A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017

27/01/2016 09:28

Uems vai levar “brincadeira” de aluno que matou gata a Conselho de Ética

Luana Rodrigues
Câmeras de segurança registraram momento do tiro (Foto: Direto das Ruas)Câmeras de segurança registraram momento do tiro (Foto: Direto das Ruas)

A Uems (Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul) informou por meio de nota, que vai levar ao Conselho de Ética da universidade, o caso do estudante de medicina Leonardo Lyrio de Souza, 24 anos, responsável por atirar e matar uma gatinha na madrugada de sábado (23) no bairro Monte Carlo, região norte de Campo Grande.

Conforme a universidade, “embora o fato não tenha ocorrido nas dependências da Instituição, ou durante qualquer atividade acadêmica, a UEMS lamenta e repudia o episódio que envolveu um de seus estudantes.”

Ainda segundo a Uems, apesar de o caso já tramitar na Justiça, também será analisado pelo Conselho de Ética da Universidade, juntamente com o departamento jurídico. Os setores responsáveis analisarão o caso com base nas legislações internas da instituição.

Maus-tratos - Leonardo se apresentou à polícia na tarde desta segunda-feira (25), acompanhado de um advogado e levando a arma de pressão usada no crime. Em seu depoimento, o rapaz definiu o episódio como “uma brincadeira que acabou mal”.

O jovem contou que saiu com o carro da mãe acompanhado de dois amigos. Ao passar a direção para um deles, Leonardo teria sentado no banco de trás do carro com uma espingarda de pressão. Leonardo confessou que naquele dia saiu para “brincar” e chegou a mirar e a atirar em vários outros gatos na rua.

Leonardo foi ouvido e liberado. “O processo agora será encaminhado ao Poder Judiciário e, apesar de se tratar de um crime de menor potencial ofensivo, a morte do animal pode agravar a pena, Mas, isso é uma decisão que cabe ao juiz”, explica a delegada Ana Cláudia Medina, responsável pelas investigações.

Ele vai responder por "maus tratos contra animais agravado pela morte e pode pegar de três meses a um ano de detenção.

Abstenção em concurso da Câmara Municipal da Capital passa dos 30%
O domingo (17) foi de provas para milhares de campo-grandenses, tanto na manhã como no período da tarde, no concurso da Câmara Municipal, que segundo...
Com forte dores, mulher reclama de falta de atendimento em UPA
Mesmo apresentando fortes dores e inchaço na região do estômago, sem conseguir comer a três dias, uma mulher que procurou atendimento na UPA (Unidade...
Problema rotineiro, chuva causa alagamentos no bairro Cidade Morena
A chuva que atingiu Campo Grande no fim da tarde deste domingo (17) causou vários problemas à população, desde alagamentos a problemas estruturais em...


E se descuidar, não vai responder por nada, vai se formar, virar especialista em alguma coisa, receber prêmios, ficar rico e, se isso causar repercussões no futuro seus advogados ainda terão a pachorra de dizer que é membro produtivo, condecorado e que não vale a pena puní-lo por isso (que nem no caso de Edison Tsung Chi Hsueh).
 
Guilherme Arakaki em 28/01/2016 02:44:36
Temos que pleitear aos legisladores penas maiores pra quem comete esse tipo de delito, porque chega a ser piada a pena atual. Além de termos de reconhecer o importante valor social dos animais (o que, por si só, imporia o aumento da pena - matar um animal, ainda mais da maneira que aconteceu, não pode ser crime de menor potencial ofensivo!), a pena deve servir também para desestimular pessoas como o referido estudante de praticarem a conduta. Espero que ele arque com as consequências de seus atos, e consiga aprender e evoluir com isso.
 
Ana em 27/01/2016 16:27:27
Apesar da UEMS não constar nem no ranking nacional, isso não é digno de um estudante.
O mínimo que a UEMS deveria fazer era expulsar este 'estudante', pois hoje ele faz isso com um animal, amanhã certamente estaria fazendo com um ser humano.
 
Abestado em 27/01/2016 15:39:26
Na minha opinião ele é um assassino, independente de ser animal ou ser humano, se matou é assassino do mesmo jeito, covarde... bandido... Imaginem se conseguir se formar.... Se não curar o paciente dele, vai fazer o quê? Atirar no paciente??? Se ele se acha o bomzão, porque ele não foi "brincar" com sua arminha nas quebradas, vai lá... atirar em um bichinho indefeso é fácil, agora vai lá nas quebradas enfrentar homens de verdade.....
Tem mais é que ser expulso da UEMS, uma vergonha para a classe estudantil da universidade. Mais um lixo social nas ruas de Campo Grande.
 
Geo em 27/01/2016 10:44:34
No Brasil Conselho de Ética é sinônimo de impunidade.
 
Everton da Costa Teixeira em 27/01/2016 09:52:47
Brincadeira??? Isto é uma MONSTRUOSIDADE. Chego a ter pena dele porque, imbecilidade não tem cura.
 
Ezequiel em 27/01/2016 09:40:18
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions