ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
JUNHO, TERÇA  18    CAMPO GRANDE 21º

Capital

Prefeitura remove últimos vagões abandonados da Orla Ferroviária

Corredor gastronômico foi inaugurado em 2012 e não tem previsão de ser revitalizado

Adriel Mattos | 10/01/2022 08:55
Local onde estava vagão abandonado. (Foto: Mariely Barros)
Local onde estava vagão abandonado. (Foto: Mariely Barros)

A prefeitura de Campo Grande removeu no domingo (9), os dois últimos vagões abandonados da Orla Ferroviária. As estruturas foram retiradas por uma equipe da Semadur (Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Gestão Urbana).

Os vagões estavam entre a Avenida Afonso Pena e a Rua Barão do Rio Branco e serviam de abrigo para moradores em situação de rua e usuários de droga. O corredor gastronômico foi ativado em 2013, quando nove vagões foram alugados a comerciantes, por valores de R$ 1.200 a R$ 2 mil.

Nas cores verde e vermelha, os vagões eram dotados de infraestrutura básica: banheiro, cozinha e instalações de energia elétrica, água e esgotamento sanitário. Gradualmente abandonados, os vagões foram ocupados por usuários de drogas e incêndios se tornaram recorrentes. A partir de 2019, a maioria das estruturas foi retirada.

Remoção foi no domingo. (Foto: Reprodução/Instagram)
Remoção foi no domingo. (Foto: Reprodução/Instagram)

Com custo de R$ 4,8 milhões, a Orla Ferroviária foi inaugurada em dezembro de 2012. O corredor e estende por 900 metros, da Avenida Afonso Pena, a partir da Morada dos Baís, até a Avenida Mato Grosso.

Um contêiner, sem identificação, serve de base da Guarda Civil Metropolitana. Com um agente, a base parece tentativa para inibir vandalismo contra o Monumento da Maria Fumaça, uma locomotiva de 20 toneladas, que chegou à Avenida Mato Grosso com a Calógeras em 2018.

Sem futuro – O crônico abandono da Orla Ferroviária entra em 2022 sem previsão de melhoras. “Realmente, não está sendo bem aproveitada, mas não tem nenhum projeto de novos investimentos”, afirma o titular da Sisep (Secretaria de Infraestrutura e Serviços Públicos), Rudi Fiorese.

Na região, o único projeto previsto é a reforma da Praça Aquidauana. A orla também não deve virar rua ou estacionamento. “Teve essa discussão, mas a Agetran [Agência Municipal de Transporte e Trânsito] entende que o pavimento ali, o petit-pavé, não foi feito para trânsito de veículos”, diz o secretário.

Nos siga no Google Notícias