A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 15 de Novembro de 2019

17/10/2019 13:02

Sindicato defende dona de posto e diz que área de bombas é perigosa

Vídeo que circula nas redes sociais mostra discussão entre empresária e ciclista que diz ter sido expulso de estabelecimento

Marta Ferreira
Ciclista afirma ter sido expulso de posto de combustível depois de se abrigar da chuva. (Foto: Reprodução vídeo)Ciclista afirma ter sido expulso de posto de combustível depois de se abrigar da chuva. (Foto: Reprodução vídeo)

Em resposta a vídeo que circula nas redes sociais, de diálogo entre dona de posto de combustível no Parque dos Poderes, em Campo Grande Grande e ciclista que afirma ter sido expulso do local depois de se abrigar da chuva, o Sinpetro (Sinpetro/MS (Sindicato do Comércio Varejista de Combustíveis Automotivos e Lojas de Conveniência de Mato Grosso do Sul) manifestou-se nesta quinta-feira, para esclarecer as regras de segurança nos estabelecimentos. No texto, a entidade defende a postura da empresária, afirmando que a área de abastecimento é considerada de alto risco, conforme a norma reguladora 15, do Ministério do Trabalho.

Quando a situação veio à tona nesta quarta-feira, a dona do posto afirmou que apenas solicitou aos ciclistas que deixassem a área de abastecimento, por ser perigoso ficar ali.O assunto gerou polemica e até a convocação de protesto por ciclistas e corredores, no sábado.  

O Sinpetro defende que, realmente, alguns procedimentos são “extremamente necessários”, entre os quais o máximo cuidado nas proximidades da bomba. Conforme a nota do Sinpetro, esse alerta vale para o espaço "em toda a área de operação (pista de abastecimento) abrangendo no mínimo um raio de 7,5 metros com centro no ponto de abastecimento (bico da bomba) e o círculo com raio de 7,5 metros com centro da bomba de abastecimento do veículo e a faixa de 7,5 metros de largura para ambos os lados das bombas (bicos)".

Para combustíveis considerados mais perigosos as regras são mais rígidas, diz o material enviado à imprensa. "Na verdade, em casos de abastecimento de GNV (Gás Natural Veicular), é obrigatório a saída de todos os ocupantes do veículo, que devem manter distância do local onde está sendo abastecido o veículo, que deve ficar desligado", afirma o gerente executivo do Sinpetro, Edson Lazaroto.

A discussão divulgada foi divulgada em vídeo gravado por celular. Pelo conteúdo da nota à imprensa do Sinpetro, esse também é um comportamento de risco. “Nenhum movimento ou ação que produza faísca deve ser realizado dentro desse perímetro, como: utilizar o celular, abrir ou fechar a porta do veículo, acionar o acendedor de cigarros, entre outros, já que podem ocasionar explosões, colocando em risco a vida e a integridade física de todos os frequentadores”, afirma a entidade.

Lazaroto diz que há exemplos diversos de tragédias que ocasionaram mortes e danos irreparáveis às vítimas, por conta da falta de cuidados indispensáveis nos estabelecimentos. “Acidentes que foram causados justamente pelo cliente às vezes achar um exagero obedecer às regras básicas", avalia.

Ainda de acordo com o Sinpletro, é por razões assim que empresários e toda a equipe de funcionários de postos de combustíveis são treinados e capacitados através de cursos como os de NR-20 (Segurança com Inflamáveis e Combustíveis), e CIPA (Comissão Interna de Prevenção de Acidentes), para evitar tais situações.



Mas fumar na área da bomba pode né? se observar no vídeo a senhora está com um cigarro na mão, pode isso Arnaldo????
 
Junior Oliveira em 18/10/2019 12:04:36
Dai a ter o mínimo de educação e explicar aos ciclistas o porque da proibição de permanecer no local e convidá-los a se abrigarem em outro espaço falta o que? EDUCAÇÃO
 
Alex André de Souza em 17/10/2019 15:37:27
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions