A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017

27/05/2013 09:47

Testemunha viu soldado ser retirado à força de show por seguranças

Paula Maciulevicius e Aliny Mary Dias
Idenilson da Silva Barros, de 20 anos, morreu no dia do show de Munhoz e Mariano. (Foto: Reprodução/Facebook)Idenilson da Silva Barros, de 20 anos, morreu no dia do show de Munhoz e Mariano. (Foto: Reprodução/Facebook)

Um engenheiro procurou à Polícia para dizer que viu o soldado do Exército Idenilson da Silva Barros, de 20 anos, sendo retirado pelos seguranças do camarote do show realizado no último dia 19, no Jockey Club, em Campo Grande.

A testemunha foi até a 5ª Delegacia de Polícia Civil, que investiga o caso, no final da semana passada, depois de ver a fotografia da vítima divulgada na imprensa. A descrição dada pelo engenheiro bate com as roupas que Idenilson foi encontrado.

Segundo o delegado Cláudio Martins, além do engenheiro, um fotógrafo que fazia a cobertura do evento registrou o comportamento do jovem no camarote. “Pelo depoimento da testemunha, fica comprovado de que ele não saiu por vontade própria, mas foi retirado pelos seguranças”.

Para a Polícia, os seguranças não poderiam ter tirado e simplesmente colocado Idenilson para fora. “Eles tinham que ter acionado a família ou amigos, para ter cautela com essa pessoa”.

Na semana passada, o delegado ouviu o responsável pela segurança no show. No dia da festa trabalhavam 100 seguranças, 20 deles no mesmo espaço onde o soldado estava e outros 20 no estacionamento, outros 60 estavam em áreas comuns do espaço. A Polícia já começou a colher depoimentos dos homens que faziam a vigilância, mas a responsabilidade deles no fato só será comprovada por meio dos laudos da perícia, que podem confirmar se ele foi agredido e atropelado.

De acordo com o delegado, a dificuldade neste caso é pelo número de testemunhas que precisam ser ouvidas. Até o momento não há nenhuma pista sobre o condutor do carro que pode ter atropelado Idenilson.

O caso - Desde o início, a Polícia trabalha com a hipótese de que o jovem tenha sido assassinado. Idenilson havia ido ao show de Munhoz e Mariano com amigos e a namorada. Eles estavam na área vip e tinham combinado de ir embora na última música. Cerca de meia hora antes do fim, por volta de 3h50min, Idenilson se afastou e não foi mais visto.

Enquanto estava com os amigos, discutiu com a namorada e também esbarrou em algumas pessoas. A situação foi contida por um segurança e filmada pelo rapaz pelo celular, que também gravou a apresentação.

Conforme Cláudio Martins, o esbarrão não resultou em briga nem em discussão, sendo a situação resolvida rapidamente. Em um determinado momento, Idenilson saiu de perto e os amigos pensaram que ele tivesse ido ao carro esperá-los, pois não poderia mais voltar para a área vip depois de sair.

Quando o grupo saiu do show, passou a ligar para Idenilson, que não atendeu a nenhuma chamada. Pela manhã, souberam da morte. Eles contaram à Polícia que o jovem havia bebido pouco e que o único objeto de valor que tinha era o aparelho de celular que não foi encontrado e pode ter sido levado pelos mesmos autores do homicídio ou ter caído pelo caminho.



Local precário para realização de eventos, má iluminação, muita terra e poeira, segurança má posicionada, banheiros insuficientes...tudo errado, está difícil Campo Grande.Quem liberou esse alvará heim????
 
Carlos Alves em 27/05/2013 20:26:36
Tava na cara, desde o inicio.Mais de 100 seguranças no local e NENHUM viu nada ?
 
Marcos Figueiredo em 27/05/2013 17:58:26
A familia deste rapaz tenha fé em Deus o culpado vai aparecer
sei que para essa familia nao ta sendo facil nada nesse mundo vai mudar isso mas pelo menos esses covardes vão pagar por essa vida.
esta vendo sempre tem alguem que ve, e que Deus ilumine essa pessoa que viu os seguranças tirando ele a força crime nenhum é perfeito, e confiamos em nossa policia e a pericia e bem eficaz, aos pais desse menino que Deus conforte seus coraçoes e de dircenimento para conseguir seguir seus caminhos.
 
ana cristina da silva ramos em 27/05/2013 17:43:42
Eu conheço o Idenilson, e sei que ele não seria capaz de causar intriga com ninguem. Ele não é desses caras que sai brigando por ai, se ele se desentende com algo, ele resolve na hora, porque ele não é desses de brigar com soco e ponta-pés. O que eu tenho a dizer, que foi sim um assassinato e o (os) cara(s) que fizeram isso, tinha sim que ser punido, por que um rapaz que sai pra se divertir com a namorada e os amigos nunca merece acabar a noite dessa forma. Queremos justiça, cade a segurança dessa cidade?????? Quem vai ter coragem de sair pra se divertir sabendo que pode voltar vivo ou morto pra casa??? A preocupação é grande, nós (população) queremos segurança nas ruas.
 
Juliane Lopes em 27/05/2013 14:50:15
Cheiro de indenização no ar...ou esses "DESorganizadores" de festinhas aprendem por bem ou vão aprender por mal, assim como em Santa Maria. Quando apertar no bolso deles, aí sim vão levar a sério esses eventos.
 
Filipe Alberto em 27/05/2013 12:40:52
Uma coisa é fato, a bebida deixa a pessoa fora de sí, em eventos deveria ser proibidos qualquer tipo de bebida. Querem o que, colocam bebida a vontade, as pessoas nao sabem beber, enchem a cara e procuram confusão. é uma pena tudo isso, em um local que se vão para diversão, acabam-se dano em confusão.
 
RICARDO CORREA GOMES em 27/05/2013 12:27:55
SERÁ QUE ESTA MORTE NÃO TEM NADA A VER COM QUEM NÃO QUERIA QUE O SHOU ACONTECESSE NAQUELE LOCAL. HAVIA UM NÃO PARA QUE O SHOU NÃO ACONTECESSE.....????!!!!!!
 
ely monteiro em 27/05/2013 12:25:07
Pelo que está sendo exposto, está quase óbvio que houve crime. Provavelmente os seguranças o retiraram "delicadamente" e nesse momento podem tê-lo enforcado. Então, alguém passou por cima pra evidenciar acidente e atropelamento. Podem aguardar que no exame necroscópico vai aparecer. E nossa justiça não vai falhar.
 
Jéssica Santos em 27/05/2013 11:13:56
Se comprovado que os seguranças (colaboradores da empresa contratada) retiraram o morto e o colocaram para fora do evento, óbvio que tem co-responsabilidade pelo ato e deve ser minuciosamente investigado a partir das marcas dos pneus que passaram em cima do mesmo (pode até ser de um Jeepinho que anda nesses eventos ??). Mas nossa P.Civil é muito eficiente e tenho toda certeza que será elucidado o mais breve possível. (eml Cidadão)
 
Eduardo Marques Lucas em 27/05/2013 10:52:59
Esses seguranças são extremamente despreparados. Não recebem treinamento algum, apenas são orientados a retirar qualquer um que possa causar tumulto, e tiram a força mesmo, usando de violência, o máximo que aprendem são uns golpes para imobilizar. A ordem para eles é por pra fora, para evitar confusão lá dentro, o que acontece da portaria pra fora eles não querem nem saber. Se a pessoa está bêbada, se tem como ir embora, se tem família para chamar, eles não estão nem ai, o negócio deles é violência, já vi muito isso na noite de Campo Grande, e muitas brigas começam porque as pessoas ficam revoltadas em ver a forma como eles tratam os consumidores. Se o cliente está bêbado, errado, não justifica a agressão deles, justamente pela pessoa não estar em pleno juízo.
 
Rafael Santos em 27/05/2013 10:50:35
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions