ACOMPANHE-NOS    
JULHO, SÁBADO  24    CAMPO GRANDE 26º

Capital

Superlotado, HU suspende pronto atendimento de adultos

De acordo com a assessoria, hospital está com o dobro da capacidade de pacientes na área vermelha

Por Ana Oshiro | 01/03/2021 09:41
Hospital Universitário fecha área vermelha de PAM adulto (Foto: Arquivo/Kisie Ainoã)
Hospital Universitário fecha área vermelha de PAM adulto (Foto: Arquivo/Kisie Ainoã)

Nesta segunda-feira (1º) o HU (Hospital Universitário) da UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, não está recebendo novos pacientes no PAM (Pronto Atendimento Médico) adulto da área vermelha. Neste momento a unidade está com o dobro da capacidade máxima de pacientes.

Segundo a assessoria de imprensa, na última sexta-feira (26) já havia sido feito um fechamento parcial, mas a central de regulação da Sesau (Secretaria Municipal de Saúde) continuava enviando novos pacientes além do que é contratualizado com secretarias estadual e municipal de saúde, por isso, nesta segunda, foi feito o fechamento temporário.

"Se não fizermos o fechamento parcial não temos como atender esses pacientes que já estão aqui, macas do Samu podem acabar ficando aqui, pois não temos muitos leitos sobressalentes além da nossa capacidade, ou seja, ou o paciente fica na maca do Samu ou fica no chão", informou a assessoria do hospital.

À medida que os leitos de área vermelha forem desocupados, a central de regulação será comunicada para enviar novos pacientes, mas não existe previsão de quando o funcionamento será normalizado, já que não é possível prever quando um paciente vai melhorar, receber alta ou ser transferido para outro setor.

"A área vermelha continua fechada para novos pacientes, porque estamos hoje com 12 pacientes, ou seja, o dobro da nossa capacidade", disse a assessoria, que completou informando que novos pacientes encaminhados pela regulação serão recebidos nas áreas verde e amarela do PAM à medida que leitos forem liberados. Demais setores do hospital continuam recebendo pacientes normalmente, através da regulação da Sesau.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário