ACOMPANHE-NOS    
JULHO, SEXTA  10    CAMPO GRANDE 24º

Capital

Prefeitura pagará R$ 3 milhões por luvas cotadas em valor 3 vezes menor

Fornecedor pediu reajuste e caixas com equipamento de proteção sairão o triplo do valor combinado há 7 meses

Por Anahi Zurutuza | 05/06/2020 16:41
Trabalhadora usa luva para proteção (Foto: Henrique Kawaminami/Arquivo)
Trabalhadora usa luva para proteção (Foto: Henrique Kawaminami/Arquivo)

A Prefeitura de Campo Grande reajustou contrato com fornecedora de materiais hospitalares e pagará o triplo do acordado inicialmente por caixas de luvas cirúrgicas. O aditivo, que faz o que resta a pagar pelos equipamentos subir de R$ 1.132.529,30 para R$ 3.149.898,37, foi publicado no Diário Oficial do Município desta sexta-feira (5).

Vencedora da licitação da modalidade ata de registro de preços, a MG Hospitalar, empresa do Paraná, foi contratada em outubro do ano passado para vender as caixas de luva tamanho P por R$ 14,35 e cobraria R$ 15 por 50 pares tamanhos M e G. A empresa, contudo, com a chegada da pandemia do novo coronavírus, pediu para reajustar os valores e a prefeitura aceitou pagar R$ 39,89 e R$ 41,35, respectivamente, pelos mesmos produtos.

Por meio da assessoria de imprensa, a Sesau (Secretaria Municipal de Saúde), responsável pela compra, informou que o fornecedor justificou o aumento pela “indisponibilidade do produto no mercado provocada pela alta demanda”.

A Sesau informou ainda que tentou negociar, a empresa não aceitou baixar os valores, mas no fim das contas, decidiu manter a compra com este fornecedor porque em outras cotações o valor apresentado era maior ainda.

“Esse processo chegou a ser alvo de liminar requerendo a manutenção do preço inicial, porém as justificativas cabíveis foram apresentadas, tendo o município, por sua vez, optado por manter a compra com a referida empresa, pois os valores apresentados em um novo pregão eram ainda superiores, portanto sendo tal manutenção economicamente mais vantajosa”, explicou em nota.

Consta no Portal da Transparência da prefeitura, que dos R$ 1.826.278,35 contratados inicialmente com a MG Hospitalar, o município já havia pago R$ R$ 628.706,95.  As luvas são para abastecer os postos de saúde.