A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017

21/02/2012 14:33

Suspeito de matar mulher em 2010 é preso e família reclama de descaso da Polícia

Paula Maciulevicius

“Dá uma revolta. Fizeram descaso, era a gente que ficava ligando e tinha uma criança envolvida. Muito lenta essa nossa Justiça”

Foi só depois de 1 ano e oito meses que a angústia da família de Laís Cristine de Souza Ortiz, 23 anos, teve fim. Nesta segunda-feira o padrasto dela, Admilson Soares dos Santos foi preso, por matar a facadas, em junho de 2010, a mulher Sueli Gomes de Souza. Além da demora, o que os familiares da vítima relatam é o descaso da Polícia.

“Foi um amigo nosso que foi atrás, não foi nem a Polícia. Eles nunca foram atrás, perguntava para mim sabe onde ele está? Se eu soubesse, eu mesma teria prendido”, desabafa Laís.

O crime foi motivado por ciúmes de um amigo que estava na residência do casal, onde acontecia um churrasco, na madrugada do dia 6 de junho, no Jardim Aeroporto. A união de dois anos terminou em sangue. E tudo isso na frente do filho de Sueli, que na época tinha 8 anos.

“É um filme de terror na minha vida e do meu irmão. Até hoje eu não acredito quando eu conto, o que aconteceu na vida da gente”, diz.

Laís conversou com o Campo Grande News no intervalo do trabalho. Se segurou para não cair no choro, mesmo ela tendo todos os motivos para isso. Desde junho do ano retrasado, a vida da família mudou e o que eles mais queriam custou a vir, Justiça pela morte da mãe.

“Dá uma revolta. Fizeram descaso, era a gente que ficava ligando e tinha uma criança envolvida. Muito lenta essa nossa Justiça”, fala.

O desfecho da história trágica caminhou para o fim quando este amigo da família passava para ir a uma igreja e nas redondezas do bairro Danúbio Azul, viu Admilson. Segundo relatos dele à Laís, ele já estava trabalhando e já casado. Tocando a vida com normalidade.

Desde quando este amigo viu até a prisão foram quatro meses. A família sustenta que a Polícia chegou a fazer tocaia uma vez, mas Admilson foi avisado e fugiu. “Só foram uma vez, não conseguiram e aí largaram mão. Quando você conseguir, ele tiver aí, você liga para a gente, me disseram isso”, conta.

A prisão foi acompanhada pelo amigo da família. E foi ele quem informou à Laís que a Justiça começava a ser feita. “Nem me ligaram da Polícia. Eu que tive que ligar na delegacia e perguntar se ele tinha sido preso. Quando perguntaram quem era, eu disse que era a filha da vítima e do outro lado disseram é mesmo, ele disse que matou uma Sueli. Assim, como se fosse super normal”, relata.

O irmão que na época tinha 8 anos mora com Laís desde o acontecido e recebe acompanhamento psicológico. Além de sentir a falta da mãe, o menino carrega o trauma de ter visto o crime.

“Naquela noite ele veio a pé até a minha casa avisar. Ele estava no quarto e a minha mãe na sala. Ele saiu correndo para me contar. Na rua, sozinho, de madrugada. Foi um taxista que achou ele e trouxe até aqui”, lembra.

Admilson chegou a confessar à Polícia que havia esfaqueado Sueli por telefone e que iria se entregar. O que nunca aconteceu.

Polícia - À época do crime, as investigações foram conduzidas pela 7ª Delegacia de Polícia Civil. Segundo o delegado Natanael Costa Balduino, o mandado de prisão de Admilson só passou a constar no sistema da Polícia Civil no dia 31 de janeiro deste ano.

O delegado justificou que o processo é mais lento quando o autor do crime não é autuado em flagrante, mas que a Polícia estava à procura constantemente.

Admilson já tinha mandado de prisão em aberto por homicídio ocorrido em 1997 contra Márcio da Silva Veiga.

“A Justiça é lenta, mas pelo menos está sendo feita”, declara a filha de Sueli.

Homem que matou esposa a facadas já tem outro homicídio
O pedreiro Admilson Soares dos Santos, 35, que matou a esposa Sueli Gomes de Souza, de 39 anos, na madrugada do dia 6 deste mês, na rua Itapeva, Jard...
Pedreiro mata mulher por ciúmes na frente do filho
Sueli Gomes de Souza, de 39 anos, foi morta a golpes de faca por volta de 1h30 de hoje na rua Itapeva, no Jardim Aeroporto, em Campo Grande. O autor ...
Abstenção em concurso da Câmara Municipal da Capital passa dos 30%
O domingo (17) foi de provas para milhares de campo-grandenses, tanto na manhã como no período da tarde, no concurso da Câmara Municipal, que segundo...
Com forte dores, mulher reclama de falta de atendimento em UPA
Mesmo apresentando fortes dores e inchaço na região do estômago, sem conseguir comer a três dias, uma mulher que procurou atendimento na UPA (Unidade...


Não quero menosprezar a dor da familia, mas a policia e sobrecarregada, revoltante sim mas com nossos governantes,legisladores e nosso judiciario com nossas leis de execução penal compracente com os criminosos
 
paulo henrique em 22/02/2012 12:05:55
Não é fácil tem que ter interesse pelo caso , mas muitos entram para a policia por ser serviço público ai é isso que dá maus funcionários desinteresse do poder público é cada povo tem o governantes que merecem.
 
sandra lima em 21/02/2012 11:47:45
População exige do governo melhor condição pra polícia Civil, pessoal e material.Investigações são realizadas de forma séria e com afínco. A população não vê que a POLÍCIA MILITAR NÃO TRABALHA MAIS NAS RUAS, PATRULHANDO.e se trabalhasse muitos crimes não ocorreriam e a sueli não teria morrido.Crimes acontecem todos os dias e por pura falta da policia militar nas ruas.Tô cansado de roubos,mortes
 
marcos da silva em 21/02/2012 11:35:20
Verdade, a polícia civil está sobrecarregada, muito serviço e poucos meios, por isso dá preferência a investigar crimes que envolve pessoas "influentes"; neste sentido se essa mulher fosse parente de um deputado, ou um político importante ou um grande empresário, etc, teria demorado no máximo uma semana para prender o criminoso.
 
Antonio José Pereira em 21/02/2012 09:41:49
gostaria de ver se fosse uma mãe de alguem da alta sociedade campograndense, ja estaria condenado, mas como sãos pessoas humildes que não tem condições de contratar bons advogados da nisso, o cara fica solto como se nada tivesse acontecido.....
 
clalber de brito em 21/02/2012 09:36:53
É, A POLICIA CIVIL É NESSA VELOOOCIDADE AÍ! RSRSS
 
emerson de oliveira em 21/02/2012 09:36:46
Essa é a nossa polícia Cívil. Inutil como sempre.
 
Robson Avila em 21/02/2012 08:37:27
Seria bom mesmo que esse "investigador" particular fizesse concurso para a polícia. Existem mais ou menos uns dois mil outros casos para serem investigados e a polícia tem de dar conta de atender o público, cuidar de preso, correr atrás de criminoso tudo ao mesmo tempo. Vc também, VALTER VIEIRA, ao invés de criticar, tente chutar a bola, cabecear e catar no gol ao mesmo tempo para ver se é simples
 
Paulo Alfredo Ocampos em 21/02/2012 06:47:52
A polícia esta para dar segurança a população, em contra partida, teve que uma pessoa amiga da vítima efetuar as investigações para poder prender o assassino cade a polícia!!!!!!!!! depois de dois anos!!!! os impostos chega no começo do ano!!!! se vc não pagar vai para a divida ativa!!! verificar quem é este investigador (amigo da vítima), e colocá-lo para investigar outros crimes!!
 
Valter Vieira Alves em 21/02/2012 05:37:36
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions