ACOMPANHE-NOS    
SETEMBRO, QUINTA  16    CAMPO GRANDE 29º

Capital

Prefeitura mantém valor de contrato e quer início de obras em fevereiro

Convênio permanecerá em R$ 24 milhões para recapeamento de ruas

Por Mayara Bueno e Richelieu de Carlo | 27/01/2017 12:21
Equipe da prefeitura e Exército estavam reunidos na Caixa. (Foto: Marcos Ermínio).
Equipe da prefeitura e Exército estavam reunidos na Caixa. (Foto: Marcos Ermínio).
Secretário de Governo, Antônio Lacerda. Ele disse que prefeitura não cogita diminuir preço de contrato. (Foto: Marcos Ermínio)
Secretário de Governo, Antônio Lacerda. Ele disse que prefeitura não cogita diminuir preço de contrato. (Foto: Marcos Ermínio)
Coronel Marcelo Guedon, do Exército, estima início de obras em fevereiro. (Foto: Marcos Ermínio).
Coronel Marcelo Guedon, do Exército, estima início de obras em fevereiro. (Foto: Marcos Ermínio).

A Prefeitura de Campo Grande vai manter o contrato com o Exército, para recapeamento do corredor sudoeste do transporte coletivo, em R$ 24 milhões, e quer que as obras comecem em meados de fevereiro, afirmou o secretário de Governo, Antônio Lacerda. Até então, o Município falava em tentar reduzir o preço, mas o Exército afirmou que isso só seria possível se reduzissem os serviços.

Nesta sexta-feira (27), além de Lacerda, participaram de uma reunião na CEF (Caixa Econômica Federal) o secretário de Obras, Rudi Fiorese, e o coronel Marcelo Guedon. O encontro foi para verificar a situação da aprovação do projeto técnica do plano do Exército, que está pendente para revisão da Caixa.

“Não está sendo cogitada a possibilidade de diminuir o preço”, afirmou, explicando que o preço do contrato é de R$ 24.46.944,07, mas que faz parte de uma proposta “mais ampla, cujo total é de R$ 110 milhões”. Quando o projeto estiver pronto é que o Município analisará alguns serviços que podem ser cortados.

Temendo que o valor possa aumentar, caso as obras demorem para começar, o secretário afirma que a prefeitura quer iniciá-las “até 15 de fevereiro”.

O coronel do Exército a prefeitura demonstrou “uma firme intenção de prosseguir com as obras”, confirmando o preço de R$ 24 milhões. Ele também estima que as obras comecem até o fim de fevereiro, com equipes e máquinas nas ruas. No “pico” da execução do contrato, o Exército deve colocar 150 militares trabalhando nas ruas.

A prefeitura firmou convênio no dia 25 de agosto do ano passado para que o Exército executasse o recapeamento das avenidas Bandeiranntes, Marechal Deodoro e ruas Brilhante e Guia Lopes.

Pelo acordo, o município repassa os recursos para custear a troca da pavimentação, enquanto a mão de obra e equipamentos é oferecida pelos militares. Além disso, a compra do material também fica sob a responsabilidade do CMO (Comando Militar do Oeste).

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário