A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017

16/06/2016 14:59

Sem-terra desocupam sede do Incra após determinação de reintegração de posse

João Humberto e Ricardo Campos Jr.
Sede do Incra em Campo Grande foi ocupada na terça-feira por sem-terra ligados ao Movimento da Agricultura Familiar (Foto: Marcos Ermínio)Sede do Incra em Campo Grande foi ocupada na terça-feira por sem-terra ligados ao Movimento da Agricultura Familiar (Foto: Marcos Ermínio)

O grupo de sem-terra que ocupava a sede do Incra (Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária) de Mato Grosso do Sul desde terça-feira (14) deixou o prédio do órgão nesta quinta-feira (16). De acordo com o superintendente substituto Leonardo Yamamoto, foi determinada a reintegração de posse do local, tendo o mandado sido entregue durante a manhã por oficial de Justiça.

As 300 pessoas do MAF (Movimento da Agricultura Familiar) deixaram o prédio de forma organizada. Durante a tarde os seguranças vistoriaram o local e constataram que o único dano foi arrombamento de uma porta onde eram guardados os materiais de limpeza, que o movimento usou para lavar banheiros, e algumas salas.

Conforme Yamamoto, o grupo queria principalmente a exoneração do antigo superintendente Humberto de Melo Pereira, cuja saída já havia sido protocolada quando as famílias chegaram ao prédio.

Servidores do Incra se organizaram e elaboraram lista tríplice com os seguintes indicados para a função: Daniel Yamamoto (superintendente substituto), Celso Menezes de Souza (chefe do serviço de cadastro) - agrônomo funcionário de carreira - e Argemiro Alves (ouvidor agrário). Esse documento, conforme o superintendente substituto, já foi encaminhado para a sede nacional do instituto.

O presidente do órgão, Leonardo Góes Silva, estará em Campo Grande no dia próximo dia 27, quando se reunirá com representantes do MST (Movimento dos Trabalhadores Sem Terra) para ouvi-los.

Segundo Yamamoto, por determinação da Justiça todos os processos de reforma agrária estão paralisados em Mato Grosso do Sul por conta de ocupações irregulares de lotes. O órgão deve encaminhar ao MP (Ministério Público) uma lista com as medidas tomadas para solucionar o problema e destravar os processos.

O Incra fica na rua 25 de Dezembro, no Shopping Marrakech.

Atendendo MST, novo superintendente do Incra deve ser concursado
Pela primeira vez, a superintendência do Incra (Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária), em Mato Grosso do Sul, poderá ser comandada por...
Governo exonera superintendente do Incra em Mato Grosso do Sul
Humberto de Mello Pereira foi exonerado do cargo de superintendente regional do Incra (Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária) em Mato G...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions