ACOMPANHE-NOS    
OUTUBRO, SEGUNDA  25    CAMPO GRANDE 28º

Capital

Ruas no Morada do Sol ganham drenagem e pavimento instalado a mão

Novo pavimento será instalado em cerca de 7 vias que somam uma extensão de 1,2 km

Por Adriano Fernandes | 23/09/2021 23:57
Servidores da prefeitura colocando o pavimento artesanal em rua. (Foto: Divulgação)
Servidores da prefeitura colocando o pavimento artesanal em rua. (Foto: Divulgação)

Cerca de 1,2 quilômetros de vias no Bairro Morada do Sol, ganharam nova rede de drenagem e pavimento artesanal para acabar com o poeirão, que há anos dava dor de cabeça para os moradores da região.

Nesta última quarta-feira (22), 14 trabalhadores foram empenhados para a montagem do paver intertravado no bairro, que fica na divisa com o Bairro Los Angeles, um dos bairros mais populosos da Capital.

O paver é um tipo de lajota usada em calçadas e como pavimento de ruas. O serviço começou pela Rua Alberto Albertini e será levado a outras 7 vias que somam uma extensão de 1,2 km.

Conforme o projeto, serão pavimentadas com o paver, além da Álberto Albertini, as ruas Marcos Feliz,  Augusta Rossini Guidi, Dom Fernandes Sardinha, Juquiri, Juruce, Jurupeba e Francisco Espinosa.

Segundo o secretário municipal de Infraestrutura e Serviços Públicos, Rudi Fiorese, o paver é a alternativa de pavimento indicada para regiões como Morada do Sol, onde o lençol freático é aflorado (basta perfurar um metro para minar água), e o trânsito de veículos é pequeno.

“O solo não suportaria o impacto da terraplanagem, imprimação, para aplicar do asfalto de  CBUQ. Seria preciso um investimento alto em drenagem, como está sendo feito no Nova Campo Grande, que é um bairro que recebe tráfego pesado. Diferente do Morada do Sol, que é basicamente residencial, onde o fluxo de veículos é praticamente só dos moradores e as ruas são estreitas. Isto não significa que sobre o paver não possam passar veículos pesados, como caminhões e ônibus”, explica Rudi.

Para garantir resistência e durabilidade ao pavimento, estão sendo construídos 640 metros de drenagem, enterrados na Rua Juqueri, para escoar a enxurrada captada pelas bocas de lobos. A tubulação será conectada a drenagem existente nas vias asfaltadas do Los Angeles, por onde passam os ônibus do transporte coletivo.

Poder feminino - Entre os funcionários empenhados no trabalho de características artesanais, está Odete Silva, uma novata neste tipo de serviço, mas que já tem o desempenho aprovado pelo chefe da equipe. “Caprichosa, pontual e não foge de serviço”, parabeniza Francisco Alves, o Chicão, que há 40 anos trabalha na construção civil.

Odete está há pouco tempo na Capital. Ela morava na cidade catarinense de Joinville, onde era dona de uma microempresa. Resolveu experimentar o novo ofício, enquanto não encontra outro trabalho.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário