A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 20 de Setembro de 2018

08/03/2018 14:41

Presos em churrasco para festejar roubos atiraram em vítima durante crime

Dois dos suspeitos preso em janeiro deste ano foram identificados pela Derf como autores de uma tentativa de latrocínio

Geisy Garnes
A dupla foi reconhecida pela vítima como autora da tentativa de latrocínio (Foto: Divulgação) A dupla foi reconhecida pela vítima como autora da tentativa de latrocínio (Foto: Divulgação)

A Derf (Delegacia Especializada de Roubos e Furtos) identificou Welysson Marcondes dos Santos e Michael Petrovich de Souza, como autores de uma tentativa de latrocínio em dezembro do ano passado, no Bairro Universitário, em Campo Grande. Os suspeitos estão presos desde janeiro, quando foram flagrados pela Polícia Militar com celulares roubados.

O crime aconteceu no dia 15 de dezembro, quando os dois suspeitos, em uma Honda Titan verde, abordaram a vítima na Rua João Maiolino. O passageiro da moto desceu e com um arma exigiu o celular da vítima, que reagiu, deu um tapa na arma e entrou em luta com o assaltante.

O suspeito, depois identificado como Welysson, conseguiu se desvencilhar e disparou duas vezes contra a vítima. Um dos tiros transfixou o ombro do homem. que foi socorrido para uma unidade de pronto atendimento e depois transferido a um hospital particular.

De acordo com o delegado Reginaldo Salomão, a tentativa de latrocínio - roubo seguido de morte - era investigada pela delegacia especializada quando a dupla foi presa, com outros três comparsas, por uma série de roubos de celulares. O flagrante feito pelo Batalhão de Choque foi divulgado pelo Campo Grande News e um detalhe na matéria chamou atenção da equipe de investigação: a apreensão de uma motocicleta Titan 125 verde.

A partir daí, os policiais cruzaram os dados do setor de análise da Derf e descobriram vários roubos feitos com a mesma motocicleta. A vítima da tentativa de latrocínio foi chamada para um primeiro reconhecimento dos suspeitos, e por foto identificou Welysson, conhecido como Fissura, como autor dos disparos no dia do crime.

O homem ainda fez o reconhecimento pessoal dos suspeitos, e mais uma vez apontou a dupla como autora da tentativa de latrocínio. Conforme Salomão, Michael, conhecido como Oitavo Anjo, negou participação no crime e afirmou que o condutor da moto na data era Francisco André Ferreira Amâncio, também preso em janeiro.

Francisco também negou o crime, mas Welysson, vulgo Fissura, confessou o crime e a propriedade da moto. A dupla foi indiciada por latrocínio na forma tentada.

A quadrilha foi presa na madrugada do dia 19 de janeiro pelo Batalhão de Choque (Foto: Divulgação)A quadrilha foi presa na madrugada do dia 19 de janeiro pelo Batalhão de Choque (Foto: Divulgação)

Prisão - Equipe do Batalhão de Choque fazia rondas na Vila São Jorge da Lagoa, quando abordou Welysson e Francisco em uma motocicleta preta com placa adulterada, chassi e numeração do motor raspados. Com eles foram encontrados dois celulares, que ambos confessaram ter roubado minutos antes de duas mulheres.

A partir da prisão dos suspeitos, os policiais chegaram ao resto da quadrilha. Michael, Gabriela Andresa Lopes Cabanha, 19 anos e Natália Rojas Pinheiro, 19 anos, foram presos em uma casa no Portal Caiobá II enquanto faziam um churrasco para comemorar os roubos e as vendas dos dias anteriores.

No flagrante, Michael confessou que a arma utilizada por Welysson e apreendida pelos policiais era dele e que as duas meninas, Natália e Gabriela eram responsáveis por comercializar os aparelhos roubados via Whats App e Facebook.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions