ACOMPANHE-NOS    
SETEMBRO, TERÇA  28    CAMPO GRANDE 32º

Capital

Promotoria quer investigação sobre PMs que atenderam ocorrência

Por Aline dos Santos | 04/01/2017 12:56
Crime e acidente foi na avenida Ernesto Geisel. (Foto: Simão Nogueira)
Crime e acidente foi na avenida Ernesto Geisel. (Foto: Simão Nogueira)

Além de pedir a prisão preventiva do policial rodoviário federal que matou um empresário após briga de trânsito em Campo Grande, o MPE (Ministério Público Estadual) requisitou à Polícia Civil a instauração de inquérito para apurar eventuais crimes de prevaricação e favorecimento pessoal dos policiais militares e demais pessoas que compareceram ao local dos fato.

Segundo o Ministério Público, além de não haverem dado voz de flagrante ao autor, permitiram que se evadisse do local. “No mais, relativamente ao policiais militares José Casupacio Andrade e Ianderson de Souza Queiroz, pelo crime de falso testemunho, por haverem narrado que o autor estava fardado quando chegou ao local do crime, sendo que a imagem de populares apontam que ele utilizava uma camisa listrada e apenas a calça da corporação”, solicitou o MPE.

Os fatos também foram comunicados ao Grupo de Atuação Especial de Controle Externo da Atividade Policial, órgão do MPE que atualmente está no recesso forense.

Preventiva - O Ministério Público pediu à Justiça que seja decretada a prisão preventiva do policial rodoviário federal Ricardo Hyun Su Moon, 47 anos. No último sábado (31), ele matou o empresário Adriano Correia do Nascimento, 33 anos, após briga no trânsito, na avenida Ernesto Geisel, em Campo Grande. Na ocasião, o policial chegou a ser preso, mas foi solto no dia seguinte (1º de janeiro). Ricardo alega que agiu em legítima defesa.

Segundo o MPE, apesar do registro informar que Ricardo foi conduzido pela PM (Polícia Militar), ele compareceu à delegacia de forma espontânea, onde recebeu a voz de prisão em flagrante. Também é destacado que o crime foi às 5h40 e o depoimento do policial foi encerrado às 12h55. Para a promotoria, “indício de que houve atuação irregular” em favor de Ricardo.

O policial conduzia uma Mitsubishi Pajero e efetuou disparos contra uma Hilux. O condutor da caminhonete foi atingido, perdeu o controle da direção e o veículo atingiu um poste de iluminação pública. Duas pessoas que estavam na caminhonete com a vítima ficaram feridas e foram socorridas.

A reportagem entrou em contato com a assessoria de imprensa da Polícia Militar e aguarda retorno da solicitação feita por e-mail.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário