A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 19 de Agosto de 2019

08/08/2019 17:41

Superintendência do Incra acerta mudança de sede por R$ 4,4 milhões

Além da locação, valor contratado inclui serviços de manutenção predial e de condicionadores de ar

Jones Mário
Sede atual do Incra fica no centro de Campo Grande, na Rua 25 de Dezembro (Foto: Divulgação)Sede atual do Incra fica no centro de Campo Grande, na Rua 25 de Dezembro (Foto: Divulgação)

A Superintendência Regional do Incra (Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária) em Mato Grosso do Sul vai deixar a Rua 25 de Dezembro, no centro de Campo Grande, para ocupar prédio na Rua Jornalista Belizário Lima, na Vila Glória. A entidade vai pagar R$ 4,4 milhões por cinco anos de aluguel.

A transferência de sede pretende diminuir custos. Além da locação, o valor inclui serviços de manutenção predial e de condicionadores de ar.

O Incra lançou chamamento público para alugar novo imóvel no fim de 2018. A vencedora da proposta foi a Armato Empreendimentos, contratada sem necessidade de licitação. O extrato foi publicado na edição de hoje do DOU (Diário Oficial da União).

A superintendência regional do Estado estava sem comando até a última terça-feira (6), quando Antônio de Castro Vieira foi nomeado. O novo responsável pela entidade foi superintendente do Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis) no Estado, entre agosto de 2016 e de 2017. Antes, trabalhou como secretário parlamentar do então deputado federal Luiz Henrique Mandetta, hoje ministro da Saúde.

A superintendência do Incra estava vaga desde maio deste ano, quando o então responsável, Humberto César Maciel, foi exonerado do cargo que ocupava desde 2016 para assumir posto de direção na seção nacional do instituto. Durante os três meses, o substituto Augusto Pinedo Zottos ocupou a superintendência no Estado.

Criado em 1970, o Incra atua em todo o país por meio de 30 superintendências. A autarquia federal é responsável por executar a reforma agrária. Hoje, Mato Grosso do Sul tem 180 assentamentos, que beneficiam 35 mil famílias.

imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions