A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 23 de Setembro de 2018

01/06/2015 13:23

Tortura de cadelinha causa comoção e internautas pedem punição de agressor

Luana Rodrigues
Documento pode ser assinado pela internet (Foto: Reprodução internet)Documento pode ser assinado pela internet (Foto: Reprodução internet)

O caso da cadelinha Vitória Guerreira, que teve a pele arrancada e as patas quebradas neste sábado(30), causou tamanha repercussão nas redes sociais, que internautas criaram um abaixo-assinado online para pedir a punição dos agressores.

No texto, o autor do manifesto pede "ajuda para não deixarmos essa maldade sem punição. Esses meninos tem que pagar pelo que fizeram". O manifesto já conta com mais de três mil apoiadores. Para assinar, basta o interessado acessar a página referente ao abaixo-assinado e responder algumas perguntas com dados pessoais.

O caso ficou conhecido em todo o Estado depois que a serralheira Simona Zaim publicou em seu Facebook imagens da cadela após os maus tratos. “Esta cachorrinha foi mais uma vítima da bestialidade humana, quatro moleques arrancaram o couro dela e tentaram quebrar duas patinhas”, declarou. A postagem foi compartilhada por centenas de pessoas.

Simona, que encontrou o animal e a levou para uma clínica veterinária, também, pede por justiça. "Nunca vou esquecer os gritos dela naquele dia, espero mesmo que eles sejam punidos, ou vão continuar fazendo isso com outros animais", acredita.

Importância da denúncia - Ao contrário do que se imagina, casos como o de Vitória não são denunciados com frequência. Conforme o delegado Wilton Vilas Boas de Paula, titular da Decat(Delegacia Especializada de Repressão a Crimes Ambientais e Proteção ao Turista), a média é de apenas cinco denúncias de maus tratos por mês.

"É importante que as testemunhas denunciem para a polícia no 190, assim podemos investigar os casos e eles ficam registrados em um banco de dados", explicou o delegado.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions