A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 21 de Setembro de 2018

05/03/2018 15:27

Vizinhança teme que ecoponto sem cobertura se torne problema

No local serão colocados até seis contêineres abertos em cima, que irão guardar materiais enquanto não são retirados

Bruna Kaspary
Funcionários estão terminando o calçamento do terreno onde será o Ecoponto (Foto: Bruna Kaspary)Funcionários estão terminando o calçamento do terreno onde será o Ecoponto (Foto: Bruna Kaspary)

Com o prazo de entrega alterado duas vezes, o Ecoponto da região do Imbirussu está às vésperas de ser inaugurado, mas sua "aparência" não tem deixado os vizinhos confortáveis em relação à funcionalidade. Muitos deles alegam que deveria existir pelo menos uma cobertura para abrigar os materiais da chuva e sol forte.

O ponto fica no cruzamento da rua Sagarana com a avenida Professor José Barbosa Hugo Rodrigues e é o primeiro na cidade. Conforme o encarregado pela obra, Ludinei Rocha Cabral, se não houver mais chuvas, em uma semana a obra será entregue.

No local, de acordo com ele, falta somente terminar o calçamento e colocar a iluminação, mas a estrutura está causando dúvidas para os moradores vizinhos, que na maioria ao menos sabe o que está sendo feito na esquina de casa.

"Mas vai todo tipo de lixo? Isso daqui vai ficar um cheiro horrível", exclama a dona de casa Juliana Alves da Silva, de 23 anos. Ela ainda questiona como que vai ficar abrigado o material, já que não há nem um galpão no terreno.

Ludinei afirma que, no pátio, irão colocar de quatro a seis contêineres abertos na parte de cima. "Os caminhões vão chegar aqui e colocar o lixo por cima, logo depois fechar com uma lona", explica.

O tecnólogo em educação e saúde Marco Antônio Picasso, de 63 anos, lembra que o ecoponto é uma vantagem para o bairro, mas ainda assim tem diversos pontos negativos. "Sem nenhuma cobertura, está tudo vulnerável à chuva e ao sol, então mosquito da dengue e leishmaniose vai continuar tendo criadouro".

Ele ainda afirma que faltou uma reunião com a população para aprovar o projeto da área. "Eles se reúnem apenas na administração e não sabem se isso será bom ou não para os vizinhos".

Inauguração - Conforme com a Solurb, empresa responsável pelo manuseamento do lixo em Campo Grande, e pela construção do Ecoponto, a previsão para que o local seja inaugurado no dia 23 de março.

O ecoponto vai receber exclusivamente entulhos da construção (até o limite de um metro cúbico por pessoa), volumosos ( sofás, móveis, eletroeletrônicos), dentre outros objetos inservíveis, além de resíduos de galhos resultantes da poda de árvores.

Outro lado - A Prefeitura de Campo Grande informou que não há motivo para preocupação. "A Solurb terá no máximo três dias para dar destinação final a todo o material. Haverá gerenciamento permanente de tudo que for recolhido", explicou via assessoria de imprensa.

Serão instalados no local nove contâiners para acondicionar os entulhos e restos de galhos. "Ressalta-se que no local não haverá recebimento de lixo úmido que é coletado regularmente nos domicílios", completou a nota da administração municipal.

 



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions