ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
FEVEREIRO, SÁBADO  24    CAMPO GRANDE 24º

Capital

Suspeito de liderar esquema de fraudes "está disposto a colaborar", diz advogado

Os 8 presos da Operação Turn Off serão interrogados hoje, no Gaeco

Por Silvia Frias e Bruna Marques | 01/12/2023 07:53
Tiago Bunning, advogado do empresário Lucas de Andrade Coutinho, chega ao Gaeco (Foto: Marcos Maluf)
Tiago Bunning, advogado do empresário Lucas de Andrade Coutinho, chega ao Gaeco (Foto: Marcos Maluf)

Os advogados dos irmãos Sérgio Duarte Coutinho Junior e Lucas de Andrade Coutinho foram os primeiros a chegar na sede do Gaeco (Grupo de Atuação Especial e Combate ao Crime Organizado) para o dia de depoimento dos presos na Operação Turn Off. Tiago Bunning, que representa Lucas, diz que o cliente “está disposto a colaborar”, mas não detalhou qual seria essa cooperação no caso.

Marcos Barbosa, que representa Sérgio Duarte, foi o primeiro a chegar, às 7h40. Os depoimentos estão previstos para começar às 8h e, segundo já divulgado, serão interrogados os oito presos na acusação, suspeitos de envolvimento em fraudes em licitações das secretarias estaduais de Saúde e Educação.

Marcos Barbosa foi o primeiro a chegar no Gaeco, hoje (Foto: Marcos Maluf)
Marcos Barbosa foi o primeiro a chegar no Gaeco, hoje (Foto: Marcos Maluf)

Barbosa disse que não tinha como adiantar qualquer estratégia da defesa, alegando que teve acesso aos autos do MPMS (Ministério Público de Mato Grosso do Sul) ontem e material ainda está sob análise. Também diz que não teve contato com o cliente. “Eu pretendo conversar com ele agora, antes do depoimento”. Somente depois do interrogatório deve ingressar com recurso para que cliente responda em liberdade.

Tiago Bunning chegou em seguida. A exemplo do colega, diz que não tem qualquer manifestação a fazer sobre o caso. Apenas disse que Lucas “está disposto a colaborar, a cooperar”. Em seguida, entrou na sede do Gaeco.

Os irmãos Coutinho, segundo investigação do Gaeco, em conjunto com o Gecoc (Grupo Especial de Combate à Corrupção), seriam os líderes do esquema que já desviou, pelo menos, R$ 68 milhões em recursos dos cofres estaduais. Eles são donos de empresas que concorreram e ganharam várias licitações abertas pelo governo estadual, especificamente, nas secretarias de Saúde e Educação.

De acordo com apuração, os Coutinho negociavam propina para obterem ajuda dos funcionários do governo e vantagem sobre os outros concorrentes. Sérgio Duarte é dono da Maiorca Soluções e, Lucas, da Comercial Isototal Ltda.

Na operação, desencadeada na quarta-feira (29), foram presas oito pessoas: além dos dois empresários, também estão detidos o ex-secretário-adjunto de Educação, Edio Antônio Resende de Castro, o assessor parlamentar, Thiago Haruo Mishima, o coordenador técnico da Apae (Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais), Paulo Henrique Muleta Andrade, afastado do cargo, as ex-servidoras, exoneradas após a operação, Simone Ramires de Oliveira Castro e Andréa Cristina Souza Lima e o gerente financeiro de posto de combustíveis, Victor Leite de Andrade.

Receba as principais notícias do Estado pelo Whats. Clique aqui para acessar o canal do Campo Grande News.

Nos siga no Google Notícias

Veja Também