ACOMPANHE-NOS    
DEZEMBRO, QUARTA  08    CAMPO GRANDE 29º

Capital

Professores esperam documento de Olarte afirmando retomada de negociações

Por Flávia Lima e Juliana Brum | 19/06/2015 12:53
Professores acamparam esta semana em frente a prefeitura. (Foto:Marcelo Calazans)
Professores acamparam esta semana em frente a prefeitura. (Foto:Marcelo Calazans)

Os professores em greve da rede municipal aguardam na tarde desta sexta-feira (19), documento assinado pelo prefeito Gilmar Olarte (PP), em que ele se compromete a retomar as negociações salariais com a categoria a partir de julho. A informação é do vereador e presidente da Câmara, Mario Cesar (PMDB), que conversou com o prefeito na manhã de hoje.

O vereador tem encontro agendado com Olarte no início da tarde para tratar sobre a questão e na sequência, por volta das 15 horas, deverá levar o documento até a sede da ACP (Sindicato Campo-grandense dos Profissionais da Educação).

No documento, os docentes querem que o prefeito se comprometa em cumprir a lei municipal 5.411/14 e lei federal 11.738/08 que estabelecem a aplicação da correção anual do piso nacional ao piso dos professores municipais.

"Vimos como um avanço esse documento porque o prefeito ainda não havia sinalizado com a retomada das negociações", disse o presidente da ACP, Geraldo Gonçalves. 

Ele ainda afirmou que a proposta intermediária que seria negociada hoje foi suspensa até a retomada das conversas. O presidente da Câmara encabeça a negociação.

Até ontem, a prefeitura havia oferecido reajuste de 8,50% contra 13,01% da categoria. A greve começou em 25 de maio e desde então, os professores já lotaram a Câmara Municipal, protestaram em frente à prefeitura, fecharam a Avenida Afonso Pena e ontem tomaram café da manhã em frente a casa do prefeito Gilmar Olarte.

A prefeitura alega que gasta R$ 40,4 milhões com a folha de pagamento do magistério e há professor com remuneração de quase R$ 18 mil. Ontem, segundo o poder público, 83% das escolas funcionaram normalmente.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário