ACOMPANHE-NOS    
SETEMBRO, SÁBADO  26    CAMPO GRANDE 33º

Capital

Mesmo sem bloquear Whatsapp, golpistas usam fotos das vítimas

Com a foto das vítimas em números diferentes de WhatsApp, os criminosos pedem dinheiro para fazer um pagamento

Por Adriano Fernandes | 04/08/2020 22:27
Número do Direto das Ruas do Campo Grande News sendo discado em celular. (Foto: Arquivo) 
Número do Direto das Ruas do Campo Grande News sendo discado em celular. (Foto: Arquivo)

Estelionatários estão conseguindo aplicar golpes pelo WhatsApp na Capital, sem sequer assumir o controle do aplicativo dos usuários. Só nesta terça-feira (04) os criminosos pediram dinheiro a contatos de dois médicos de Campo Grande. Na semana passada, pelo menos uma mulher perdeu cerca de R$ 1,4 mil, ainda conforme apurado pela reportagem.

Segundo a Polícia Civil, agora, os criminosos estão pedindo dinheiro para os contatos dos celulares, usando um número diferente do telefone das vítimas, mas com as mesmas fotos de perfil usadas por elas no aplicativo. Contando apenas com a desatenção de seus alvos, eles enviam mensagens pedindo dinheiro para fazer um pagamento.

Eles induzem a pessoa fazer a transferência de determinada quantia para terceiros e dizem que no outro dia farão a devolução do valor. No entanto, assim que a vítima transfere o montante e retorna o contato, ele agradece e bloqueia o número.

Até então as vítimas desse tipo de golpe, perdiam o controle do WhatsApp, geralmente após confirmarem algum código enviado pelos criminosos. O desafio da Polícia Civil, no momento, é descobrir como os criminosos estão tendo acesso a lista de contatos das vítimas, sem clonar ou bloquear o aplicativo.

Alerta - Para evitar o golpe, basta que a pessoa confira se a imagem do perfil no Whats corresponde com o número usado pelo contato. Caso algum usuário receba esse tipo de mensagem a Polícia Civil orienta para que o morador ligue antes para o contato original da vítima, e confirme se é ela mesma quem está fazendo o pedido.

Um boletim de ocorrência por estelionato e falsidade ideológica também pode ser registrado em qualquer delegacia da Capital.

Regras de comentário