A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 14 de Dezembro de 2017

02/03/2016 17:38

Rastro de estragos: temporal foi o mais intenso nos últimos 10 anos

Ricardo Campos Jr.
Muro de condomínio desabou durante a chuva e espalhou lama pelo asfalto (Foto: Alan Nantes)Muro de condomínio desabou durante a chuva e espalhou lama pelo asfalto (Foto: Alan Nantes)

O temporal que atingiu Campo Grande na madrugada desta quarta-feira (2) foi o mais intenso dos últimos 10 anos na cidade, conforme o meteorologista da Uniderp, Natálio Abrão. Segundo ele, foram registrados 96,2 milímetros de chuva em cinco horas, índice que perde apenas para uma tempestade em dezembro de 2006 que teve 127 milímetros no mesmo intervalo de tempo.

Porém, a chuva de hoje não chegou a ser a campeã na quantidade de estragos, na opinião do meteorologista. Em 2010, quando parte da Rua Ceará no cruzamento com a Ricardo Brandão chegou a ser levada pela correnteza, foram registrados 88 milímetros de chuva.

A força do temporal desta madrugada, conforme Abrão, já havia sido prevista e alertada e não deve se repetir tão cedo. A partir de amanhã a chuva deve dar uma trégua e Campo Grande terá alguns dias com predomínio de sol. Na semana que vem estão previstas pancadas de chuva mais fracas que a de hoje em pontos isolados da cidade.

Trabalhadores lavaram asfalto para remover lama na Via Parque (Foto: Alan Nantes)Trabalhadores lavaram asfalto para remover lama na Via Parque (Foto: Alan Nantes)

Estrago e sujeira - Na Avenida Nely Martins, conhecida como Via Parque, o muro de um condomínio de luxo não aguentou e cedeu, espalhando lama pela pista. A pista foi interditada no sentido Avenida Mato Grosso – Parque do Sóter em frente ao retorno no cruzamento com a Rua das Garças.

Funcionários da prefeitura estiveram no local durante a tarde removendo o entulho e limpando a lama para evitar acidentes. Foram usados pelo menos quatro caminhões pipa no serviço, segundo informações passadas pelos funcionários. Cada um deles tem capacidade de 10 mil litros de água, somando 40 mil litros na lavagem do asfalto.

Muro desabou sobre casa na Avenida Interlagos (Foto: Fernando Antunes)Muro desabou sobre casa na Avenida Interlagos (Foto: Fernando Antunes)
Lago transbordou e deixou moradores ilhados em condomínio de luxo (Foto: Lucimar Couto)Lago transbordou e deixou moradores ilhados em condomínio de luxo (Foto: Lucimar Couto)

Destruição - Na Avenida Interlagos, perto da rotatória da Coca-Cola, um muro desabou e destruiu parte de uma casa de três cômodos onde também funcionava um bar. A dona do imóvel sentiu um tremor durante a noite, acordou e foi para a casa da filha. Horas depois ela ouviu o barulho do desmoronamento.

O muro de um condomínio na mesma avenida também cedeu, caindo sobre os carros estacionados no local.

Moradores do Residencial Damha ficaram ilhados em suas casas de alto padrão durante boa parte da manhã desta quarta-feira. A chuva fez transbordar a represa do condomínio, invadindo parte dos acessos e dificultando a passagem dos veículos.

Parte do muro da Sesau (Secretaria Municipal de Saúde) também cedeu por conta da chuva, espalhando terra e pedras pela calçada na Avenida Afonso Pena.

Perigo - Na Vila Adelina, dois jovens foram arrastados pela enxurrada formada pela água de um córrego que transbordou na Avenida Senador Antonio Mendes Canale. Eles estavam dentro de um carro arrastado pela correnteza. Um dos ocupantes, de 17 anos, teve que ficar agarrado em galhos de árvores até a chegada do socorro.

Lama acumulada em residência invadida pela água (Foto: Marcos Ermínio)Lama acumulada em residência invadida pela água (Foto: Marcos Ermínio)
Estragos causados pela chuva na Travessa Junin (Foto: Marcos Ermínio)Estragos causados pela chuva na Travessa Junin (Foto: Marcos Ermínio)

Alagamentos - O Lago do Amor transbordou e uma quadra da Avenida Filinto Muller foi totalmente tomada pela água da chuva. Nenhum veículo conseguia passar pelo local nesta manhã. Os moradores da Rua Marquês de Herval, no corredor do Nova Lima, tiveram as casas invadidas e ficaram ilhados.

O córrego Bálsamo, no bairro Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, em Campo Grande, também transbordou e invadiu o prédio onde funciona a sede do projeto Cica (Centro de Integração da Criança e do Adolescente).

A situação forçou o cancelamento das atividades nesta quarta. Segundo a direção, eletrodomésticos e alimentos se perderam em razão da enxurrada.

Na esquina da Travessa Junin com a Avenida Fernando Corrêa da Costa, a água inundou a casa de uma família forçando um casal e os trigêmeos de 10 anos a se abrigarem na casa de vizinhos.

Os moradores afirmaram que a enxurrada chegou à altura do peito no local.

Salas de órgãos públicos no Parque dos Poderes também foram atingidas. Em alguns locais, como na TVE e no Centro de Convenções Rubens Gil de Camilo, foi preciso desligar e proteger equipamentos que estavam em ambientes inundados. Na emissora pública, foram alagadas a redação e setores administrativos.

Pelo menos cinco casas foram inundadas durante a chuva no Bairro Vivendas do Parque. Os moradores, que perderam eletrodomésticos e móveis, foram pegos de surpresa, pois há anos a situação havia sido resolvida com obras de contenção de enchente.

Alguns moradores tiveram que fazer buracos no muro para escoar a água acumulada dentro das propriedades.

Cratera que surgiu no Jardim Colúmbia (Foto: Marcos Ermínio)Cratera que surgiu no Jardim Colúmbia (Foto: Marcos Ermínio)

Cratera - A chuva também aumentou uma cratera na Rua Jaçuru, paralela à BR-163, no Jardim Colúmbia. Segundo os moradores, o problema no local se arrasta há mais de ano, mas quando chove a situação piora. Muitos condutores tiveram que fazer desvios para sair do bairro a caminho do trabalho pela manhã.

Dentro do buraco, a tubulação ficou exposta e entupiu. No cruzamento com a Avenida Caruna, a erosão virou lagoa e deixou a via intransitável.

Na Mata do Jacinto, o asfalto descolou da mesma forma como foi registrado no bairro Nova Lima dias atrás. 

Placas de pedra que davam sustentação à margem foram arrancadas (Foto: Alan Nantes)Placas de pedra que davam sustentação à margem foram arrancadas (Foto: Alan Nantes)
Erosão formada entre o asfalto e o Córrego Prosa (Foto: Alan Nantes)Erosão formada entre o asfalto e o Córrego Prosa (Foto: Alan Nantes)

Mais estragos - Na Avenida Ricardo Brandão, a água invadiu a pista e a correnteza causou prejuízos a empresários e até mesmo aos cofres públicos. Uma grande erosão se formou em dois pontos da margem do Córrego Prosa: em frente à Uniderp e ao Hemosul. No primeiro ponto, o buraco surgiu entre a grama e o asfalto e no segundo, uma lona foi colocada pelo município para contar o deslizamento.

A grama ao longo de toda via foi levada, deixando expostos os sacos de terra usados para dar sustentação ao barranco. Em alguns pontos é possível enxergar as raízes das árvores plantadas no local. Em outros, placas de pedras descolaram.

Na esquina com a Joaquim Murtinho, as muretas que protegem os pedestres na passarela sobre o córrego foram todas ao chão como um dominó. Em frente ao local, a água também invadiu o supermercado Comper, que foi limpo pelos funcionários ainda pela manhã.

A floricultura Flor do Oriente, localizada no cruzamento da Ricardo Brandão com a Francisco Bento, ficou cheia de lama e os funcionários demoraram o dia inteiro para limpar o lugar. A correnteza chegou a arrastar um vaso de barro.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions