, Residencial Bellinate, Nova Campo Grande, Santa Luzia e Jardim Anache –onde o asfalto da Rua Lino Villachá (acesso ao Hospital São Julião) será refeito.

O contrato de financiamento com a Caixa Econômica Federal prevê destinar até 20% dos recursos para a restauração de pavimentos.

Mobilidade – Com recursos do PAC Mobilidade Urbana já contratados, serão feitos outros 30 quilômetros de recuperação viária. No Corredor Sudoeste do transporte coletivo da Capital –onde há obras nas Ruas Guia Lopes, Brilhante e Marechal Deodoro–, está prevista a recuperação total da Avenida Bandeirantes, com a licitação já homologada.

A prefeitura também fará a recuperação da Rua Bahia, cuja concorrência está em andamento, e das Avenidas Calógeras, Costa Silva e Gury Marques –entre os terminais Guaicurus e Morenão, no corredor sul. A Costa e Silva terá seus 4,3 quilômetros recuperados, ao custo de R$ 8 milhões.

Cônsul Assaf Trad teve asfalto refeito. (Foto: PMCG/Divulgação)Cônsul Assaf Trad teve asfalto refeito. (Foto: PMCG/Divulgação)

Projeto enviado ao BNDES também prevê a revitalização de quilômetros da Gury Marques, do terminal Guaicurus à entrada das Moreninhas, ao custo de R$ 18 milhões. O trecho inicial da avenida, com 5,93 quilômetros (nas quatro pistas somadas), do terminal à Via Morena, será recuperado por meio do PAC Mobilidade Urbana.

Também estão previstas obras em quatro quilômetros da Rua Rui Barbosa, entre a Rua Carlinda Tognini e a Avenida Mato Grosso, orçadas em R$ 10 milhões; em 1,7 km da Avenida Coronel Antonino, da Rua Alegrete à Cônsul Assaf Trad, ao custo de R$ 4 milhões; e em toda a extensão da Rua Alegrete, também em 1,86 quilômetro da via (da Assaf Trad à Rua 25 de Dezembro), mas ao custo de R$ 14 milhões –custo mais alto em razão da rede de drenagem, construída para acabar com alagamentos naquela região.

A 25 de Dezembro também está incluída no projeto, sendo previstos R$ 5 milhões para revitalizar 2,07 km da Rua Alegrete à Avenida Afonso Pena. As obras serão custeadas com parte do financiamento de R$ 100 milhões junto ao BNDES, totalizando 36 quilômetros de vias revitalizadas.

Outros R$ 28 milhões em emendas de bancadas, com liberação obrigatória, vão assegurar mais 43 quilômetros de recapeamento. Já os recursos do governo estadual e da Águas Guariroba vão ser usados para revitalizar 121 quilômetros de ruas.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions