A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

03/12/2009 08:45

Carro arranca árvore, danifica casa e revolta família

Redação

Uma pick-up Saveiro preta arrancou nesta madrugada uma árvore da frente de uma residência, em acidente na rua Amazonas, entre a Rui Barbosa e 13 de Maio, no bairro São Francisco.

A forma como a Polícia atuou no caso, revolta da moradora Seydi Gomes da Silva, de 60 anos, que teve parte da calçada destruída e perdeu a árvore com a colisão.

A ocorrência, segundo ela, nem sequer foi registrada, e a moradora só ficou sabendo do acidente quando o carro já era retirado pelo guincho.

Pelas marcas no local, o motorista desceu pela Amazonas, perdeu a direção e bateu na árvore de pequeno porte.

Na calçada, a mureta de proteção ficou destruída e restos do veiculo foram parar no jardim da dona de casa. Apesar do estrago, durante o atendimento ao acidente, policiais da Ciptran (Companhia de Policiamento de Trânsito), não informaram a moradora do ocorrido.

"Ninguém se preocupou em tocar o interfone e me chamar. Eles simplesmente foram embora", disse indignada contando que ao entrar em contado com a Polícia foi informada que para registrar um boletim de ocorrência terá que pagar pela guia.

"Então acontece um acidente na frente da minha casa, ninguém me avisa e eu ainda tenho que pagar para conseguir registrar o BO?", questionou.

Recém operada, Seydi dormia na hora do acidente ocorrido às 4h50 e não ouviu nenhum barulho. "Os medicamentos que tomo deixaram meu sono mais pesado".

O impacto da batida chamou a atenção de moradores vizinhos que afirmaram terem visto o condutor sem ferimentos no local. "Ele foi atendido pelo Bombeiros, mas logo depois andou para um lado e outro", disse uma moradora que preferiu não se identificar.

A filha da dona de casa, Juliana Gomes, que também estava no imóvel disse que a família se deu conta do ocorrido quando a caminhonete já saia do local em cima do caminhão guincho. "Quando eu vi o guincho tava dando ré e saído daqui".

"Um homem veio falar comigo e disse que o filho era quem conduzia, mas não me informou o nome do condutor e a placa do carro. Segundo ele, o documento havia se perdido no acidente".

Entre os estilhaços do carro, Juliana encontrou um comprovante de pagamento de cartão com a data de 03/12/09 às 2h36. O endereço do bilhete era de uma distribuidora de bebidas que fica na avenida Fernando Correia da Costa, no valor de R$ 6.

"O que nos queremos saber é com quem vai ficar esse prejuízo. Se fosse um Patrimônio Público, a Polícia teria gerado a multa no momento do acidente, mas como é de particular nos é que temos que pagar".

Conforme Juliana, no local é comum acidente por excesso de velocidade e que fato como o de hoje ocorreu há cerca de um mês em uma escola próxima dali. "Um carro entrou dentro de uma escola e destruiu a frente".

Resposta - Na versão da Ciptran, o registro do acidente foi feito, mas o número do B.O não foi informado ao Campo Grande News.

A Companhia explica que a dona de casa não foi avisada porque na madrugada a Polícia não tem a obrigação de acordar os moradores.

Segundo a Companhia, ela não terá de pagar para registrar a ocorrência, a taxa cobrada é pela cópia do documento, que custa cerca de R$ 20,00.

A cópia é condição para que a pessoa ingresse com ação e cobre ressarcimento pelos danos.

imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions