A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017

06/01/2012 19:46

Prefeitura orienta comerciantes para regularização de atividades em feiras

Viviane Oliveira

Os feirantes devem procurar a Central de Atendimento ao Cidadão e falar com a Semadur

Segundo a prefeitura a feira do bairro Paulo Coelho Machado não está regularizada. (Foto: Pedro Peralta) Segundo a prefeitura a feira do bairro Paulo Coelho Machado não está regularizada. (Foto: Pedro Peralta)

Campo Grande hoje tem 55 feiras livres regularizadas pela Semadur (Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbano). De acordo com a prefeitura, para regularizar uma feira os trabalhadores precisam procurar a Central de Atendimento ao Cidadão para dar início ao processo de autorização.

Conforme a prefeitura, a primeira providência para quem quer formar uma feira é se reunir e levar uma relação com a quantidade de bancas, no mínimo 50, para análise da Semadur. Os feirantes vão trabalhar por 90 dias em caráter experimental e depois de 15 dias sai à liberação. Cada feirante tem que fazer um requerimento individual.

Os feirantes devem procurar a Central de Atendimento ao Cidadão e falar com a Semadur. Com a documentação regularizada os trabalhadores podem dar entrada na Enersul (Empresa Energética de Mato Grosso do Sul) para solicitar energia elétrica.

Caso - Os 140 feirantes no bairro Paulo Coelho Machado, em Campo Grande, que tiveram as atividades paralisadas pela Enersul na última-quarta-feira (4), por furtar energia elétrica, não estavam regularizados junto a Semadur.

De acordo com a prefeitura, os trabalhadores que ficam na esquina da rua Lorenzo Torres Cintra com a avenida dos Cafezais, já entraram com processo de regularização, mas não deram andamento para exigência que a Semadur pede para regularizar.

A assessoria de imprensa da Enersul informou que um padrão coletivo de energia elétrica é instalado para os feirantes, mas para isso eles precisam estar regularizados pela prefeitura.

Os trabalhadores contam que a feira existe no local há 10 anos. Eles afirmam que não se negam a pagar a energia que consomem, porém, necessitam de uma autorização da prefeitura para que a Enersul instale a CP Rede, padrão coletivo para os feirantes.

Conforme os técnicos que estiveram no local, os feirantes fazem um emaranhado de fios que oferece riscos à população. Vários moradores disseram ter perdido eletrodomésticos, como TV e geladeira, quando a energia é puxada pelos trabalhadores.



Concordo com Antonio Costa sujeira mesmo "tá loco" parecem porcos. Prefeitura fiscalize código de conduta de municipio.
 
Joao Batista em 07/01/2012 12:38:51
Bem que a prefeitura poderia fazer uma campanha para que os donos de barracas das feiras, não jogasse os restos de mercadorias no chão, aqui no copavilla 2, quando tem feira, no outro dia dá até dó dos garis de tanta sujeira e lixo jogado pelos feirantes,bem que els podiam armazenar em caixas ou saco plástico o resto de mercadorias e contribuir com a limpeza.É uma vergonha tanta sujeira!
 
antonio costa em 07/01/2012 09:52:24
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions