ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
FEVEREIRO, QUINTA  29    CAMPO GRANDE 23º

Capital

Somente de uma vítima, quadrilha de furto em condomínios "faturou" meio milhão

O mesmo grupo já havia sido preso em abril deste ano pelo mesmo crime

Lucia Morel e Natália Olliver | 13/09/2022 19:11
Grupo em viagem ao litoral gastando dinheiro fruto de furto. (Foto: Polícia Civil)
Grupo em viagem ao litoral gastando dinheiro fruto de furto. (Foto: Polícia Civil)

Quadrilha presa nesta terça-feira por furtar casas de condomínios de luxo faturou R$ 500 mil de apenas uma das vítimas, segundo informações da Derf (Delegacia Especializada em Repreensão a Roubos e Furtos). O mesmo grupo já havia sido preso em abril deste ano pelo mesmo crime, mas foram beneficiados com medidas cautelares ou liberados por não terem antecedentes criminais.

Os presos em 28 de abril foram Solange Ferreira Lima, 47 anos, Luiz Gustavo Brunetto, 24 anos, Valdeir Pereira de Moraes, 27 anos, Rafael Ferreira Fernandes, 27 anos, e Bruno Norberto Artur, 21 anos. Os dois últimos foram liberados mediante monitoramento eletrônico e Solange teve prisão  convertida em domiciliar. Já Luiz Gustavo e Valdeir foram mantidos presos.

A prisão ocorrida hoje decorreu do cometimento do mesmo crime pelos que estavam fora das grades, mas que mantiveram o modus operandi de acessar casas de condomínios de luxo e subtrair pertences de alto valor, posteriormente vendidos por Solange.

Eles ostentaram nas redes sociais o que desfrutavam com a venda dos bens furtados e segundo a polícia, eles vinham "usufruindo de bens, viagens, veículos e objetos de marcas renomadas, sendo tudo fruto do dinheiro arrecadado com a venda dos bens subtraídos das residências das vítimas".

Na ação desta tarde, a Derf cumpriu mandados de busca e apreensão em seis endereços e conseguiu recuperar celulares, documentos, dinheiro em espécie, veículos e objetos retirados das vítimas, além de alguns bens que teriam sido comprados com valores furtados.

Mais pessoas envolvidas também acabaram sendo presos e segundo as investigações, namorada do chefe do grupo e a mãe dela eram responsáveis pela venda dos objetos furtados das residências. Depois, elas também distribuíam os valores arrecadados e garantiam esquema de lavagem para legalizar o dinheiro.

Ao todo, oito pessoas foram presas na ação da Derf, e além da família, outros dois homens foram presos por furto a residência localizada no Bairro Antônio Vendas, no último domingo. O oitavo não tinha ligação direta com os crimes, mas foi preso na operação porque era foragido da justiça.

Modus operandi – Os criminosos entravam escalando as murros dos condomínios, cortando a cerca elétrica ou concertinas. Inativando o sistema de segurança, eles entravam nas casas mais próximas ao muro de terrenos com obras ou vazios e por ali, entravam.

Segundo os criminosos, as residências eram escolhidas de maneira aleatória, pelo menos inicialmente. Eles observavam se havia pessoas no momento da ação, carros estacionados, luzes acessas ou não.  Após a analise prévia, entravam nas casas rompendo obstáculos também, arrombando portas e janelas.

“Tendo certeza que que não tinha ninguém na casa, eles buscavam os cofres”, disse o delegado Jackson Vale, da Derf. Os últimos furtos foram no Condomínio Vila Park e no Terras do Golf.

Nos siga no Google Notícias