ACOMPANHE-NOS    
SETEMBRO, SEGUNDA  27    CAMPO GRANDE 20º

Capital

Terceira vítima diz como escapou de estuprador que ataca mulheres com mais de 50

Em cerca de meia hora, homem de 36 anos atacou 3 pessoas e só parou quando conseguiu estuprar a última

Por Ângela Kempfer e Liniker Ribeiro | 24/06/2021 18:10
André Luiz do Nascimento Santos, de 36 anos, foi autuado em flagrante. (Foto: Marcos Maluf)
André Luiz do Nascimento Santos, de 36 anos, foi autuado em flagrante. (Foto: Marcos Maluf)

A noite foi de terror no Bairro Vida Nova, região do Anache, em Campo Grande. Homem atacou 3 mulheres em cerca de meia hora, duas escaparam do estupro porque foram abordadas na rua, uma após a outra. Os relatos indicam que ele não ia parar até consumar o estupro.

André Luiz, de 36 anos, foi autuado em flagrante pelo ataque contra mulher de 57 anos e por roubo e estupro de outra vítima, de 54. Mas no fim da tarde de hoje, a terceira vítima apareceu. Na verdade, na ordem cronológica, foi a primeira abordada pelo maníaco.

Primeira mulher abordada na noite de ontem foi hoje à delegacia.  (Foto: Kisie Ainoã)
Primeira mulher abordada na noite de ontem foi hoje à delegacia.  (Foto: Kisie Ainoã)

1ª vitima/20h40 - A senhora de 64 anos estava já no portão de casa, por volta das 20h40, cerca de 30 minutos antes do último ataque. “A rua é iluminada, mas tem um canto escuro. Aí ele colocou a faca nas minhas costas. Eu nunca tinha visto ele. Eu estava com a bolsa, celular dentro da calça, mas ele não pediu nada. Foi muito rápido, comecei a gritar, pedir socorro, chamar minha vizinha e o marido dela”, conta a mulher que esteve com o filho nesta tarde na DEAM (Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher).

“O padrão são mulheres que, além da vulnerabilidade da condição de ser mulher, são pessoas sozinhas, a idade delas também, quase idosas, o que deixa ele mais à vontade”, define a delegada Sueli Araújo.

Na primeira investida, a delegada diz que a intenção também era estuprar a vítima, assim como na segunda tentativa frustrada, minutos depois.

Segunda vítima mostra marcas de faca no pescoço.  (Foto: Marcos Maluf)
Segunda vítima mostra marcas de faca no pescoço.  (Foto: Marcos Maluf)

2ª vítima/20h50 - Dez minutos depois, por volta de 20h50, ele atacou a outra senhora, mas foi próximo a escola do Vida Nova e a mulher conseguiu pedir ajuda de um guarda municipal que fazia a vigilância do prédio.

“Colocou a faca no pescoço dela, tentou levar para lugar ermo, a conotação é que ele queria estuprá-la. Ela ofereceu objetos e ele não queria, falava de ir para canto escuro, nisso, um deles caiu, ele tentou golpeá-la, acertou uma faca nela e só não foi pior porque o guarda da escola viu”, relata a delegada.

Imagens de câmeras mostram, claramente, o momento em que ele segura os cabelos dela e sai andando com segunda vítima no escuro. “Aí o guarda viu, achou estranho, o portão estava fechado e foi buscar as chaves, quando voltou para o portão, já escutou os gritos”, disse a vítima em depoimento.

Depois de ser libertada, mulher foi levada para atendimento médico. (Foto: Marcos Maluf)
Depois de ser libertada, mulher foi levada para atendimento médico. (Foto: Marcos Maluf)

3ª vítima/21h10 - Na fuga, o homem acabou invadindo a casa da 3ª vítima, que voltava da igreja, por volta das 21h10. O portão da residência é baixo, ele pulou a cerca e se deparou com a porta aberta. Entrou e encontrou a vítima no quarto.

O homem confessou que entrou na residência para roubar, porque é usuário de drogas. Ele queria dinheiro, mas durante a conversa decidiu pelo estupro.

O criminoso também é morador da região, no Vida Nova. “Por mais que as mulheres não o conhecessem, ele conhecia e sabia dos atos delas. A segunda vítima estuprada, que está hospitalizada, disse que viu ele em um bar, há pouco tempo. Era uma pessoa que observava e depois cometia o crime”, revela a delegada.

Hematoma no olho da 3ª vítima mostra violência do estuprador. (Foto: Marcos Maluf)
Hematoma no olho da 3ª vítima mostra violência do estuprador. (Foto: Marcos Maluf)

Noite de terror - Em depoimento, a vítima de estupro conseguiu relatar apenas alguns detalhes da noite de terror. “Ela fala com muita dificuldade, até pelo trauma. Mas diz que ele só a amarrou na hora de ir embora, com fios de ferro elétrico, as mãos e os pés e anda amordaçou a vítima para não gritar”, detalha a delegada.

A porta ficou trancada. Como nas janelas também há grades, só hoje cedo, depois de muito barulho e pedidos de socorro, os vizinhos escutaram.

A Polícia Militar foi chamada e arrombou a casa. Com muito sangue e ferimentos, a mulher foi levada para o posto Coronel Antonino e no meio da tarde transferida para a Santa Casa. Ela deu entrada com trauma na cabeça, na face, marcas de enforcamento e contusão da mama.

Policial militar escala parede nas buscas por criminoso em obra abandonada.  (Foto: Marcos Maluf)
Policial militar escala parede nas buscas por criminoso em obra abandonada.  (Foto: Marcos Maluf)

Força-tarefa - Após o socorro, força-tarefa começou a fazer rondas pela região e a PM acabou encontrando o estuprador em uma obra abandonada, a cerca de 2 quilômetros do local do crime.

Com ele, foram encontrados casaco e boné que facilitaram a identificação, além da faca usada nos 3 crimes. Também foi constatado que o estuprador é foragido da Justiça, após ser condenado por roubo. Quando teve a progressão pro regime semiaberto, aproveitou para sumir.

“Eu acredito que vão aparecer outras vítimas”, avalia a delegada.

Campo Grande News - Conteúdo de Verdade


Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário