A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 11 de Dezembro de 2017

08/08/2012 16:11

Rudel diz em audiência que quem quis debateu licitação do transporte

Gabriel Neris e Mariana Lopes
Presidente da Agetran, Rudel Trindade Júnior, teve que explicar processo do edital (Foto: Mariana Lopes)Presidente da Agetran, Rudel Trindade Júnior, teve que explicar processo do edital (Foto: Mariana Lopes)

A Câmara Municipal de Campo Grande realizou na manhã desta quarta-feira (8), audiência pública para discutir o edital de licitação do sistema do transporte coletivo de Campo Grande.

A discussão foi levantada pelo vereador e candidato a vice-prefeito, Athayde Nery (PPS), presidente da Comissão Permanente de Defesa do Consumidor. A abertura da licitação deve ocorrer no próximo dia 14 e para ter acesso ao edital, as empresas interessadas devem desembolsar R$ 3 mil.

O diretor-presidente da Agetran (Agência Municipal de Transporte e Trânsito), Rudel Trindade Júnior, criticou quem reclamou sobre o processo do edital. Segundo ele, no dia 7 de maio deste ano houve audiência na Escola de Governo para discutir o edital.

“A audiência foi publicada no Diário Oficial. Quem queria discutir o edital deveria ter falado aquele dia. Fizemos audiência para discutir a tarifa e também o peg-fácil”, reclamou.

Rudel afirmou que serão construídos 41 terminais de peg-fácil e mais quatro terminais de transbordo. “Vamos construir 60 quilômetros de corredores exclusivos do transporte coletivo”, completou.

O diretor-presidente da Agetran explicou todo o processo até chegar ao lançamento do edital. “O transporte coletivo tem histórico. Recebemos comunicação do Ministério das Cidades para receber R$ 280 milhões e isso dependia do nosso projeto. As empresas disseram que não tinham R$ 40 milhões para o transporte. Passaram duas condições, aumentar a tarifa ou aumentar o tempo de contrato. Decidimos romper o contrato e colocar as empresas em condições iguais para brigar na licitação. Nossa condição era que elas absorvessem a mão-de-obra”.

O presidente da Assetur (Associação das Empresas de Transporte Coletivo Urbano), João Rezende, citou que o transporte coletivo gera 2 mil empregos. “As dúvidas que surgem podem ser levantadas e a qualquer momento ser sanadas. Quem não tem informação, tem preconceito. A prefeitura e a Assetur estão se preparando para enfrentar o processo licitatório”, criticou.

Jânio Macedo, presidente do Sindicato dos Aposentados e Pensionistas em Mato Grosso do Sul, afirmou que 47 mil pessoas dependem do transporte coletivo urbano por dia.

“Por parte do consumidor, o Ministério Público (Estadual) está vigilante em relação ao fato de não ter cobrador e também pelo preço da passagem. A legalidade tem que ser cumprida e a vontade do povo atendida”, declarou o promotor Aroldo José de Lima.

Audiência Pública reuniu autoridades na Câmara Municipal de Campo Grande (Foto: Mariana Lopes)Audiência Pública reuniu autoridades na Câmara Municipal de Campo Grande (Foto: Mariana Lopes)

O presidente da Assetur (Associação das Empresas de Transporte Coletivo Urbano), João Rezende, citou que o transporte coletivo gera 2 mil empregos. “As dúvidas que surgem podem ser levantadas e a qualquer momento ser sanadas. Quem não tem informação, tem preconceito. A prefeitura e a Assetur estão se preparando para enfrentar o processo licitatório”, criticou.

De acordo com Jânio Macedo, presidente do Sindicato dos Aposentados e Pensionistas em Mato Grosso do Sul, afirmou que 47 mil pessoas dependem do transporte coletivo urbano por dia.

“Por parte do consumidor, o Ministério Público (Estadual) está vigilante em relação ao fato de não ter cobrador e também pelo preço da passagem. A legalidade tem que ser cumprida e a vontade do povo atendida”, declarou o promotor Aroldo José de Lima.

Bate boca – O vereador Athayde Nery foi acusado por Carlão (PSB) de aproveitar a audiência como palanque eleitoral. “Sigo audiência há muito tempo, e ela é construída em cima do edital. Dentro do edital existem marcos regulatórios discutindo questões como a tarifa, qualidade, quilometragem, forma de fiscalização e a cobrança da prefeitura”, respondeu Nery.

“O desdobramento da audiência é uma nova reunião para que tenha olhar sobre os reflexos dessa licitação. São 20 anos da mesma empresa, e serão mais 20 anos. Existe planejamento para isso?”, questiona.



Publicado no Diário Oficial? Só não foi quem não quis? Quantas pessoas na cidade têm acesso ao diário oficial, pq não fizeram uma grande campanha de divulgação então, chamando a população para participar. Sabe, não sei vocês, mas ando de saco cheio destes gestores públicos botando a culpa na gente pelos problemas da cidade. Parece que tudo o que está errado é culpa da população e não da sua gestão
 
Marcia Scherer em 08/08/2012 05:31:57
Pessoal, como eu não acredito nisso... pra mim, EU ACHO que, as novas emprsas, serão as atuais que prestam um PÉSSIMO SERVIÇO Á POPULAÇÃO e os ônibus receberão apenas uma maquiagem... é claro que chegarão carros novos, mas esses ficarão nas garagens.. não se esqueça... uma das "FUTURAS" empresas se chamará LUAN.. guardem bem esse nome,.. as os atuais carros da SERRANA serão utilizados
 
Gilson Giordano em 08/08/2012 04:33:15
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions