A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 11 de Dezembro de 2017

07/09/2014 14:52

Revolta após cão ser sacrificado no CCZ acaba com 2 pessoas detidas

Liana Feitosa e Kleber Clajus
Protetora Aline preferiu não mostrar o rosto. Ela está detida na Depac Piratininga. (Foto: Kleber Clajus)Protetora Aline preferiu não mostrar o rosto. Ela está detida na Depac Piratininga. (Foto: Kleber Clajus)

A visita de uma estudante de 24 anos ao CCZ (Centro de Controle de Zoonoses) de Campo Grande terminou em confusão e com dois detidos pela polícia no início da tarde de hoje. Aline Félix, que faz parte de um grupo de protetores de animais, foi presa ao lado do marido, depois de gravar uma conversa com funcionários do CCZ.

A estudante teria levado dois cães para serem vacinados no centro e aproveitou para saber do estado de saúde de um terceiro animal, que havia sido recolhido pelo CCZ ontem à noite.

Segundo Aline, o cão foi recolhido depois de uma denúncia de que estaria sofrendo maus tratos. A estudante conta que começou a fazer perguntas para uma funcionária do Centro de Zoonoses e acabou descobrindo que o cão havia sido sacrificado.

Antes disso, outra mulher esteve no lugar e também diz ter questionado funcionários sobre a situação do cão recolhido no dia anterior. "Falaram que ele estava doente e que, por isso, foi sacrificado, mas não falaram qual era a doença", conta a estudante de Farmácia, Katiana Macedo.

Para ela, o CCZ não pode matar qualquer cão que chegue ao centro. "Eles não têm o direito de sacrificar cães que chegam lá com qualquer patologia, só aqueles que tem leishmaniose", afirma.

Confusão - Antes de ser presa, Aline diz que gravou uma médica veterinária admitindo que, frequentemente, os animais passam apenas por uma análise clínica antes de serem eutanasiados.

Na versão de Aline, a veterinária teria percebido que a conversa estava sendo gravada e, por isso, acabou tomando o celular da mão da jovem e a impediu de sair do local, segundo ainda conta a estudante.

A polícia foi acionada e até a chegada da PM o casal foi proibido de deixar o prédio do CCZ, diz Aline. Todos foram encaminhados para a Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) do bairro Piratininga.

Aline e o esposo dela foram detidos por desacato. Cerca de 10 funcionários do CCZ, inclusive, o advogado da médica veterinária, estão no local. O Campo Grande News tentou ouvir a versão do CCZ, mas os funcionários envolvidos na confusão não quiseram falar sobre o assunto.



Mas perai, se a veterinaria tomou o celular da mão da menina, foi ela quem cometeu crime, desde quando é proibido gravar conversa? Ao tomar o celular a veterinaria admite que eles fazem coisas erradas, criminosas dentro do CCZ, gente se a população deixar continuar esse coronelismo que existe aqui em Campo Grande, daqui a pouco ninguem vai poder fazer nada, falar nada e provar nada, pois voce pode ser preso por qualquer coisa que fizer, o correto era a menina chegar na delegacia e abrir um boletim de ocorrencia por furto de celular em cima da veterinaria que sabe que faz coisa errada, coloquem o nome da veterinaria aí, vamos fazer piquete na frente da casa dela.
 
maximiliano rodrigo antonio nahas em 08/09/2014 08:56:32
Será que vai aparecer algum candidato nessas eleições disposto a acabar com isso? Ta cheio prometendo saúde, educação, mais e mais. Enquanto isso, o CCZ continuará sacrificando animais, mas a culpa também é da população que entrega seus animais PARA O PRIMEIRO QUE DIZ QUE ELES ESTÃO DOENTES E NEM SEMPRE É ASSIM!!!! Vamos acordar povo, dentro do nosso pátio ninguém manda, vc é responsável por seus cães e gatos, não espere que eles cheguem, façam o teste de leishmaniose e digam a vc que é positivo, pq nem sempre é, fizeram isso com meu cachorro, me ameaçaram, queriam levar ele para eutanásia dizendo que ele era positivo para os dois exames de leish, tanto RIFI como ELISA. Eu fiz a contraprova em uma clínica de Campo Grande chamada Bourgelat, os exames foram para MG, custaram na época 45,00 que não é caro para uma instituição que faz testes duvidosos e pode acabar matando seu melhor amigo! Fiquem alertas, depois tem disso, desacatar funcionário dá cadeia, mas desacatar animais e seres humanos nunca é, fica o alerta!
 
Rafaela Lima em 07/09/2014 23:03:31
O CCZ deve ser fechado para que seja feita uma investigação por parte da polícia e das instituições em defesa dos animais. Uma equipe do CCZ veio em minha residência e coletou amostras de sangue da minha cadela, alguns dias depois me ligaram informando que ela estava com Leishmaniose. Desconfiado, paguei 2 exames particulares que inclusive foram feitos fora do estado e constataram que minha cadela não estava contaminada. O CCZ em vez de ajudar está acabando com a vida de muitos animais indefesos. A minha recomendação para os donos dos animais é que não deixem a equipe do CCZ entrar em sua residência, até para vacinar seu animal. Muitas vacinas exigem uma rigorosa temperatura para ser conservada e um isopor que é aberto toda hora não atende os critérios dessas vacinas.
 
Giovani Augusto em 07/09/2014 19:28:58
Pelo visto o casal vai reverter esse imbróglio. Advogado da veterinária no local porque? Porque vão ter que se explicar direito sobre a eutanásia, por causa da apropriação do celular e por ter mantido o casal, impedindo a saída. Vai ficar feia a coisa.
 
Adriano Magalhães em 07/09/2014 17:33:29
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions