ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
ABRIL, SEXTA  19    CAMPO GRANDE 29º

Capital

Vega pode retomar coleta de lixo se Bernal romper contrato com Solurb

Edivaldo Bitencourt e Viviane de Oliveira | 16/04/2013 18:02
Litucera tem cores azuis, adotada pelo atual prefeito, mas pode não assumir serviço (Foto: Marcos Ermínio)
Litucera tem cores azuis, adotada pelo atual prefeito, mas pode não assumir serviço (Foto: Marcos Ermínio)

Oito anos após perder o contrato milionário, a multinacional Vega Engenharia Ambiental pode reassumir a coleta de lixo em Campo Grande. Essa é uma das empresas cotadas para assumir o serviço, caso o prefeito Alcides Bernal (PP) decida romper o contrato, firmado em outubro do ano passado, com a CG Solurb Soluções Ambientais.

O prefeito analisa três hipóteses: manter a atual concessionária, romper o contrato ou encampar a empresa (decretar intervenção na CG Solurb e assumir o serviço).

Desde que assumiu a prefeitura, Bernal não efetuou o pagamento de nenhum tostão para a concessionária. Legalmente, a empresa, que acumula créditos de R$ 15,5 milhões com o município, pode paralisar os serviços a partir de hoje (16).

O Campo Grande News apurou que a administração municipal considera que a empresa mais preparada para assumir os serviços é a Vega, empresa sueca, que deixou o serviço em 2005, quando perdeu licitação emergencial para a Financial. Apesar de estar afastada do serviço, a multinacional tem estrutura em Campo Grande e condições de retomar o serviço de coleta de lixo.

Cotação – Bernal pode romper o contrato de 25 anos, que prevê faturamento de R$ 1,8 bilhão. Neste caso, a prefeitura fará uma cotação emergencial com três empresas para escolher uma para assumir o serviço de coleta de resíduos sólidos.

A decisão do prefeito depende de análise da assessoria jurídica. O progressista vem procurando se fundamentar para tomar a decisão e evitar uma longa briga jurídica. A expectativa é de que, independente do embasamento da assessoria jurídica, o eventual rompimento com a CG Solurb deverá acabar nos tribunais.

Neste caso, ele poderá convidar a Vega, a CG Solurb (se ela não for declarada inidônea) e a Litucera. Esta última é uma empresa de Vinhedo (SP), que atua há sete anos em Campo Grande.

No entanto, apesar dos boatos de que a empresa paulista pode assumir o serviço, o Campo Grande News apurou que ela é considerada de pequeno porte, sem condições de assumir o serviço. Diariamente, a Capital produz 761 toneladas de lixo.

Além de recolher o lixo, a concessionária é responsável pela varrição de ruas (serviço executado em uma área da cidade pela Litucera), pelo gerenciamento do aterro sanitário, recuperação da área do antigo lixão e construção do novo espaço para receber o lixo, denominado Ereguaçu.

Nos siga no Google Notícias