A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 18 de Janeiro de 2018

24/07/2013 14:37

Concurso da UFMS desrespeita pobres e deficientes, denuncia MPF

Edivaldo Bitencourt

O MPF (Ministério Público Federal) denunciou que o concurso público da UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul) afronta os direitos dos pobres e portadores de deficiência. A Procuradoria Regional da República em Mato Grosso do Sul ingressou com ação na Justiça para obrigar a instituição a corrigir os erros do edital e reabrir as inscrições, que foram encerradas no domingo (21).

O MPF alega que foram encontradas seis irregularidades no edital do processo. O edital do concurso - que oferta 70 cargos para o quadro permanente da UFMS - não estabelece a aplicação da reserva legal de vagas para pessoas com deficiência nos casos de convocação além do número inicialmente previsto no Edital. Contudo, para o MPF, o edital confronta normas legais e a jurisprudência dominante.

“As pessoas com deficiência tem o direito de se inscrever em todos os cargos disponíveis e, nos casos de cadastro de reserva ou chamamento de candidatos além do número inicialmente previsto, as convocações devem considerar os percentuais mínimo (5%) e máximo (20%) previstos em lei para reserva de vagas”, justifica, na ação apresentada à Justiça Federal em Campo Grande.

Outra irregularidade encontrada pelo Ministério Público Federal é não previsão de avaliação multiprofissional na mesma cidade em que o candidato realizou prova, situação que poderia limitar o acesso dos deficientes aos cargos públicos.

O edital contém ainda erros quanto ao atendimento diferenciado dos candidatos com deficiência. A não previsão de apoio de recursos tecnológicos, como computador com síntese de voz; de sorobam, nas provas de deficientes visuais; e de prova ampliada, sem tamanho máximo de fonte para ampliação, são fatores que ferem o direito dos candidatos na realização do exames.

Na visão do MPF, tais limitações contrariam a previsão legal de “aplicação das provas conforme às demandas do candidato” e devem ser imediatamente corrigidas no edital do concurso.

Sedex – Outro erro fere o direito das pessoas de baixa renda, que são obrigadas a pagar pelo Sedex para obter a isenção da taxa de inscrição. A procuradoria pede para o pedido ser feito por meio de carta registrada.

“É incoerente obrigar aqueles que pedem isenção de pagamento a encaminhar a documentação solicitada pelo serviço dos Correios mais oneroso. Carta registrada com aviso de recebimento são mais baratas, possuem curto prazo de entrega e mostram-se significativamente menos custosa àqueles que sequer têm condições de pagar a taxa de inscrição de R$ 50,00”, defende a instituição.

Além das alterações no edital, o MPF pede liminarmente que a UFMS seja obrigada a reabrir o prazo de inscrições pelo mesmo período inicialmente concedido. O período de inscrições foi finalizado no último domingo (21) e as provas estão previstas para 22 de setembro.

Em caso de descumprimento da decisão, o Pró-Reitor de Gestão de Pessoas e do Trabalho da UFMS pode ser multado em R$ 10.000,00, sem prejuízo das responsabilidades civil e criminal, por eventual ato de desrespeito à ordem judicial.

Concurso da UFMS para professor recebe inscrições até dia 21
A UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul) recebe até dia 21 as inscrições do concurso público para professores. São oferecidas 25 vagas par...
MEC antecipa data do Sisu; inscrições começam dia 23
A abertura das inscrições no Sistema de Seleção Unificada (Sisu) foi antecipada para 23 de janeiro, conforme anunciou hoje (18) o ministro da Educaçã...


E O CONCURSO ANTERIOR PARA TECNICO ADM. AS DEMAIS PESSOAS QUE FORAM APROVADAS NÃO SERÃO CHAMADAS E JA ABRIRAM OUTRO CONCURSO. SERA QUE NINGUEM PODE FAZER NADA POR ESSAS PESSOAS, MEU DEUS.
 
JOANA DELALEI em 24/07/2013 16:45:45
Fora a divulgação xula que foi feita, quase ninguem ficou sabendo do concurso, isso aí é pra enfiar parente lá dentro..;.
 
MAXIMILIANO RODRIGO ANTONIO NAHAS em 24/07/2013 16:38:25
Parabéns aos MPF
Desisti da inscrição para Portador de deficiência pois teria que fazer a "pericia médica" antes mesmo da aplicação da prova
- moro no interior 400 km até a capital, gastaria bastante com deslocamento, pouso, alimentação ....
- se reprovo na prova tudo perdido, perdido

Parabéns ao MPF que está cuidando destes editais desrespeitosos com os brasileiros
 
José Alves em 24/07/2013 16:37:44
Estes concursos da UFMS, são a maior furada, o último foi cancelado por suspeita de fraudes, na verdade concursos aqui no MS, são problemáticos, vejam o do TCE, cheio de figurões inscritos.
 
Marco Aurélio Alves em 24/07/2013 16:28:46
Realmente a preocupação hoje é com as "minorias".
 
João Dias em 24/07/2013 16:21:52
ótimo maravilha porque na verdade a intenção deles é ajudar as pessoas que ja estão na universidade e desconsidera aquelas que mais precisam!achei ótimo
 
alessandra aparecida de oliveira em 24/07/2013 16:16:36
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions