ACOMPANHE-NOS    
OUTUBRO, QUINTA  21    CAMPO GRANDE 22º

Capital

Prefeitura estuda reduzir toque de recolher daqui a 15 dias

Expectativa é flexibilizar se números da covid continuarem caindo, ressaltou Marquinhos

Por Nyelder Rodrigues e Bárbara Cavalcanti | 23/07/2021 18:20
Prefeito frisa que próxima reunião de comitê da covid pode mudar o toque de recolher na cidade (Foto: Paulo Francis/Arquivo)
Prefeito frisa que próxima reunião de comitê da covid pode mudar o toque de recolher na cidade (Foto: Paulo Francis/Arquivo)

O prefeito Marquinhos Trad (PSD) revelou durante visita a curso de capacitação da Funsat (Fundação Social do Trabalho) e da Sectur (Secretaria Municipal de Cultura e Turismo) que o toque de recolher será rediscutido em Campo Grande daqui 15 dias, quando o grupo técnico da pandemia de covid-19 irá se reunir.

De acordo com a fala do chefe do Executivo municipal para o Campo Grande News, a situação do município será reavaliada pelos integrantes em reunião e pode haver mudança no toque de recolher, atualmente às 23h, apesar da cidade estar na bandeira vermelha do Prosseguir (Programa de Saúde e Segurança na Economia).

"A expectativa é de que, se os números [relativos à covid-19 em Campo Grande] continuarem a cair como estão caindo, vamos flexibilizar sim o horário", explica o prefeito, sem dar mais detalhes se pode ocorrer ou não uma extinção da medida.

Já questionado sobre a liberação de eventos, Marquinhos disse que ainda não há nenhuma definição sobre a situação. Mais cedo, o Campo Grande News trouxe matéria destacando que não há pressa da prefeitura para regulamentar a questão.

Conforme boletim fechado às 15h47, a covid é responsável hoje na Capital por 309 internações, sendo 187 delas em leitos clínicos, uma no PAM (Pronto Atendimento Médico) e outras 121 em UTIs (Unidades de Tratamento Intensivo) - 70 estão em leitos localizados em hospitais públicos, enquanto 51 estão em hospitais particulares.

Ao todo, Campo Grande já teve 124.803 casos confirmados de covid-19, somando 3.649 mortes em um ano e quatro meses de pandemia. Há ainda os casos suspeitos, que acumulam 2.045, estando praticamente 60% em análise no Lacen (Laboratório Central), enquanto os outros 40% ainda aguardam encerramento no sistema de saúde.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário