ACOMPANHE-NOS    
AGOSTO, QUARTA  17    CAMPO GRANDE 23º

Capital

Prefeitura nega ter aplicado doses de vacina contra covid de adulto em crianças

Secretaria Municipal de Saúde afirma não ter sido notificada pela AGU e ficou sabendo de dados pela imprensa

Por Gabriela Couto e Caroline Maldonado | 20/01/2022 09:57
Vacinação das crianças em ponto de imunização da Capital. (Foto: Lucimar Couto)
Vacinação das crianças em ponto de imunização da Capital. (Foto: Lucimar Couto)

A prefeitura de Campo Grande afirmou não ter sido notificada até o momento pela AGU (Advocacia Geral da União), sobre qualquer caso das 280 crianças de 5 a 11 anos vacinadas com imunizantes da Pfizer de dosagem para adultos. A Sesau (Secretaria Municipal de Saúde) negou a informação e disse que irá buscar a origem dos dados divulgados na imprensa.

“Não temos o conhecimento de nenhuma vacina de adulto em criança aplicada na Capital. Não fomos notificados pela AGU até o momento e não sabemos de onde tiraram esses dados”, afirmou o secretário-adjunto municipal de Saúde, Rogério Marcio Souto.

Até o momento, a pasta não foi procurada para esclarecer os dados retirados da RDNS (Rede Nacional de Dados em Saúde). O sistema é alimentado pelos estados e municípios e pode conter erros, já que a inclusão é feita manualmente.

“Ninguém nos procurou e o que está valendo é o posicionamento da SES (Secretaria de Estado de Saúde). Vamos buscar saber de onde saíram essas informações. Mas pela nossa experiência, quando tem um caso de erro assim, a gente fica sabendo na hora. Então, não ocorreu isso”, assegurou Rogério.

Outro ponto importante destacado pela superintendente de Vigilância da Sesau, Veruska Lehdo, é que no relatório, não foram citadas as cidades que teriam cometido o erro. “A AGU não cita municípios, então, não temos como saber se isso envolveria Campo Grande, mas o fato é que não temos nenhum relato disso. Então, estamos analisando para descobrir de onde veio essa informação.”

Vale destacar que a diferença de um frasco para o outro está somente na coloração das tampas das ampolas com doses. Uma é laranja e a outra é roxa. Além disso, o percentual da dosagem é diferente, bem como a fórmula da vacina da Pfizer.

De acordo com o AGU, em todo o Brasil, haveria 57.147 crianças e adolescentes imunizados com doses para adultos – não apenas da Pfizer. Tais doses não são autorizadas para aplicação em menores de 18 anos pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária).

Além de 280 crianças em MS que teriam recebido imunizante Pfizer destinado a adultos, outras 711 teriam tomado doses de Coronavac, Astrazeneca e Janssen, além de mais 43, que nem idade para receber vacina contra a covid-19 teriam, já que se tratam de crianças entre 0 e 4 anos, totalizando 1.034.

Os números coletados pela AGU foram encaminhados ao STF (Supremo Tribunal Federal) em manifestação pelo advogado-geral da União, Bruno Bianco. O documento foi enviado ao ministro Ricardo Lewandowski na terça-feira (18).

Nos siga no Google Notícias