A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

22/03/2010 17:10

Cigcoe começa a usar arma com onda paralisante na 4ª

Redação

A Cigcoe (Companhia Independente de Gerenciamento de Crises e Operações Especiais) irá iniciar o uso das pistolas Taser, emissora de ondas que paralisam, nesta quarta-feira (24).

Teve início hoje o treinamento para habilitar 30 policiais da Companhia a manusearem o equipamento, adquirido no início deste ano. O trabalho é ministrado pela empresa Seguritec e termina amanhã. A partir daí os policiais começarão a utilizar a pistola.

O uso da tecnologia, que tem como objetivo diminuir o número de feridos e o uso das armas de fogo durante as operações, já é estudado desde 2005. O Estado adquiriu 30 armas.

Cada pistola funciona com oito pilhas recarregáveis. Elas emitem ondas que paralisam a musculatura e se assemelham aos estímulos do cérebro. Quando usadas, interrompem os movimentos por alguns segundos.

"Isso aqui não é uma máquina de choque", ressalta o Major da Cigcoe, Silva Neto. Para provar, ele coloca a chave de uma algema no fio condutor que sai da pistola. O resultado é que não há nenhuma interferência ou sensação quando se segura o material.

O teste é feito para garantir que pessoas com problemas cardíacos ou que usam marcapasso não terão complicações na saúde por conta do uso.

As ondas devem ser aplicadas nos braços, pernas e no abdômen. Não é recomendado disparar o dardo sobre o rosto para não causar lesão com o impacto. Silva Neto explica que seu uso será feito como um "degrau" entre o comando de voz do policial e o uso da arma.

Caso o suspeito apresente resistência, o policial poderá emitir o dardo que é disparado e emite um estímulo de uma onda chamada de T, que paralisa os músculos.

Diretor executivo da empresa que distribui as armas, a Seguritec, do Rio Grande do Sul, Elton Clemente Júnior explica que em Santa Catarina e no Paraná, por exemplo, o equipamento já foi utilizado em cerca de 70 situações. "Foram poupadas algumas vidas e muitos ferimentos", aponta.

Cada uma das armas custa cerca de 700 dólares. A pistola conta com uma entrada USB que permite descarregar seu histórico, contendo informações de quando e por quanto tempo foi usada.

De acordo com a Polícia, cada um dos policiais treinados ficará responsável por uma arma. Se houver reclamações quanto ao uso excessivo, será possível apurar se isso realmente ocorreu.

Situações - No curso ministrado pela empresa, são esclarecidos detalhes sobre quando se deve usar a arma. De acordo com o major que acompanhou os trabalhos, o curso foi ministrado apenas para esclarecer dúvidas.

Entre elas, se a pistola pode ser usada na água, o que não acarreta problemas. Já quando o suspeito está conduzindo um veículo, seu uso não é recomendado para não causar acidentes.

Quando a pessoa está com um revólver, o policial deverá avaliar se o dedo já está no gatilho, antes de disparar o dardo.

MEC deve homologar Base Comum Curricular na próxima quarta-feira
O Ministério da Educação informou que a Base Nacional Comum Curricular (BNCC), aprovada hoje (15) pelo Conselho Nacional de Educação (CNE), deve ser ...
Presos da penitenciária federal da Capital são julgados por crime em RN
Um preso custodiado no presídio federal de Campo Grande foi julgado, ao lado de outros três homens, na quinta-feira (14) e nessa sexta-feira (15) por...
Governo Federal reduz período do horário de verão para 2018/19
O presidente Michel Temer assinou hoje (15) um decreto reduzindo em duas semanas o horário de verão em 2018. No ano que vem, a medida começará a vale...
Inscrições para o Vestibular 2018 da UFMS seguem abertas
A UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul) segue com inscrições abertas para o Vestibular 2018, que selecionará alunos para cursos de gradua...
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions