A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 18 de Novembro de 2017

23/06/2009 15:15

Cooperativa investigada por perseguir taxistas filiados

Redação

O Ministério Público do Trabalho instaurou, há exatamente um ano, o inquérito civil 131/2008 para investigar a Coopertáxi (Cooperativa dos Condutores Autônomos de Veículos Rodoviários e Táxi de Campo Grande) e o Sinditáxi (Sindicato dos Taxistas), presididos por Waltrudes Pereira Lopes.

Ele é acusado de promover assédio moral e tomar o rádio dos adversários na cooperativa e na entidade, segundo o procurador regional do Trabalho, Jonas Ratier Moreno.

Neste ano, conta o taxista Milton Moreti, 43 anos, 38 taxistas, sendo oito familiares de profissionais mortos, foram excluídos a revelia da cooperativa porque fizeram parte da chapa ou apoiaram o candidato da oposição, Flávio Panissa.

Sócio desde 1997, Moreti ingressou com ação na Justiça para ser reintegrado ou indenizado pela Coopertáxi. Ele é taxista há 20 anos em Campo Grande.

Segundo a assessoria do MPT, o inquérito completou um ano nesta terça-feira e foi renovado por mais um ano. O procurador Jonas Ratier Moreno analisa a possibilidade de ingressar com uma ação civil pública contra a cooperativa. A última movimentação do processo foi a denúncia da exclusão de 38 sócios.

A Coopertáxi passa por dificuldades financeiras. Na semana passada, o posto da entidade, localizado na Avenida Calógeras, ficou sem combustível por mais de 24 horas. Lopes não quis falar com a reportagem do Campo Grande News sobre a crise da entidade alegando tratar-se de empresa privada.

Sem provas - O presidente da Coopertáxi afirmou que está tranquilo em relação as denúncias. "Denúncia tem todo dia, mas provar? Vão provar o que?", afirmou Waltrudes Pereira Lopes.

Ele explicou ainda que denúncias são feitas todos os dias, mas nenhuma foi provada até o momento. "Não vão provar (nada)", afirmou.

Mega-Sena sorteia bolada de R$ 33 milhões na noite deste sábado
A Mega-Sena pode pagar R$ 33 milhões a quem acertar as seis dezenas do concurso 1.989, que será sorteado nesta sábado (18), a partir das 19h (horário...
Justiça considera ilegal cobrança de taxa de religação de energia em MS
Decisão em primeira instância na Justiça Estadual considerou ilegal a cobrança de taxa de religação da energia em Mato Grosso do Sul. A decisão é de ...
Pesquisa quer saber opinião da população sobre farda de policiais
A PM (Polícia Militar) de Mato Grosso do Sul lançou nesta sexta-feira (17) uma pesquisa para saber a opinião da população sobre o fardamento utilizad...
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions