ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
DEZEMBRO, SEXTA  01    CAMPO GRANDE 31º

Capital

Vídeo mostra funcionário de empresa de segurança furtando cliente

Alan Diógenes | 15/06/2015 16:24
Imagens mostram funcionário mexendo no caixa da lanchonete. (Foto: Reprodução)
Imagens mostram funcionário mexendo no caixa da lanchonete. (Foto: Reprodução)

Uma comerciante de 42 anos teve prejuízo de R$ 12 mil ao ter sua lanchonete na Rua Manoel Inácio de Souza, Jardim dos Estados, em Campo Grande, arrombada e furtada no mês passado. Pelas imagens de câmeras instaladas por ela, foi possível identificar o suspeito: um funcionário da empresa de segurança que presta serviços para o estabelecimento.

Conforme o registro policial, no dia 30 de maio a vítima entrou em contato com a empresa de segurança, informando que o local havia sido arrombado. Ela informou que havia deixado o alarme desativado e por isso o dispositivo não disparou.

No dia seguinte, a empresa enviou um funcionário para o comércio, já que a porta da entrada, de vidro, estava com a fechadura e cadeados quebrados. O mesmo funcionário, que deveria fazer a segurança externa do local, entrou no estabelecimento sem autorização e furtou um aparelho celular, balas e barras de chocolate.

Para descobrir o que havia acontecido, a mulher recorreu às imagens do circuito interno e constatou que o homem havia furtado os produtos. O vídeo mostra que ele ficou por 17 minutos dentro do estabelecimento, o tempo todo uniformizado e com capacete na cabeça.

No dia 1º deste mês, a vítima registrou um boletim de ocorrência e mostrou as imagens para a empresa de segurança. Desta forma, o administrador da empresa demitiu o funcionário por justa causa e ressarciu a vítima com R$ 100 e mais um celular diferente do que havia sido furtado.

No dia 9, a comerciante contatou novamente a empresa de segurança dizendo que o funcionário também havia furtado R$ 12 mil. O administrador da empresa recorreu a polícia e registrou um boletim de ocorrência pedindo a apuração dos fatos. “Mas porque ela não citou este fato no boletim em que registrou no dia 1º, ou seja, ela quer levar vantagem, pois não existe provas de que a quantia realmente foi furtada”, mencionou ele pedindo para não ser identificado.

A vítima disse ao Campo Grande News que a lanchonete foi furtada mais duas vezes, e que o prejuízo já passa de R$ 20 mil. Para coibir a ação dos bandidos, ela instalou sete câmeras e pediu a ajuda de um policial que faz a segurança no período noturno.

“É complicado porque estou no começo ainda e tenho que arcar com estes prejuízos. Para você ter noção eu não tenho lucro nenhum em meu comércio”, destacou ela, que também pediu para não ser identificada.

O caso foi registrado na Derf (Delegacia Especializada de Roubos e Furtos) como furto qualificado com abuso de confiança ou mediante fraude ou escalada e destreza. Policiais investigam o caso.

Nos siga no Google Notícias