ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
JUNHO, TERÇA  18    CAMPO GRANDE 21º

Capital

Vítima de feminicídio terminou namoro ao descobrir que homem era possessivo

De acordo com a família, Silvana começou a fazer programas sexuais para sustentar os 3 filhos

Ana Oshiro | 18/08/2021 09:22
Silvana tinha 31 anos e foi morta com três tiros na cabeça. (Foto: Redes Sociais)
Silvana tinha 31 anos e foi morta com três tiros na cabeça. (Foto: Redes Sociais)

Silvana Domingos dos Santos, de 31 anos, morta com três tiros na cabeça nesta terça-feira (17), no Bairro Jardim Los Angeles, em Campo Grande, terminou um relacionamento há 20 dias, ao descobrir que o namorado era possessivo e ciumento.

Uma das suspeitas para a motivação do crime, é que o homem tenha descoberto a profissão que Silvana exercia e mandado matá-la. Ela já havia registrado boletim de ocorrência por ameaça e violência doméstica na Deam (Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher) contra o companheiro.

De acordo com Sandra Regina Domingos, tia de Silvana, o serviço como garota de programa teria começado apenas há 15 dias, cinco dias depois do término do namoro conturbado. "Eles estavam junto há uns três meses, mas iam e voltam sempre, não chegamos a conhecer ele, porque a Silvana tava um pouco distante da família", disse Sandra.

Segundo a tia, ninguém da família sabia que Silvana estava trabalhando como garota de programa, todos descobriram na noite desta terça-feira, depois que ela foi assassinado por um suposto cliente. "A amiga dela contou ontem, que tem uns 15 dias que a Silvana tinha começado e que tava trabalhando assim pra sustentar os três filhos", explicou a tia.

Casa onde Silvana foi morta estava vazia nesta quarta-feira. (Foto: Henrique Kawaminami)
Casa onde Silvana foi morta estava vazia nesta quarta-feira. (Foto: Henrique Kawaminami)

Em entrevista por telefone, Sandra contou ao Campo Grande News que Silvana deixou três filhos, um casal fruto do primeiro casamento, e uma menina de 4 anos, filha do segundo casamento de Silvana. Todos moravam e dependiam da vítima de feminicídio.

"Ela era uma menina que batalhou a vida toda, trabalhou fazendo faxina, atendente em lanchonete, vendedora ambulante. Sempre trabalhou muito, mas ela tava muito distante da família, não contou pra ninguém que tava precisando de dinheiro", lamentou Sandra.

Sobre a suspeita de que o ex-namorado possa estar envolvido, a tia contou que ainda não sabe muita coisa, mas que na noite de ontem, o rapaz estava em um fazenda trabalhando. "Ele não matou, não tava na cidade, isso eu sei", finalizou a tia de Silvana.

Velório - Silvana será velada na igreja Palavra que Liberta, ao lado da casa de uma das avós, mas o horário ainda não foi definido, pois depende da liberação do corpo. O sepultamento será na Pax Real.

A família chegou a fazer uma vaquinha para arcar com os custos do sepultamento, em publicações nas redes sociais eles pediam R$ 2.600 para conseguir enterrar Silvana no mesmo cemitério onde foram enterrados outros membros da família.

Pouco depois das 8h desta quarta-feira (18), amigos publicaram agradecimento nas redes sociais. "Já conseguimos inteirar o dinheiro. A família fica eternamente agradecida, estaremos avisando a hora do velório. Muito grata a todos".

Nos siga no Google Notícias