A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 14 de Dezembro de 2017

18/04/2013 12:23

Cerca de 26 mil eleitores podem perder título se não justificar ausência

Luciana Brazil
Luiz Carlos esclarece que prazo é para eleitores que não justificaram ausência nas três últimas eleições. (Fotos:Marcos Ermínio)Luiz Carlos esclarece que prazo é para eleitores que não justificaram ausência nas três últimas eleições. (Fotos:Marcos Ermínio)

Aproximadamente 26 mil eleitores correm o risco de ter o título de eleitor cancelado no Estado, caso não justifiquem, até o dia 25 de abril, a ausência nas últimas três eleições.

Dos 27.992 eleitores de Mato Grosso do Sul, que não compareceram às urnas nas últimas três votações, apenas 1,2 mil compareceram à Justiça Eleitoral até a manhã de hoje, de acordo com o TRE (Tribunal Regional Eleitoral). O restante, 26,7 mil eleitores, pode ter o título cancelado. 

Faltando nove dias para o fim do prazo, o chefe da Central de Atendimento do TRE, Luiz Carlos Barbosa, explica que está havendo confusão em relação à campanha de regularização. “Esse prazo, dia 25 de abril, não é para quem deixou de votar uma ou duas vezes, ou ainda para quem precisa transferir o titulo, ou fazer revisão. Esse prazo é para eleitores que não votaram nas últimas três eleições consecutivas”, esclarece.

Quando o eleitor deixa de votar uma ou duas vezes, o título não é cancelado, mas o cidadão paga multa de R$ 3,50 por eleição. Para quem deixou de votar três vezes, mas não em eleições consecutivas, a penalidade também é apenas a multa, de R$ 3,50.

Apesar destes casos não acarretarem no cancelamento do título, ainda assim é preciso justificar a ausência e pagar a multa, para ficar em dia com a Justiça.

E só estando em dia, é possível retirar a Certidão Eleitoral, documento que comprova a regularização do eleitor. Essa certidão é necessária em várias situações, como tirar o passaporte ou regularizar o CPF.

Segundo Luiz Carlos, desde fevereiro, quando começou a campanha, a procura da população tem sido grande. "Muita gente tem vindo aqui achando que o dia 25 de abril é o último dia para tudo, mas não é isso".

Hoje pela manhã pessoas já procuravam o Fórum Eleitoral para regularizar a situação. Hoje pela manhã pessoas já procuravam o Fórum Eleitoral para regularizar a situação.

Cancelado: Com o título cancelado, o cidadão passa a ter várias restrições, incluindo a suspensão dos benefícios sociais do Governo Federal, como o Bolsa Família.

O eleitor fica impedido ainda de tirar passaporte, prestar concurso público, assumir cargo público, regularizar o CPF (Cadastro de Pessoa Física), realizar financiamento público e matrícula em instituições públicas, como universidades.

Para os eleitores que precisam justificar a ausência em uma ou duas eleições, que precisam fazer a transferência ou revisão do título, não existe prazo, segundo Luiz Carlos. “A pessoa pode vir a qualquer hora”.

Piloto comercial da TAM, Marcelo Loureiro, 37 anos, foi até ao Fórum Eleitoral, na manhã de hoje, para justificar as ausências das últimas nove eleições. Ele estava com o título cancelado. Ele ficou preocupado e disse que é importante estar em dia com a justiça.

Acompanhado da esposa, Marcelo pagou R$ 31,50 de multa, referente às nove ausências. Melisa Alencar Loureiro, 33 anos, esposa de Marcelo, também já teve o título cancelado, época em que morou no Texas (EUA). “Fiquei seis anos lá, e só consegui regularizar quando voltei”.

Serviço: O eleitor de Campo Grande pode regularizar a situação no Fórum Eleitoral, no Parque dos Poderes, ou ainda nos Práticos (Postos de Atendimento ao Eleitor na Capital) dos bairros, Guaicurus, General Osório e Aero Rancho. No interior, o cidadão pode ir até o cartório eleitoral mais próximo.

É preciso levar um documento oficial com foto e o título de eleitor.

Prazo para regularização do título eleitoral termina em abril
Até o próximo dia 25 de abril, mais de 1,5 milhão de eleitores brasileiros que não votaram e não justificaram a ausência nas três últimas eleições de...
Mega-Sena acumula e prêmio no sábado pode chegar a R$ 39 milhões
A Mega-Sena mais uma vez ficou sem vencer na noite desta quarta-feira (13) e, assim, acumulou. O prêmio pode subir para R$ 39 milhões no sorteio do p...
Chuva intensa de meteoros terá pico na madrugada de quinta-feira
A chuva de meteoros Geminídeos – uma das mais intensas e brilhantes do ano – vai ocorrer durante a noite de hoje (13) e a madrugada de amanhã (14) e ...


Concordo com o Sr. Estefanio. E digo mais: se não fossem as restrições criadas em leis - abaixo citadas - para procurar obrigar o eleitor a votar (e são criadas mesmo com essa finalidade), quase ninguém votaria, esta é a vdde. E me parece inútil dizer que política é uma coisa e justiça eleitoral é outra, óbvio que o são, não vi nada no texto da reportagem que pudesse gerar um comentário desses, sem nexo.










 
Antonio Nobres em 23/04/2013 21:11:09
justíça eleitoral é uma coisa....política é outra, simples assim!!
 
Fernando Nomura em 18/04/2013 17:27:53
UTILIDADE PÚBLICA:
A Justiça Eleitoral trabalha para a sociedade e não para os políticos como alguns podem imaginar e não existe apenas para emitir título de eleitor.
E, para quem não sabe das implicações legais para quem tiver o título cancelado, são elas:
O eleitor que tiver o título cancelado, além de ficar impossibilitado de exercer cargo ou função pública, não pode tirar passaporte, inscrever-se no CPF, renovar ou matricular-se em instituição pública de ensino, além de outras restrições.
 
Sylvana Alves em 18/04/2013 16:54:32
E quem se importa? O povo está tão descrente com a pol´ticai que é um favor que fazem ao cancelar o título eleitoral. aliás, nao sei nem pra que existir uma estrutura tão grande e cara, a justiça eleitoral, se os políticos deitam e rolam e nada acontece com eles. Tá saindo muito caro manter esta estrutura toda para emitir título de eleitor.
 
Estefânio Brites de Jesus em 18/04/2013 12:55:35
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions