A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

26/04/2011 21:33

Suspeito de tentar matar ex-esposa a tiros se apresenta e confessa o crime

Paula Maciulevicius

O motivo seria ciúme e por que o jovem queria que a ex fosse embora da festa e levasse logo o filho para casa

Para delegada, Kelvin atirou porque cismou que Jaqueline estava flertando em festa. (Foto: Simão Nogueira)Para delegada, Kelvin atirou porque cismou que Jaqueline estava flertando em festa. (Foto: Simão Nogueira)

Kelvin Santos da Silva, 19 anos, suspeito de ter tentado matar a tiros a ex-esposa, Jaqueline Dorneles Arce, 18 anos, na madrugada do último domingo, em Campo Grande, se apresentou na tarde de hoje à Deam (Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher). O jovem confessou, em depoimento, que atirou contra Jaqueline porque ela não queria ir embora da festa em que estavam, e por ela estar flertando com outro. Na tarde de hoje, uma segunda vítima de Kelvin também compareceu a Delegacia.

O jovem de 21 anos que não quer ser identificado foi alvo de três tiros. O rapaz que não conhecia Jaqueline e estava de saída da festa foi atingido por um tiro de raspão, na orelha.

Como a justiça negou o pedido de prisão preventiva contra o servente de pedreiro Kelvin, sob a alegação de elementos insuficientes para a decretação da prisão, o jovem depois de se apresentar e prestar depoimento saiu tranquilamente da delegacia, enquanto a ex-esposa continua internada na Santa Casa sem previsão de alta.

O rapaz que seria na versão de Kelvin, o pivô da briga que resultou nos disparos, conta que não tem nenhuma briga com o autor e só o conhece de vista, da vila.

O jovem relatou ao Campo Grande News, que estava tocando pagode em uma conveniência entre os bairros Buriti e São Conrado, onde estavam também Kelvin, Jaqueline, os dois filhos da vítima, a irmã do autor e ainda duas sobrinhas. Ao final da apresentação, ele saiu com um amigo, foi para casa e depois recebeu o convite para ir até uma festa na Rua Rua Cara Cara, no bairro Santa Emília.

O rapaz disse que voltou para casa para pegar um casaco. Durante a festa a roupa ficou pendurada na moto, que estava estacionada em frente à casa. Quando o jovem estava indo embora da festa, se deparou com Jaqueline vestida com o casaco. Ele fala que disse à jovem que ia sair e queria o casaco. Momento em que, segundo o rapaz, Kelvin começou a gritar e xingar Jaqueline.

O jovem saiu de moto do local, quando escutou o disparo. Ele conta que Kelvin segurava Jaqueline pelo cabelo e atirou com a arma que estava na outra mão. “Eu vi a Jaqueline caindo, as pessoas correndo. De repente o Kelvin estava atrás de mim”, relata.

Ele caiu da moto e foi erguido pela camiseta por Kelvin, que disparou três vezes contra a vítima. “Eu achei que tivesse pego. Eu saí de casa e sem mais nem menos isso aconteceu. E como a gente escuta que só sente o tiro depois que leva, eu não acreditava que não tinha acertado”, revela.

A vítima contou que subiu na moto e saiu correndo. Ele ainda completa que Kelvin e os amigos são conhecidos como “corumbazinhos” e por serem arruaceiros.

Tábua de madeira tem as marcas de sangue da vítima, depois do disparo. (Foto: Simão Nogueira) Tábua de madeira tem as marcas de sangue da vítima, depois do disparo. (Foto: Simão Nogueira)

O jovem contou a delegada da Deam, Christiane Grossi, que havia duas armas, um calibre 38 e outro 357. E que as munições não eram “boas”, por isso o pior não aconteceu.

“Ele colocou munição de 38, no 357. Acho que foi isso”, explica.

A vítima disse que entrou em contato com a dona da casa onde houve a festa e ficou sabendo que a Deam estava investigando o caso. Em seguida se dispôs a dar as informações necessárias para o caso.

Para a delegada responsável pelo caso, Christiane Grossi, o jovem atirou por achar que Jaqueline estava de flerte com o rapaz.

O rapaz afirma que foi por milagre que se salvou. “Graças a Deus mesmo. Se eu não acreditava que tinha um propósito de vida, vou procurar acreditar a partir de agora”, conta o jovem com ares de quem renasceu.

Depoimento - Logo depois dos esclarecimentos do rapaz, o autor Kelvin Santos da Silva se apresentou na Delegacia para prestar depoimento, acompanhado da advogada. Ele que morou junto com Jaqueline por quase três anos, se separou depois que o filho do casal nasceu, há dois anos. Na sequência, a ex-esposa teve outro relacionamento, e engravidou. O bebê nasceu no mês de março, enquanto ela e Kelvin tinham reatado a relação.

Kelvin conta que dois dias após o parto, a ex-esposa voltou para a casa da mãe com as duas crianças.

A noite de sábado começou com Kelvin, a irmã e duas sobrinhas indo para a conveniência localizada entre os bairros Buriti e São Conrado. No caminho, a irmã do autor encontrou Jaqueline com as duas crianças, e chamou para que fosse junto ao comércio. Ela aceitou e eles ficaram no local das 23 horas até aproximadamente 1 hora da madrugada.

Em seguida, se deslocaram para a casa onde acontecia uma festa. A dona da residência chamou o grupo e reforçou que as crianças teriam lugar para dormir. Durante depoimento, Kelvin revelou que o casal tinha idas e vindas e que estavam só “ficando”, sem compromisso.

No local da festa, Kelvin disse que ouviu boatos de que teria pessoas atrás dele. Ele conta que depois de muitas horas bebendo na casa, chegou um jovem acompanhado de outros rapazes. O boato de que eles teriam ido para brigar com Kelvin foi reforçado.

Segundo o autor, um amigo disse que o motivo da briga seria Jaqueline e que era para ele tomar cuidado, que os rapazes iriam criar confusão. Em seguida, o jovem chamou o irmão para ir embora para casa.

Kelvin voltou à festa com a arma e puxou Jaqueline para um canto, pedindo para que ela fosse embora e levasse as crianças para casa. Ele conta que ela não quis ir embora e que o rapaz começou a falar coisas para ele.

O jovem fala que atirou primeiro para cima, e com a outra mão segurava o braço da ex-esposa. Segundo Kelvin, o rapaz entrou na frente enquanto ele puxava o cabelo de Jaqueline e apontava a arma para ela.

Ele admitiu que ficou com ciúmes e irritado por ela não ter ido embora. Kelvin relata ainda que o jovem falou para ele sair de lá, que ele que estava com Jaqueline.

O autor fala que não queria atirar na vítima, mas ficou com medo do rapaz e tentou se proteger. Ele iria atirar no rapaz, mas segundo o jovem, Jaqueline disse que se ele tivesse coragem, era para atirar nela. Momento em que Kelvin atirou do lado esquerdo da cabeça.

Ele conta que saiu correndo assustado mirou para cima e atirou.

Em seguida Kelvin disse que subiu em uma motocicleta de um condutor desconhecido, e jogou a arma na esquina. Ele desceu da moto, porque o rapaz que pilotava mandou e foi para a casa de uma tia, no Vida Nova, local em que ficou até hoje.

Kelvin disse que veio procurar a Delegacia porque soube pela mãe que policiais estavam atrás dele. Ele afirma que ligou para a irmã no outro dia para saber se tinha matado a ex-esposa e como ela estava.

O jovem não quis dar entrevista, mas disse estar arrependido “com certeza, pelo filho que tenho com ela”. A advogada completou que o jovem é apaixonado por Jaqueline.

Kelvin vai ficar em liberdade e será indiciado por dois homicídios na forma tentada.

Justiça nega prisão a suspeito de tentar matar a tiros ex-esposa
Vítima está internadaA Justiça negou pedido de prisão preventiva contra o servente de pedreiro Kelvin Santos da Silva, 19 anos, suspeito de ter tent...
Ciúme pode ter motivado crime que acabou com jovem baleada na cabeça
Pode ter motivo passional o crime que terminou com a jovem Jaqueline Dorneles Arce, 18 anos, baleada de raspão na cabeça no último domingo (24). Segu...


Parece até piada né, o cara confessa um crime e sai traquilamente da delegacia, e os grandeosos juizes negam pedido de prisão quero ver o dia que um deles estiver na mira de um revolver sob ameaça de morte, vão negar até o fim a prisão do sujeito.

ACOOOORDA BRASIIIIL!!!!
 
Oswaldo Benites em 27/04/2011 08:42:44
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions