A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 11 de Dezembro de 2017

08/08/2013 08:26

Tempo seco castiga moradores da Capital com muita poeira e fumaça

Lidiane Kober e Mariana Lopes
Poeira e fumaça castigam moradores do Bairro Nova Lima (Foto: Marcos Ermínio)Poeira e fumaça castigam moradores do Bairro Nova Lima (Foto: Marcos Ermínio)

O tempo seco, comum no inverno dos campo-grandenses, vem castigando moradores, principalmente, de bairros sem pavimentação asfáltica. Além de enfrentar a poeira, a população sofre com a fumaça das frequentes queimadas. O resultado é muito trabalho para manter a casa limpa e visitas frequentes aos postos de saúde.

A dificuldade tem marcado o dia-a-dia de moradores do Bairro Nova Lima, que conta com várias ruas sem asfalto e com terrenos baldios. O aposentado Eulídio Rosalino Ferreira, 75 anos, disse que “sofre muito” e que “toda a semana precisa ir ao médico por falta de ar”.

“É bastante complicado por causa da poeira e, para piorar, ainda colocam fogo nos terrenos baldios”, comentou. O aposentado reside na Rua Dom Sebastião Lemes. “Tem um terreno de esquina, cheio de mato, onde frequentemente colocam fogo”, relatou à reportagem do Campo Grande News, enquanto circulava na região para encontrar os responsáveis por novo incêndio no local.

Para ele, “é falta de respeito” atear fogo em terrenos baldios. “O principal culpado é o dono da área, que não manda limpar o matagal”, avaliou. Como na minha rua mora muito idoso, o sofrimento é ainda maior”, completou.

Tamanho o descuido com os terrenos baldios que pelo menos uma quadra da Rua Alfredo Borba, também no Bairro Nova Lima, foi tomada pelo matagal e pelo lixo. Morador de condomínio atrás da rua, o guarda Raimundo Andrade Miranda, 60 anos, disse que o espaço vive em chamas.

“Colocam fogo direto ali e a fumaça se mistura com a poeira, agravando a situação de quem mora nas redondezas”, comentou Raimundo.

A dona de casa, Maria Aparecida Bianco Flores, 46 anos, também enfrenta a dificuldade na Rua Professora Antônia Capilé, no Bairro Nova Lima. Segundo ela, sua residência “não para limpa”. “Limpar de dia é jogar serviço fora”, frisou. Por isso, ela se ocupa com a tarefa apenas à noite.

Para conseguir dormir, Maria Aparecida afirmou espalhar pela casa toalhas umedecidas. A dificuldade, conforme a dona de casa, é ainda maior em detrimento do tráfego constante de caminhões em sua rua.

O aposentando aponta terreno baldio e relata ir toda a semana ao médico por falta de ar (Foto: Marcos Ermínio)O aposentando aponta terreno baldio e relata ir toda a semana ao médico por falta de ar (Foto: Marcos Ermínio)


Também parabenizo ao Campo Grande News por editar esta matéria importantíssima! Existe hoje uma enorme falta de consciência da população, e também falta de EDUCAÇÃO, aos que possuem esta "consciência" e ainda praticam a queimada. A fumaça causa grandes transtornos à vida e à saúde das pessoas, como também prejudica o equilíbrio do meio ambiente, provocando o agravamento do efeito estufa e originando o fenômeno conhecido como aquecimento global. Acho que deveria existir uma rígida fiscalização e imposição de multas aos que praticam este tipo de ato totalmente desaforado, agressivo, e de grande desrespeito ao próximo e ao meio ambiente.
 
Priscila Barcelos em 08/08/2013 11:28:06
Eu moro na casa verde da foto da reportagem. Realmente, a situação é bem complicada. A casa não pára limpa e polui o ar que respiramos. Total descaso dos donos desses terrenos incentivam essas queimadas. A prefeitura precisa procurar esses donos dos terrenos baldios para notificá-los de que tais terrenos precisam ser mantidos limpos. E as pessoas que ateiam fogo, por favor, entendam: Isso faz mal para mim, minha família, seus vizinhos, ao meio ambiente, e até mesmo faz mal à você.
 
Armando Vareiro Lima em 08/08/2013 11:19:53
O pessoal que poe fogo nos terrenos não são pessoas dignas de viver na cidade, eles não pensam no próximo.
 
maria inacia rocha em 08/08/2013 09:43:09
Em primeiro lugar gostaria de parabenizar a redação do Campo Grande News pela brilhante ideia de publicar essa matéria. Ela é muito oportuna e realmente enfoca um tema que é de interesse (pelo menos deveria ser ) de todos. Gostaria de dizer que a meu ver isso é uma questão de "FALTA DE CONSCIÊNCIA", não são apenas os terrenos baldios que são incendiados, basta fazer uma caminhada ao longo da Av: Ernesto Geisel/Thirson de Almeida mais conhecida como norte/sul, que todos constatarão o que falo. A cada trecho há sinal de ato incendiário na vegetação ás margens do córrego Anhanduizinho. Pessoas que de forma inescrupulosas e irresponsáveis ateiam fogo na vegetação sem mensurar as consequências. Infelizmente todos nós sofremos os danos, porém os mais atingidos são crianças e idosos.
 
Lenirdo Pedroso de Almeida em 08/08/2013 09:34:50
olha É UM ABSURDO COM ESSE TEMPO AS PESSOAS COLOCAREM FOGO, VAMOS PENSAR NO PRÓXIMO NADA DE QUEIMADAS.
 
jane fernandes souza em 08/08/2013 09:30:07
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions