A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 14 de Dezembro de 2017

05/07/2012 11:02

Velório de empresário vítima de assalto é marcado por indignação

Francisco Júnior e Paula Maciulevicius
Local do velório estava lotado de parentes e amigos da vítima. (Foto: Minamar Júnior)Local do velório estava lotado de parentes e amigos da vítima. (Foto: Minamar Júnior)
Primo da vítima, Ary Raghiant, disse que a família está acompanhando as investigações da Polícia. (Minamar Júnior)Primo da vítima, Ary Raghiant, disse que a família está acompanhando as investigações da Polícia. (Minamar Júnior)

Parentes e amigos estão inconformados com o assassinato brutal do empresário Alberto Raghiante Junior, de 55 anos, durante um assalto ocorrido na noite de terça-feira (3), em Campo Grande. O velório da vítima, no cemitério Parque das Primaveras, foi marcado por indignação e revolta.

Alberto era separado e deixa três filhos, um rapaz de 18 anos e duas moças, uma de 15 e outra de 21 anos.

Gilmar França dos Santos, sócio da vítima entre três empresas, disse que ficou sabendo do assassinado do amigo pelos meios de comunicação. “Foi um choque muito grande. Quando vi a imagem não tive dúvidas de que fosse ele”, afirmou. “Infelizmente ele estava no local errado, na hora errada", afirmou.

O sócio conta que ontem pela manhã, ele e Alberto tinham um compromisso em comum, mas o amigo não apareceu no horário marcado. Ele não desconfiou que algo pudesse ter acontecido, porque a vítima já havia se atrasado em outros encontros de trabalho.

Gilmar achou que o amigo havia perdido o horário. Porém, como as horas foram passando e Alberto não dava notícias, resolveu procurar a família e foi quando por volta das 12 horas ficou sabendo do ocorrido pela imprensa.

“Tudo indica que seja latrocínio. Ele não era uma pessoa que tinha inimigos, algo que mostrasse ao contrário”, disse.

Empresário foi morto durante assalto. (Foto: Arquivo pessoal)Empresário foi morto durante assalto. (Foto: Arquivo pessoal)

Gilmar contou que na noite de terça-feira, Alberto fez um churrasco em sua casa e lá, estava Luzia Barbosa Damasceno Costa, 25 anos, morta também durante o assalto. Segundo Gilmar, o amigo foi rendido pelos bandidos em frente do apartamento de uma amiga, próximo ao terminal Morenão.

Ele lembra com carinho do amigo. Disse que Alberto estava em um bom momento na vida profissional e pessoal. “As coisas estavam andando muito bem na vida dele. A empresa completou 10 anos, foi inaugurada sede própria. Era uma pessoa bacana, tinha um carinho muito grande pelos filhos”.

Emocionado, o advogado Bento Duailibi, amigo há 15 anos da vítima, se mostra indignado com o crime. Segundo ele, os bandidos não tinham um motivo para matar. “Não dá para aceitar a violência. Não tem justificativa. Não havia necessidade de matar porque já haviam levado o carro”.

Primo do empresário, o advogado e juiz eleitoral Ary Raghiant disse que a família está acompanhando as investigações. Ele esteve hoje na 4º Delegacia de Polícia e conversou com o delegado responsável pela investigação.

Luzia também foi morta durante assalto. (Foto: Arquivo pessoal)Luzia também foi morta durante assalto. (Foto: Arquivo pessoal)

O advogado assistiu ao vídeo do depoimento prestado por Neidinaldo Nascimento da Silva, de 21 anos, assassino confesso do casal. “Ele estava muito drogado. Uma falta de senso de uma humanidade, já tinha conseguido o objetivo de roubar o carro. Foi uma barbaridade”, afirmou indignado.

O velório de Luzia é realizado em Miranda, sua cidade natal.

Crime - Neidinaldo foi preso no bairro Moreninhas horas depois de cometer o crime. Na delegacia ele disse que a intenção era roubar o veículo de Alberto, um Azera, mas ficou nervoso e acabou matando o empresário. Depois disso, ligou para um homem identificado como Paraná, é o mentor do roubo e contou “que tinha matado o cara”. Ao saber desse fato, Paraná ordenou a execução da mulher.

Os corpos do casal foram encontrados na manhã de ontem, às margens da rodovia Três Barras.



Absolutamente revoltante.!
 
Monique Mendes em 05/07/2012 12:01:26
E lamentavel o que aconteceu e pura crueldade destes bandidos que nao teve pena e muito mais ainda esses bandidos sao frio nao tem amor em si proprio infelizmente conteceu e serve de exemplo para aqueles que nao tem malicia nao pensa no perigo .Nos estamos a merce destes vagabundo,nos temos que ficar preso dentro de casa e os marginais solto pelas ruas tirando vidas de pessoas de bem.JUSTIÇA.
 
Fatima conceiçao batista martins em 05/07/2012 11:01:49
Ao nossos parlamentares da esfera federal deveriam tomar atitudes urgente,mudando imediatamente o código penal, Constituição Federal e até mesmo quebrando tratados Internacionais,mas que algo tem que ser feito isso tem , por que nós vivemos em um país onde impera a violência e as leis postas a cada dia fica mais favorável,ACORDEM SENHORES VOCES SÃO PROCURADORES DA SOCIEDADE.
 
porfirio vilela em 05/07/2012 05:35:01
luzia menina doce e amavel por todos que deus te ilumine a onde voce estiver ja estamos com saudades desse seu sorriso .aguardamos que a justiça sera feita
bjos com muita luz
 
silvia versoza em 05/07/2012 04:29:52
Art. 157 do Código Penal: Roubo - Subtrair coisa móvel alheia, para si ou para outrem, mediante grave ameaça ou violência a pessoa, ou depois de havê-la, por qualquer meio, reduzido à impossibilidade de resistência. Se resulta morte, a reclusão é de 20 a 30 anos, sem prejuízo da multa.
 
victor henrique em 05/07/2012 01:52:11
Se alguém souber me responda. Até quando???????!!!
 
Rubens Ferreira em 05/07/2012 01:09:54
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions