A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

28/10/2011 21:36

Troca de pneu à rebimboca da parafuseta, aula ensina mecânica básica às mulheres

Paula Maciulevicius
Aulas são divididas em teoria e prática e o curso é gratuito para elas que hoje são mais de 60% das condutoras da Capital.Aulas são divididas em teoria e prática e o curso é gratuito para elas que hoje são mais de 60% das condutoras da Capital.

Filtro de óleo, ar, combustível. Radiador, ventuinha, motor, rebimboca da parafuseta e até o mais temeroso medo das mulheres: trocar pneu. Se tudo isso não parece nada familiar com o sexo feminino, um curso promete mudar e ensinar o be-a-ba da mecânica às mulheres.

Um entendimento básico para quem quer entender de mecânica e até mesmo para ganhar independência na hora de trocar o pneu do carro.

Nesta sexta-feira um grupo de mulheres se reuniu na oficina escola do SEST/SENAT, em volta do motor de um carro, com o capô levantado, o professor ensinava o que era o quê.

Os primeiros exercícios explicam como ver o limite e a densidade do óleo. Antes de mais nada, para qualquer coisa a ser feita, o motor precisa estar desligado. Medir o óleo então, é melhor pela parte da manhã, antes de sair com o veículo.

“A primeira coisa é limpar, coloca e limpa. Aqui veio até o final, está no nível máximo, se chegou ali está tranquilo”, diz o instrutor do Senat Moacir Sallet, com a varinha em mãos.

A segunda lição passa pelo filtro de ar. O objeto, uma espécie de sanfonado de papel é impressionante ver a reação das mulheres, se mostrasse aquilo fora do contexto de aula de mecânica, ninguém acertaria o que era.

Perguntadas se sabiam o que era a resposta foi não, aos risos.

O instrutor fala que o filtro de ar precisa ser bem limpo, principalmente quando o carro circula por regiões poerentas. “O ar que passa pelo filtro que alimenta o motor para combustão, você tira aqui assim e é fácil. Aqui está o filtro”, diz.

As dicas não param por aí, é preciso limpar bem para tirar a poeira.

As oficinas que se cuidem que o Pereirão vem aí”, brinca.As oficinas que se cuidem que o Pereirão vem aí”, brinca.

Como a aula é para elas, era quase improvável que ninguém levantasse a seguinte pergunta “pode limpar com aspirador de pó?”, questiona a aluna Vanessa Moraes Alves, de 20 anos.

E a resposta de Moacir é positiva. “Pode ser sim, melhor com vento”, diz enquanto movimenta o filtro no ritmo de quem bate para a sujeira sair.

A troca que pode ser feita por qualquer um, e com frequência, faz parte da manutenção preventiva, deve ser feita até diariamente, ressalta o instrutor.

“Nossa é uma nova peça que eu estou conhecendo, só escuto troca de óleo e filtro, mas de ar eu nunca tinha ouvido”, comenta a motorista Marli Nascimento, que dirige há mais de 10 anos.

O barulho tão escutado ao desligar o veículo, a ventuinha não podia passar despercebida, nem tampouco sua função.

“Ela vai refrigerar a água que vai passar para o motor. Essa água, quando super aquece, aciona a ventuinha para resfriar”, explica Moacir.

Passando pelo filtro de combustível, o professor destaca que a troca depende do quanto se abastece em vários postos. Já a troca de óleo é a cada 5 mil quilômetros rodados, assim como do filtro, aconselha.

“Por isso eu estou aqui, sempre cuido da manutenção do carro, mas e se de repente eu preciso para entender alguma coisa. As mulheres não conhecem muito bem, eu por exemplo nunca escutei nem comentário do filtro de combustível”, exemplifica a motorista Marli.

Em volta do motor mais perguntas vão surgindo. Uma delas é sobre a “tal da correia dentada”. “Essa não mexe e ponto, é padrão”, explica Moacir.

Para quem já teve de encarar sozinha uma oficina mecânica e ouvir que precisa trocar a “rebimboca da parafuseta”, Moacir é categórico.

“Não existe esse nome, foi criado só para fazer piada”.

Antes do ápice da aula, a troca de pneu, as alunas perguntam sobre como fazer uma chupeta e onde é o positivo e negativo da bateria.

“Ele vai estar em relevo na bateria indicando o + positivo e o - negativo”, fala.

“Então é vermelho com vermelho e preto com preto?”, pergunta uma candidata à mecânica. A resposta é positiva por parte do instrutor, que destaca que é só seguir o que está em relevo, na própria bateria.

Para o professor que já explicou tanto, uma pausa para falar o por quê do curso destinado às mulheres. Segundo Moacir Sallet, é para ensinar as noções básicas do funcionamento de um motor e a efetiva manutenção preventiva.

“Ai se eu tiver arrumada para uma festa, eu deixo o carro lá”, conta aos risos Vanessa.“Ai se eu tiver arrumada para uma festa, eu deixo o carro lá”, conta aos risos Vanessa.

“Hoje a mulher pela sua posição do mercado de trabalho tem o carro como uma ferramenta, não é mais um mero transporte”, destacou Moacir.

Marli veio até de botinas, e diz que entre algumas dúvidas básicas, veio mesmo para aprender o principal “trocar pneu”.

E a influência de uma personagem de novela veio para vida real de Valdelice. A aluna quer sair de lá como “Pereirão”.

“Dificuldade não tem em conseguir mecânicos, amigos sempre ajudam. Mas é na hora de comprar peças, saber trocar pneu, aí precisa e se surgir uma oportunidade, pretendo ir mais adiante. As oficinas que se cuidem que o Pereirão vem aí”, brinca.

Troca de pneu - E a parte mais esperada da aula começa. Vanessa e Marli são as primeiras a passarem pela lição. E se as leitoras ainda não aprenderam, aí vão as dicas do instrutor Moacir.

O primeiro passo é colocar o macaco engatado onde um pequeno sinal indica um triângulo. O macaco só deve parar de subir quando a roda de afastar do chão. Em seguida é a vez de afrouxar os parafusos no sentido anti-horário. Ao tirar a calota, as motoristas podem perceber dois parafusos guia, de onde se coloca o pneu.

Ao colocar o pneu, o procedimento é o mesmo, mas dessa vez apertando os parafusos. “O último aperto deve ser feito só depois de baixar o pneu e tirar o macaco”, conclui o instrutor.

“Ai se eu tiver arrumada para uma festa, eu deixo o carro lá”, conta aos risos Vanessa.

Ao final da aula Marli saiu satisfeita. “Aprendi mas vou achar tempo e trocar em casa. Só teoria sem prática não dá. Se não conseguir chama o mecânico ou o maridão mesmo”, brincou.

O próximo curso já tem data marcada, acontece no dia 07 de dezembro. As inscrições e as aulas são gratuitas e podem ser agendadas pelo telefone 3348-8700.



Acredito ser de muita valia este curso de mecänica para mulheres. Hoje, temos um rol de mulheres proprietárias de veículos e precisamos de todas as informaçöes possíveis para lidarmos com os desafios que possam surgir. Quero me cadastrar, caso seja possível, para participar de um próximo curso de mecänica. Parabéns ao instrutor Moacir Sallet e a oficina escola SEST/SENAT por esta iniciativa.
 
Sandra Alcantara em 31/10/2011 10:02:17
Excelente matéria Paula Maciulevicius.
Acredito que as alunas, do referido curso sairam com uma boa noção. Ao ler a matéria, confesso que aprendi um pouquinho sobre manuseio do "filtro de ar."
Agora uma coisa tenho certeza, a nossa reporter Paulinha, deve ter aprendido muito mais,rs,rs,rs...
 
Neyde de oliveira em 29/10/2011 10:52:09
adoreiiiii, ja estava pensando em uma aula dessa,que sirva de lição para certo mecânico, sempre tentando enganar as mulheres......
 
auri/nogueira em 29/10/2011 05:18:20
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions