A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 25 de Junho de 2018

16/03/2011 11:07

Processo para escolher conselheiros tutelares cancelado desrespeitava leis

Marta Ferreira

O processo de seleção de novos conselheiros tutelares em Campo Grande estava em desacordo com as leis que regem o assunto, informou nesta manhã o promotor Paulo Henrique Iunes, que expediu a recomendação pedindo o cancelamento do procedimento de escolha dos novos conselheiros. A medida, acatada no dia 10 de março pelo CMDCA (Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolecente), responsável pela seleção, foi tornada pública hoje no Diário Oficial de Campo Grande.

O promotor explicou ao Campo Grande News que recebeu uma reclamação contra o processo seletivo e , a partir dela, foram analisados as regras e identificados itens que significam descumprimento tanto do ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente), que criou os conselhos tutelares para proteger os direitos da infância e adolescência, quanto da lei municipal de 2007 que estabeleceu regras para a escolha dos integrantes dos órgãos.

Em resumo, conforme o promotor, o edital teve exigências além do que a lei prevê, como a realização de um curso de formação entre os candidatos, e ainda a exigência de tempo de domicílio em Campo Grande, o que não está previsto legalmente.

“O edital não pode prever algo que a lei não estabelece”, afirmou o promotor.

A deliberação do CMDA que cancelou o processo seletivo se baseia, além da recomendação do promotor, em parecer da Procuradoria Jurídica do Município.

O texto não cita os problemas apontados pelo promotor, mas apenas o fato de haver candidatos em número insuficiente para o funcionamento dos conselheiros. São 15 vagas de titular e 30 de suplentes, mas apenas 28 candidatos foram aprovados.

Caso a recomendação do MPE(Ministério Público Estadual) não fosse seguida, caberia a proposição de ação civil pública, mas segundo o promotor, houve boa vontade no sentido de “consertar” os equívocos cometidos na elaboração dos editais.

Imblóglio desde o começo-A votação para a definição dos conselheiros tutelares estava marcada para 10 de abril. O processo tem polêmica desde o início.

Primeiro, os candidatos reclamaram das provas, consideradas muito fáceis para o nível exigido, superior. Depois, foi necessário prorrogar o mandato dos atuais conselheiros, devido ao atraso na realização da etapa de votação.

O mandato dos conselheiros, que é de 3 anos, terminou no dia 3 de março, mas acabou sendo prorrogado para 25 de abril.

Com o cancelamento da votação, a situação agora está mais indefinida ainda.

O Campo Grande News tentou falar com o presidente do CMDCA, Donizetti Alves de Oliveira, mas ele não foi localizado por telefone.

Com candidatos de menos, eleição para conselheiro tutelar é cancelada
Após polêmica envolvendo as provas de seleção e a prorrogação do mandato dos atuais conselheiros tutelares em Campo Grande, o processo de escolha dos...
Justiça considera concorrência desleal pesquisar preços no comércio vizinho
Pesquisa de mercado foi considerada "concorrência desleal" em decisão do TJMS (Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul). Isso depois que rede de ma...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions