A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 21 de Setembro de 2018

02/02/2018 11:13

Vítima de atentado no Guanandi é agiota que denunciou Gilmar Olarte

Salem Pereira é testemunha de processo que já teve condenação, mas ainda está em fase de recurso

Marta Ferreira
Salém Vieira, de camisa branca, teve seu nome ligado ao Golpe dos Cheques em Branco, em análise pela Justiça. (Foto: Arquivo)Salém Vieira, de camisa branca, teve seu nome ligado ao "Golpe dos Cheques em Branco", em análise pela Justiça. (Foto: Arquivo)

Internado na Santa Casa de Campo Grande em estado grave, após ser baleado com pelo menos 7 tiros, Salém Pereira Vieira, de 36 anos, é um dos envolvidos no escândalo sobre o uso de cheques de terceiros que tem também como personagem o ex-prefeito de Campo Grande Gilmar Olarte.

Salém, que é apontado como agiota, chegou a bater boca com Olarte durante audiência na justiça, no processo sobre o “Golpe dos Cheques em Branco”. À época, em 2015, ele classificou o ex-prefeito como “171”, artigo do Código Penal para estelionato, e ainda afirmou que sofria ameaças de morte.

O processo ainda corre na Justiça, na fase de recursos, embora já tenha havido condenação. A acusação principal é de que Olarte e integrantes da igreja da qual ele fazia parte usavam cheques em branco de terceiros para conseguir dinheiro com agiotas. O homem baleado hoje seria um dos “fornecedores” de recursos.

Salém Pereira Vieira foi questionado onde teria conhecido Ronan Feitosa, acusado de ser cúmplice de Olarte na troca de cheques e repasse de dinheiro para vereadores em troca da deposição de Alcides Bernal.

Vieira disse que conheceu Ronan três anos antes e que ele se apresentava como chefe da Sedesc (Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico, Turismo, Ciência e Tecnologia e Agronegócio), bem como “homem de confiança do Olarte”.

Salem também é uma das 29 testemunhas do processo da Operação Coffe Break, que investigou um esquema para cassar o ex-prefeito Alcides Bernal, com a participação de Gilmar Olarte e de vereadores de Campo Grande, além de empresários.   Na semana que vem, no dia 7, o Órgão Especial do Tribunal de Justiça vai decidir se acata a denúncia contra o deputado Paulo Siufi (PMDB), que era vereador à época dos fatos denunciados. A outra parte da ação corre na primeira instância.

O crime – Equipes dos bombeiros e do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) foram acionadas nesta manhã para socorrer uma pessoa baleada em frente a uma creche da rua Jaime Ferreira Barbosa, no bairro Guanandi, em Campo Grande.

As primeiras informações indicavam que o homem, logo em seguida identificado como Salém Pereira Vieira, havia acabado de parar no local para deixar o enteado na creche e, ao descer do carro, um veículo Renault Logan, foi atingido pelos tiros. A esposa do motorista também estava no veículo no momento da ação.

Testemunhas revelaram que o suspeito pelos disparos estava em um outro veículo, um Volkswagen Voyage de cor preta, que fugiu do local após atirar diversas vezes.

Duas viaturas do Corpo de Bombeiros e um médico do Samu atendem a vítima no local, realizando procedimentos de drenagem de uma hemorrogia em seu tórax. O rapaz deve ser encaminhado para a Santa Casa da Capital.

Veículo da vítima no local do crime, no bairro Guanandi. (Foto: Bruna Kaspary)Veículo da vítima no local do crime, no bairro Guanandi. (Foto: Bruna Kaspary)


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions